Review: Anitta – Veneno

Lançamento: 09/11/2018
Gênero: Reggaeton, Pop latino
Produtores: Jon Leone
Compositores: Larissa Machado, Jon Leone, Maurício Montaner, Mario Cáceres e Andy Clay.

Nesta sexta-feira, Anitta divulgou um novo EP intitulado “Solo”. O projeto havia sido anunciado no pink carpet do MTV Europe Music Awards, onde ela foi premiada com o título de “Melhor Artista Brasileira”. O EP possui três faixas, “Veneno”, “Não Perco Meu Tempo e “Goals”, cantadas em três línguas diferentes – espanhol, português e inglês, respectivamente. O título do EP tem duplo significado para a cantora: “Porque sou eu comigo mesma. E também porque estou solteira”, ela disse nas redes sociais. “Veneno”, interpretada em espanhol, é um número de reggaeton com algumas semelhanças à “Downtown”, sua parceria internacional com J Balvin. O videoclipe é um tanto quanto exótico e mostra Anitta envolta de dezenas de cobras. Ela segura as serpentes e as encanta com seu charme, enquanto faz referência ao veneno produzido por elas. O conteúdo lírico aborda um romance onde ela está totalmente no controle. “Cuidado onde pisa / Você não sabe no que está se metendo”, ela canta. “Porque eu sou seu veneno / Controlando seu corpo / Você me dá o que eu quero / Eu sou teu veneno / Você está brincando com fogo / Cuidado, que te queimo”.

O vídeo foi muito bem produzido e coerente no que diz respeito às letras. Entretanto, a produção da música não é tão animadora quanto poderia ser. Anitta canta num tom mais grave do que de costume, mas os versos são monótonos e o refrão pouco animador. A guitarra acústica conduz a primeira parte da música, ao passo que as fortes batidas de tambor só aparecem no refrão. “Veneno” é uma música curta – com pouco mais de 2 minutos e meio – possui um balanço latino e um certo gingado, mas definitivamente não cativa como outros singles da Anitta. O refrão é sobrecarregado por efeitos auto-sintonizados que alteram sua voz e não tem uma melodia agradável. Enquanto isso, na segunda parte o sintetizador se torna mais onipresente e há um rap totalmente desconexo com o restante da música. “Você ainda não entendeu / Que sou eu quem está no controle, mas vamos lá / Um passo de cada vez, que estou ficando com calor / Sua calça vai roçando e eu já te tenho na minha”, ela recita nesse momento. Geralmente, as músicas da Anitta te pegam instantaneamente por causa dos refrões viciantes. Entretanto, “Veneno” possui um refrão repetitivo que, a cada nova escuta, fica mais intragável e maçante. Eu, particularmente, achei as outras duas músicas do EP mais interessantes.

São Paulo, 22 anos, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas e séries. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.