Review: Billie Eilish – No Time to Die

Onovo single da Billie Eilish, “No Time to Die”, incorpora a essência de James Bond: uma combinação familiar de suspense, tristeza e sinceridade. Através de um abismo, pequenas teclas de piano sussurram sob uma abertura de cordas ascendentes. Os vocais docemente sombrios nadam suavemente pela atmosfera escura, cativando o público enquanto transmitem uma história de traição. “No Time to Die” capta perfeitamente tanto o humor dos temas anteriores do James Bond quanto o som melancólico da Billie Eilish. Sua música está frequentemente preocupada com a escuridão, particularmente na forma do desgosto e vazio que a acompanha. Esses temas são especialmente evidentes em músicas como “everything i wanted” e “when the party’s over”. “No Time to Die”, por sua vez, incorpora uma natureza semelhante, especialmente presente no primeiro verso: “Eu deveria saber / Que eu partiria sozinha / Isso só mostra / Que você só sangra o sangue que você deve”.

A representação de amor aqui reflete as músicas-tema anteriores do “007”, onde Billie Eilish e seu namorado se envolvem em um relacionamento tóxico e manipulador que os deixa vazios. “No Time to Die” descreve intimamente esse amor enganoso e apático, com linhas diretas, mas significativas, e uma simples melodia. Essa melodia define o clima da música e apóia a mensagem geral que Eilish transmite. É preciso perguntar, no entanto, se ela está falando sobre uma morte física ou emocional quando canta “não há tempo para morrer”. A música começa notavelmente simplista, não instantaneamente reconhecível da mesma maneira que as músicas anteriores de James Bond. Sob a melodia de piano e sons ambiente temperamentais, ela canta letras sutilmente assombrosas. Enquanto se prepara para o refrão, uma fanfarra soa em segundo plano, que se torna a primeira dica do som icônico de Bond que todas as músicas anteriores aderiram. Quando o refrão começa, uma guitarra elétrica finalmente solidifica a música como uma inconfundível música-tema de James Bond. Eilish continua dessa maneira, criando camadas vocais contínuas, mesmo quando a música não está aumentando em volume. Como a artista mais jovem a gravar uma música de James Bond, Billie Eilish prova mais uma vez como é formidável. Se o seu objetivo no momento é simplesmente fazer uma ótima música tema do “007”, Billie Eilish, sem dúvida, conseguiu. Sua performance em “No Time to Die” leva o legado de Bond para uma nova geração.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.