Review: Ariana Grande – no tears left to cry

Quase um ano depois do horrível atentado em Manchester, Ariana Grande lançou um novo single. A cantora achou que era o momento certo para refletir sobre os recentes acontecimentos de sua vida. Para o primeiro lançamento desde a tragédia, Ariana Grande escolheu fornecer esperança em vez de se concentrar no medo. “no tears left to cry” é o retorno perfeito para ela! Uma maravilhosa e melódica canção dance-pop produzida por Max Martin e Ilya Salmanzadeh. É uma daquelas músicas que te agarram logo depois da primeira nota. Sua voz está angelical e a produção esplêndida. Inicialmente, “no tears left to cry” parece uma balada, conforme Grande canta sobre um pano de fundo inspirado pelos anos 80: “Neste momento, estou em um estado de espírito / Em que eu quero estar tipo o tempo todo / Não tenho mais lágrimas para derramar”. Entretanto, logo depois uma batida se instala e de repente o ritmo muda completamente. É uma canção inesperadamente nostálgica com uma entrega vocal melódica e muito bem polida. Sua voz está chamativa como sempre, enquanto ela apresenta uma maturidade recém-descoberta. O videoclipe é mais extravagante do que a música, mas a produção é igualmente impressionante. Ambientado num mundo onde a gravidade não existe, ela caminha sobre o teto e encanta com sua beleza.

As cidades são enormes e exuberantes, ao passo que algumas cenas apresentam coreografias e efeitos especiais. Dito isto, o visual do vídeo combinou perfeitamente com a vibe sonhadora da música. “no tears left to cry” é um hino de superação que mostra que, apesar do passado não ser esquecido, ele pode moldar o presente. Depois do início moderadamente dramático e abundante, um sulco dançante se instala e Ariana Grande canta com seu registro mais baixo. Os versos fornecem uma batida mais rítmica e sintetizadores influenciados pela música house e disco. Eventualmente, sua voz sobe para o registro superior quando ela apresenta o lindo e edificante refrão. As vibrações nostálgicas que ele cria são tão mágicas, que eu já considero um dos melhores refrões do ano. Sua voz cresce de uma forma impressionante, à medida que ouvimos tons gospel e sintetizadores de outra dimensão. “Oh, eu só quero que você venha comigo / Nós estamos em outra mentalidade / Não tenho mais lágrimas para derramar”, ela canta de forma emotiva, antes que sua voz seja abafada pela batida rítmica. As harmonias do pré-refrão são lindas, as transições bem-sucedidas e as letras focadas na superação. “no tears left to cry” parece uma progressão de faixas como “One Last Time” e “Be Alright”. É um hino que faz você se sentir emotivo, mas igualmente esperançoso.

São Paulo, profissional de Recursos Humanos, apaixonado por músicas, filmes, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.