Review: Avril Lavigne – Dumb Blonde (feat. Nicki Minaj)

Lançamento: 12/02/2019
Gênero: Pop punk, Power pop, Hip hop
Produtores: Mitch Allan, Bonnie McKee, Chris Baseford e Scott Robinson
Compositores: Avril Lavigne, Onika Maraj, Mitch Allan e Bonnie McKee

Pouco antes de lançar o seu novo álbum, Avril Lavigne recrutou Nicki Minaj para o power-pop de “Dumb Blonde”. Aqui, Lavigne reflete sobre a ideia de que as pessoas pensam que ela não é tão inteligente baseado no jeito que ela é. “Eu sou gata, eu sou a chefe e eu faço esse dinheiro”, ela canta no pré-refrão. “Eu posso mudar de opinião rapidinho e eu corto como uma espada”. Quando Nicki Minaj aparece durante a ponte, ela reforça o empoderamento da Avril Lavigne e faz algumas referências ao “The Pinkprint” (2015). “Mas vocês nunca vão me parar, nunca vão me superar / Milhões em cima de milhões, eles nunca vão me alcançar / Eu sou o protótipo original, o projeto rosa”, ela cospe. “Head Above Water” será o primeiro álbum da cantora em seis anos. Desde que compartilhou seu último LP completo, ela tem lutado contra a doença de Lyme, uma luta que ela aborda na faixa-título. Embora seja conhecida por baladas poderosas, ela perdeu a mão durante a criação desse single. Uma música aparentemente inspirada pela Gwen Stefani em meados de 2004/2005. A introdução formada por cânticos e a pancada de bateria imediatamente trazem à mente “Hollaback Girl”.

O refrão, no entanto, é típico da canadense – com uma produção mais eletrônica do que o pop-rock do início de sua carreira. As letras são extremamente previsíveis e acredito que qualquer um poderia ter adivinhado o tema antes mesmo de ouvir a música completa. Basicamente, Avril Lavigne fala sobre os estereótipos das mulheres loiras. “Eu não sou uma loira burra / Eu não sou uma Barbie estúpida / Eu estou na parada / Só me observe, me observe, me observe mostrar que você está errado”, ela canta no refrão. “Eu não sou uma loira burra / Eu sou uma baita gata doce e explosiva / Eu vou ser o seu ícone / Me observe, me observe, me observe mostrar que você está errado”. A conexão entre Lavigne e Nicki Minaj poderia ser bastante improvável, mas isso não torna essa faixa uptempo em algo atraente. Muito pelo contrário, “Dumb Blonde” é uma canção brega, azucrinante e completamente irritante. É a música pop no seu pior estado. Uma mistura agitada de punk, pop e hip-hop que tenta encobrir o emponderamento e a auto-estima, mas falha drasticamente na produção e no conteúdo lírico. Eu, como um ouvinte de música pop, espero que não haja outras faixas “barulhentas” como essa no álbum.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.