Resenha: Tessanne Chin – Count On My Love

Lançamento: 01/07/2014
Gênero: Pop, Soul, Reggae e R&B
Gravadora: Republic Records
Produtores: Jerry “Wonda Duplessis, Willy Chin, Stargate, Chuck Harmony, Mark “Exit” Goodchild, MadMen Productions, Mitchum “Khan” Chin, The Supa Dups, Johann Seaton, Terry “Maddscientist” Thomas, Jevon “BabyBoy” Hill, Ricardo Rameshwar, Shaun Pizzonia aka Sting International, Toby Gad e Peter Stengaard.

A jamaicana Tessanne Amanda Chin, nascida em Kingston, foi a vencedora da 5ª temporada do “The Voice” estadunidense, transmitido pela NBC. Ela abriu sua participação no programa cantando “Try” da cantora P!nk e ganhou fazendo parte da equipe de Adam Levine. Tessanne foi apresentada a música em uma idade muito precoce por seus pais. Pois sua mãe era a trompetista e cantora da banda The Carnations, ao passo que seu pai era o baterista. A família, inclusive, tem um estúdio de gravação dentro de sua casa na Jamaica. Tessanne começou a tocar quando tinha apenas 6 anos de idade em uma das principais escolas de artes do país. Seu álbum de estréia por uma grande gravadora (Republic Records) foi lançado em 01 de julho de 2014 e se chama “Count On My Love”.

Por conta de um apoio promocional limitado da sua gravadora, o álbum vendeu apenas 7 mil cópias e estreou em #41 na Billboard 200 em sua primeira semana. Terminou por ser a pior estreia de um vencedor do “The Voice”, ficando atrás até de Javier Colon que vendeu quase 10 mil cópias em 2011. As dez músicas do repertório mostram claramente o grande alcance vocal de Tessanne, além de serem bem melodiosas e visivelmente maduras. Os fãs da cantora podem ter si perguntado, antes do lançamento do álbum, qual a sonoridade que ela adotaria para o registro e felizmente ela manteve a graça e alma que a tornou conhecida. É um esforço pop e soul maduro, que mergulha na combinação com outros gêneros como o reggae e R&B. Há faixas mais agitadas e baladas sobre o amor e desgosto, construídas em torno da clareza e robustez da voz de Chin.

No entanto, também notamos que o álbum não é arriscado e entrega letras, muitas vezes, cheias de chavões e clichês. Jogar pelo seguro é normal para um álbum de estreia, o problema é que pode levar o registro a ser facilmente esquecido. Porque vencer um reality show como The Voice, American Idol ou The X-Factor, não se traduz necessariamente em fazer sucesso comercial e, aparentemente, Tessanne Chin é outra que descobriu essa dura verdade. O álbum teve produção de pessoas muito experientes e conhecidas na indústria, como por exemplo, Ryan Tedder do OneRepublic, que escreveu canções de sucesso como “Apologize”, “Halo” e “Counting Stars”. Também ajudou com escritas a renomada compositora americana Diana Warren, Claude Kelly e Chucky Harmony.

Tessanne Chin

“Tumbling Down” abre o álbum, uma bela canção com intervalos sinceros e uma suave melodia. Foi co-escrita por Ryan Tedder e performada na noite em que Chin foi anunciada como vencedora. É uma balada ligeiramente pop, que foi lançada como primeiro single e adequou-se bem ao vocal de Tessanne Chin. Aqui ela disserta sobre um relacionamento conturbado e em vez de se vingar do seu ex-namorado, opta por resolver as questões e remover suas dúvidas. Sua voz é reconfortante e determinada e vai contra as agitadas guitarras do refrão. Relacionamentos é um tema comum na maioria das faixas e assim ela consegue brilhar novamente na canção “Everything Reminds Me of You”. É um pop-rock bem cativante, com letras simples e uma percussão contundente a conduzindo. A sua produção de fato mostra a energia crua de Tessanne Chin e o lado mais feroz de sua postura como vocalista.

A faixa-título, “Count On My Love”, é uma balada reggae que mostra perfeitamente as raízes de Tessanne. É uma canção de amor, doce, bem arejada, que nos lembra que apesar dos problemas você sempre pode contar com a pessoa amada. A linha, “Don’t you worry cause worries are just going to make this hard”, reforça a solidez dessa pista, que ainda tem um grande apelo e cara de canção que toca no verão. “Always Tomorrow” é uma música de R&B tingida de reggae, mas com uma vibe menos forte que a anterior. Aqui Tessanne entrega mensagens de amor pacíficas, sem ser sugestiva ou com duplo sentido, pelo contrário, é uma canção bem elegante. “Lifeline” é certamente um dos destaques do disco, apresentando muito bem as qualidades emotivas dos vocais de Tessanne.

Tessanne Chin

É uma balada lenta, suave, soulful, com uma guitarra e bateria hipnóticas. Com a produção rítmica constante, sua voz sobe no refrão e realmente brilha ao transmitir uma atmosfera sensual. Uma canção verdadeiramente bonita e emocional, que consegue canalizar a vibe esperançosa de sua letra. Igualmente sincera, temos a faixa “I Heart U” onde a realidade das pessoas em relacionamentos é enfrentada com dignidade. Sonoramente, essa também é jogada com o reggae, outra faixa com um sabor doce e ideal para o verão. “Loudest Silence”, sétima faixa, é uma balada cinematográfica sobre um relacionamento em apuros que bate no emocional do ouvinte. Sua letra é realmente agridoce, mas sem ser exagerada, é apenas Chin em um ambiente intimista.

“Heaven Knows” é mais up-tempo e tem a assinatura reggae igualmente as faixas anteriores. É uma canção que ainda inclui linhas de órgão, acordes de guitarra e um sotaque encantador. Em seguida, o álbum desacelera novamente com a faixa “People Change”, que possui uma introdução acústica e melodias soulful. É uma canção realista, que retrata algo que muitas pessoas tem medo: a mudança. É um bom conceito, porque faz uma transição adequada para a última faixa do álbum. Por sua vez, “One Step Closer” é uma surpresa para o registro, visto que ela assume uma vibe reggae combinada com EDM e dubstep. É uma boa combinação, porque não há dancehall incorporado no seu arranjo, apenas uma energia extra. O único problema, embora não seja uma música ruim, é que ficou muito deslocada por ser uma tentativa frustrada de produzir algo pronto para as rádios.

Vocalmente, Tessanne Chin é uma potência e durante sua passagem pelo “The Voice” nunca deixou de impressionar. E aqui no álbum suas habilidades não decepcionam por um segundo, as músicas conseguem mostrar o quanto ela é talentosa. Na verdade, a voz de Tessanne Chin é a melhor razão para ouvir esse registro. Mas “Count On My Love” não deixa de ser um esforço sólido, com uma boa vibração reggae consistente e constante. Pelo menos metade das faixas aqui são cativantes e fornecem melodias agradáveis. Agora, por que o álbum vendeu tão mal? O marketing e eventos promocionais são fundamentais na indústria de hoje, onde o sucesso é fortemente concorrido. Portanto, Tessanne Chin precisa de uma equipe de gestão forte e eficaz o suficiente que saiba comercializá-la corretamente para o público que consomem música pop. Ela tem uma voz incrível, isso já sabemos, mas no mundo de hoje isso infelizmente não é o suficiente.

62

Favorite Tracks: “Tumbling Down”, “Everything Reminds Me of You”, “Count On My Love”, “Lifeline” e “Heaven Knows”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.