Review: Ariana Grande – the light is coming (feat. Nicki Minaj)

Lançamento: 20/06/2018
Gênero: Pop, R&B
Produtor: Pharrell Williams
Compositores: Ariana Grande, Pharrell Williams e Onika Maraj.

Depois de lançar “Bed” ao lado de Nicki Minaj, a Ariana Grande divulgou mais uma colaboração com a rapper. “the light is coming” foi produzida por Pharrell Williams e fará parte do seu próximo álbum de estúdio, “Sweetener”. Desde que “Problem” estourou no mundo todo, Ariana Grande tem sido uma grande força do mainstream. Ela retornou aos holofotes em abril com um dos melhores singles do ano até agora, “no tears left to cry”. Posteriormente, cantou ao lado de Troye Sivan em “Dance to This”, e ficou responsável pelo refrão de “Bed”, da Nicki Minaj. Dessa vez, Minaj retribuiu o favor fornecendo um verso de rap para “the light is coming”. Essa canção me fez perguntar para qual direção Grande está indo no seu próximo álbum, já que este single promocional não parece nada com a brilhante “no tears left to cry”. Honestamente, nem se compara com o single citado. “the light is coming” é lenta e rápida ao mesmo tempo e causa uma estranheza no ouvinte. A faixa começa com um homem gritando no fundo: “Você não deixava ninguém falar e em vez disso”. Essa mesma frase é repetida diversas vezes ao longo da música. Uma amostra aborrecida retirada de um confronto entre o senador da Pensilvânia, Arlen Spector, e uma pessoa da platéia que estava presente numa reunião pública de 2009. Essa amostra, provavelmente, tentou inserir um teor político sobre a positividade das letras, que falam sobre superar a escuridão. Durante o refrão, Grande deixa claro que tempos difíceis podem ser superados: “A luz está vindo para devolver tudo que a escuridão roubou”. O instrumental de “the light is coming” é uma das coisas mais complexas e peculiares da carreira da Ariana Grande.

A produção, encomendada pelo Pharrell, é completamente diferente de “no tears left to cry” e possui uma natureza experimental. Uma coisa eu tenho certeza, as produções do Pharrell não são para todo mundo. Muitas vezes, ele cria algo totalmente incoerente com o artista em questão. Ele deu à cantora uma batida reminiscente do N.E.R.D., mas sem qualquer direção ou inspiração. Ao ouvir essa música, outras artistas vieram na minha mente, como Gwen Stefani, Missy Elliott e Kelis. Mesmo que seja algo novo para ela, a produção certamente não combinou com a Ariana Grande. No geral, “the light is coming” parece um avião que nunca decola! E Pharrell Williams é um cara muito imprevisível. Ele acertou em cheio na produção de “APESHIT”, porém, errou feio aqui. A pesada batida flui sem grandes problemas e o refrão poderia ter funcionado se não fosse tão simples e repetitivo. Pharrell exagerou na dose e o transformou em pura monotonia. Nicki Minaj introduz a canção, mas não acrescenta em nada. A música teria sido a mesma coisa sem ela! Mas a pior parte de “the light is coming” é o homem gritando ao fundo exaustivamente. A amostra foi arrastada desnecessariamente e é repetida numa frequência extremamente irritante. Não adianta dizer que Ariana Grande tentou algo diferente. Porque essa faixa peca pelo exagero e dificilmente consegue envolver o ouvinte com sua estranheza. As influências de techno, disco e hip-hop é apoiada por uma bateria descontrolada e alguns sintetizadores. Os efeitos eletrônicos em segundo plano funcionam bem, mas não dão o gás que a música precisa. Ademais, eu senti muito falta dos clássicos riffs das produções da Ariana Grande, que ficam na cabeça logo depois da primeira escuta.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.