Resenha: Ty Dolla $ign – Beach House 3

Lançamento: 27/10/2017
Gênero: Hip-Hop, R&B
Gravadora: Atlantic Records
Produtores: Ty Dolla $ign, 30 Roc, A1, Apex Martin, Bentley, Bongo ByTheWay, DJ Mustard, D’Mile, Hey DJ, Hitmaka, Jake One, James Royo, Jeff Gitty, Johnny Stokes, A’Jovan, Lee on the Beats, MarriBeatz, Mike Dean, Mike Will Made It, Peter Lee Johnson, Pharrell Williams, Pluss, Poo Bear, Prince Chrishan, Sam Wish, Sasha Sirota, Skrillex, Sons of Sonix, Southside, The Audibles e Twice as Nice.

Em 27 de outubro de 2017, Ty Dolla $ign retornou com o seu segundo álbum, “Beach House 3”, que acabou sendo muito melhor do que o esperado. Caracterizar Ty Dolla $ign é um pouco complicado, pois além de rapper, ele é cantor e produtor. Um artista bastante eclético que não se limita. Mas, independentemente de como você o caracterize, ele costuma criar algumas músicas realmente interessantes. Nem tudo o que Ty divulgou antes do “Beach House 3” foi inovador, mas ele criou um tom ideal para este novo registro. Ele nos impressiona da mesma maneira que The Weeknd, uma vez que ambos têm um arsenal musical diversificado e versátil. Eu admiro a habilidade de Ty Dolla $ign em combinar músicas de R&B com letras pensativas e batidas de hip-hop. Com o anúncio do “Beach House 3”, ele certificou-se de que todos os fãs de hip-hop esperariam um resultado mais refinado. Aqui, ele pintou o retrato de um artista tentando lidar com a fama e todos os problemas que vêm com isso. Mesmo com vinte faixas, o ritmo frenético mantém as coisas interessantes, desde a produção até o lirismo. Embora as canções sejam curtas, cada convidado conseguiu complementar a estética de Ty Dolla $ign. “Beach House 3” abre com “Famous”, uma faixa acústica que traz John Mayer comandando o suave violão. É uma canção que mostra sua versatilidade e fornece uma vibração reminiscente de “Horses in the Stable” do seu disco de estreia, “Free TC” (2015). Ademais, esta faixa dito o tom do álbum ao discutir como a sociedade idolatra a fama. Ela incorpora o tema mais recorrente do LP, algo que retorna esporadicamente ao longo do repertório em faixas como “Famous Lies”, “Famous Excuses”, “Famous Friends”, “Famous Amy” e “Famous Last Words”.

A suave transição de “Famous Lies” para o sedoso banger “Love U Better” é um dos destaques de todo o álbum. Um número eletrônico e R&B, curto e doce, onde Ty Dolla $ign é auxiliado por Lil Wayne e The-Dream. Começando com uma amostra de “I Can Love You” de Mary J. Blige, transforma-se numa canção contemporânea muito eficaz e atraente. “Ex”, com participação de YG, toma uma maior inclinação sexual e possui vocais mais robustos. Depois de uma lenta introdução, Ty Dolla $ign diz no refrão: “Eu apenas mandei um texto para minha garota principal / Eu disse a ela que não voltarei para casa / Eu apenas escrevo para minha gatinha principal / Eu disse a ela, não vou para casa, hoje à noite”. A produção de “Droptop in the Rain”, com Tory Lanez, é uma das mais glamorosas do álbum. Sob batidas de trap, Ty Dolla $ign flexiona o seu talento vocal, enquanto Lanez fornece alguns doces falsetes. “Don’t Judge Me”, com vocais adicionais de Future e Swea Lee (do duo Rae Sremmurd) e “Dawsin’s Breek”, com Jeremih, são unidimensionais e possuem um ótimo trabalho de produção. Após a breve introdução de Swae Lee, Ty Dolla $ign comanda o gancho principal. Enquanto isso, “Dawsin’s Breek” é um dos maiores pontos de venda do registro. Embora Ty esteja no piloto automático, fazendo o que ele faz de melhor, Jeremih soa profundo e agradável. Future soa melhor na sua segunda aparição no álbum, durante a faixa “Don’t Sleep on Me”. É uma das canções mais longas do repertório, e onde Ty adere mais uma vez ao tema sobre fama e experiências relacionadas à ela.

A vibração é muito agradável, porém, o enorme comprimento, de quatro minutos e meio, a torna um pouco cansativa. “Stare”, com Pharrell Williams e Wiz Khalifa, prova que Ty pode se mover em diferentes gêneros com muita facilidade. O impacto causado por Williams na produção é facilmente perceptível. O segundo single, “So Am I”, desempenha um excelente papel dentro do “Beach House 3”. Aqui, temos sugestões tropicais e elementos de reggae, algo esperado devido à presença de Damian Marley. Ademais, Skrillex acrescenta um drop familiar no meio da música, e adiciona um tom experimental e peculiar à ela. “In Your Phone”, com Lauren Jauregui do grupo Fifth Harmony, possui uma produção lisa ancorada por percussão trap e vocais sensuais. “Message in a Bottle”, por sua vez, possui letras escuras e deprimentes sobre uma produção ufana. É uma canção muito boa que mostra mais dos tons distintos de Ty Dolla $ign. As harmonias vocais tornam as coisas ainda melhores, principalmente quando misturam-se com a melodia soulful e batida de sintetizador. “Beach House 3” é uma das obras mais interessantes do rapper, se não for a melhor. Mesmo com um repertório tão longo, ele conseguiu um resultado bastante positivo. Em suma, “Beach House 3” é um álbum relativamente grande que possui muitos momentos cativantes​​. Nem todas as faixas funcionam ao longo do registro, mas Ty Dolla $ign conseguiu mostrar toda a sua versatilidade e talento. Em outras palavras, é o seu álbum mais focado, contagioso e consistente.

Favorite Tracks: “Love U Better”, “Ex” e “Stare”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.