Resenha: TLC – TLC

Lançamento: 30/06/2017
Gênero: R&B
Gravadora: 852 Musiq / RED Distribution / Liberation Music / Warner Music
Produtores: Dunlap Exclusive, D’Mile, Tipz, Knotch, Ron Fair, Cory Mo, Michael Busbee, Casper &B, DrePhantom, Desmond Peterson, Carnoy “Ayo Kayo” Watkins, David Redd, Desmond “Motown” Washington.

No passado, a força por trás do grupo TLC eram três mulheres: Tionne “T-Boz” Watkins, Lisa “Left Eye” Lopes e Rozonda “Chilli” Thomas. Formado em Atlanta, Geórgia, o trio obteve um grande êxito comercial durante a década de 90. Elas possuem nove canções top #10 nos Estados Unidos, incluindo quatro singles número #1 (“Creep”, “Waterfalls”, “No Scrubs” e “Unpretty”). TLC também possui muitos álbuns de platina, incluindo o “CrazySexyCool” (1994), o único disco de um grupo feminino a receber certificação de diamante pela RIAA. Tendo vendido mais de 65 milhões de discos em todo o mundo, TLC é o grupo feminino mais vendido dos Estados Unidos, e o segundo em todo o mundo (atrás apenas das Spice Girls). Após a trágica morte de Left Eye em 2002, as outras duas membros optaram por continuar como uma dupla. Agora, depois de um longo hiato, TLC retornou com o seu quinto álbum de estúdio, simplesmente intitulado “TLC”. Lançado através de seu próprio rótulo, 852 Musiq, o disco está cheio de nostalgia e faixas cativantes. Longos hiatos são difíceis de serem superados, porque é complicado você encaixar-se no clima musical atual, tanto sonoramente quanto comercialmente. Neste novo registro, T-Boz e Chilli permaneceram fiel ao seu estilo, mas também incorporaram alguns elementos modernos na mistura.

Para lançar o seu quinto álbum, TLC recorreu ao Kickstarter para financiar o projeto. Graças ao seus fãs, elas conseguiram arrecadar US$ 400.000, mesmo a proposta inicial ter sido de apenas US$ 150.000. Definitivamente, este álbum é a despedida que o grupo precisava. Fazia realmente muito tempo que elas lançaram algo, 15 anos para ser mais exato. Portanto, “TLC” foi o disco ideal para T-Boz e Chilli encerrarem suas atividades. Para a sua criação, ambas artistas colaboraram com novos e antigos compositores e produtores. A primeira faixa, apropriadamente intitulada “No Introduction”, é bastante direta e define o tom nostálgico à frente de uma produção de hip-hop old-school. Nas letras, há alusão a algumas de suas antigas músicas como podemos notar na seguinte linha: “We don’t need no scrubs chasing waterfalls”. A frase refere-se aos singles “No Scrubs” e “Waterfalls”, duas de suas músicas mais conhecidas. “No Introduction” cria um movimento espontâneo que, essencialmente, simboliza o som de assinatura do TLC. Apesar da perda de Left Eye, T-Boz e Chilli foram capazes de reviver o som de assinatura do grupo. O primeiro single do álbum, “Way Back”, é um número G-funk e R&B com participação de Snoop Dogg.

Uma faixa cativante que parece ter sido tirada diretamente dos álbuns “CrazySexyCool” (1994) e “FanMail” (1999). A nostalgia realmente domina “Way Back”, mesmo que possua uma versão estendida redundante no final do álbum. Ela combina sintetizadores com múltiplas referências a lendas musicais: “Como o Prince e Marvin Gaye / Como o lado do Sul, no domingo / Algumas coisas não mudam nunca / Sim, você e eu / Porque nós voltaremos / James Brown e Michael Jackson / Como as festas do ensino médio deles / Algumas coisas não mudam nunca / Sim, você e eu / nós devemos pegar o caminho de volta”. Enquanto Chili e T-Boz têm vocais incríveis, Snoop Dogg desliza com suas rimas perfeitamente. O groove e o ritmo são muito atraentes e produzem um retrocesso infeccioso de G-funk. Em seguida, “It’s Sunny” desencadeia um humor exuberante e alegre, graças a combinação de ritmos e vocais de fundo. Enquanto isso, o segundo single, “Haters”, é um eletropop que reafirma a mensagem de autoconfiança de “Unpretty”. Da mesma forma, “Perfect Girls” também inspira-se em “Unpretty” ao reiterar o fato de que “garotas perfeitas não são reais”. TLC traz à tona pontos sobre auto-estima que sentem-se muito honestos neste momento de suas vidas.

A melancolia de “Perfect Girls” é liderada por uma guitarra acústica, enquanto a forte batida eletrônica soa ameaçadora. “Interlude”, por sua vez, é uma faixa intrigante porque mostra uma entrevista de Left Eye. Provavelmente, essa foi a forma que T-Boz e Chilli encontraram para homenagear a antiga integrante do grupo. Mais tarde, “American Gold” faz uma combinação de pop-rock e hip-hop de uma forma surpreendentemente eficaz, antes de “Scandalous” revelar um relacionamento de amor e ódio ente um casal. Essa faixa possui uma mistura de baixo, batidas e sintetizadores que só TLC poderia fazer. “Aye Muthafucka”, por sua vez, apresenta sons dançantes em meio a uma melodia muito atrativa. É um número muito forte em seus sentimentos de desgosto, enfatizado pelos bons vocais de T-Boz e Chilli. Em suma, “TLC” é um álbum que exibe o grupo da forma que conhecemos, mas também nos mostra um lado que não tínhamos visto antes. Embora não abra novos caminhos para a dupla, oferece um retorno sólido que deve ter agradado todos os fãs de longa data. Em suma, o álbum cumpriu as expectativas e foi uma excelente maneira de fechar com chave de ouro o legado do TLC.

Favorite Tracks: “Way Back (feat. Snoop Dogg)”, “It’s Sunny” e “Haters”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.