Review: Beyoncé – Before I Let Go

Um ano atrás, Beyoncé se apresentou no Coachella encenando uma celebração de sua grande carreira. Atualmente, sua excelência não precisa mais de introdução. Revisitando seu set, o show ainda pode causar arrepios, uma perfeita viagem por sua variada discografia. Ao incorporar a música negra de todos os tipos, Beyoncé oferece um lembrete de que ela é uma artista para todo tipo de pessoa. Ontem à noite, ela lançou um álbum ao vivo intitulado “HOMECOMING”, uma versão em áudio de seu show no Coachella, cronometrado com o lançamento de seu documentário na Netflix. Ambos projetos apresentam sua performance histórica e mostram a primeira mulher negra a liderar o Coachella. Ouvir o áudio do show seria bom o suficiente por si só, mas como bônus ela incluiu uma nova música – uma reimaginação produzida por Tay Keith de “Before I Let Go” (Frankie Beverly & Maze). A versão remixada possui apoio de metais poderosos que deram uma nova vida ao clássico de Beverly & Maze. Pode parecer um sacrilégio dizer isso sobre um álbum como o “HOMECOMING”, mas a interpretação da Beyoncé trouxe uma energia renovada que exala exuberância e sedução. Dito isto, a banda também possui tal coisa correndo em suas veias. As trompas da banda proporcionam um cenário inesperado, que se encaixa lindamente com os vocais da Bey. Com apenas uma música, ela faz você querer ouvir toda sua performance do Coachella. O álbum ao vivo é dividido em quarenta faixas e captura o mesmo conjunto do festival, incluindo hits solo, sua reunião com as Destiny’s Child e vários interlúdios.

Além de ser apenas uma reviravolta contemporânea na música dos anos 80, há um significado mais profundo por trás do porquê Beyoncé provavelmente escolheu cantar “Before I Let Go”. As linha de abertura e o refrão são lembretes de que na comunidade negra, a música atravessa diferentes gerações. Às vezes, a música transcende, tornando-se maior que a soma de suas partes e formando identidades culturais mais amplas no decorrer do processo. “Before I Let Go” é certamente uma dessas músicas, tendo sido há muito tempo associada a churrascos em comunidades afro-americanas e festas de formatura nos Estados Unidos. Tanto que tem sido descrito como um hino nacional negro. Para Beyoncé fazer um cover de uma peça tão amada, portanto, é um movimento ousado. “Before I Let Go” abre com o som de uma multidão rugindo e um DJ chamando por eles. Beyoncé se colocou dentro de um ambiente reconhecível e nostálgico e, ainda assim, se sobressaiu. Sua versão possui palmas texturizadas e um groove de bateria impulsionado por deliciosas trompas que surgem em torno dos seus vocais. Liricamente, é uma canção de amor em sua essência: “Você sabe, eu agradeço a Deus, o sol nasce e brilha em você / Você sabe que não há nada, nada, nada que eu não faria / Antes de deixar você ir”. “Before I Let Go” é a música perfeita para esse momento; cristalizando seu impacto um ano depois de um dos maiores espetáculos de sua carreira. A maioria dos artistas que encabeça o Coachella usa a oportunidade para mostrar sua versatilidade e apelo. Ao encerrar a versão do “HOMECOMING” com um cover de Frankie Beverly & Maze, Beyoncé levou as coisas para outro nível.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.