Review: Anahí – Boom Cha (feat. Zuzuka Poderosa)

Álbum: Boom Cha (feat. Zuzuka Poderosa) – Single
Lançamento: 11/12/2015
Gênero: Pop, Pop Latino, Dancehall
Produtor: DJ Buddha
Compositores: Anahí, Claudia Brant, Alfio Antico, Julio Reyes e Cassiano Juliano.

Em dezembro de 2015, a mexicana Anahí lançou “Boom Cha” como single promocional do seu próximo álbum. O disco ainda não tem previsão de lançamento, mas já possui três canções já divulgadas. “Boom Cha” conta com a participação de Zuzuka Poderosa, cantora e DJ brasileira que mora, atualmente, nos Estados Unidos. Ela nasceu no Espírito Santo e aos 19 anos se mudou para Nova York, a fim de estudar música. Anahí conheceu Zuzuka Poderosa através do DJ Buddha, produtor da canção. A faixa é bem cativante, embora não demonstre qualquer crescimento artístico. Sua produção foi trabalhada com base em diversos ritmos musicais e grande ênfase em estilos brasileiros, como o funk carioca. No videoclipe da música, gravado na Flórida, Anahí aparece ao lado de Zuzuka em um galpão de armazenamento rodeada de dançarinos e percussionistas.

“Boom Cha” é uma música pop, influenciado pelo dancehall, que possui um grudento saxofone como principal motor. A canção inicia com um ligeiro batidão de Zuzuka Poderosa, que rapidamente exibe às suas raízes do funk carioca. “Anahi sente essa vibe / Vai até o sol raiar / Zuzuka não para na pista / Bota o mundo pra dançar / É pra causar no baile todo / Vem que vem, vem rebolar”, ela canta a fim de introduzir Anahí. Aqui, os típicos “tchu tcha” do funk carioca já são colocados em prática por ela. Mais tarde, a funkeira ainda fornece outro rap durante a ponte. Toda produção da música é feita para as pistas de dança, enquanto combina o pop latino com ritmos brasileiros. Sua combinação de gêneros é atrativa e convincente, assim como a interpretação de Anahí é bem entusiasmada.

“Um ritmo de outro lugar / Tudo começa a girar / Eu me deixo levar / Como o mar, festejar / Sem fronteiras, nem idade”, a mexicana canta no seu primeiro verso. Liricamente, a música gira em torno de festejar e dançar, como podemos ouvir ela cantar no refrão: “Quero te ver dançar / Eu quero fazer o seu corpo se soltar, se soltar”. A letra é realmente bem superficial e totalmente carente de qualquer profundidade. Aparentemente, sua única intenção é contagiar aqueles que a ouvem. Atrás das batidas de tambor, a canção apresenta sintetizadores e algumas percussões adicionais. Após o refrão, o pegajoso riff de saxofone entra em ação e domina a música completamente. Ao lado do belo timbre de Anahí, o sax é sem dúvida o maior charme de “Boom Cha”. Não é uma música inovadora, mas, por outro lado, é bem cativante e cumpre bem o seu papel.

66

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.