Resenha: Stormzy – Gang Signs & Prayer

Lançamento: 24/02/2017
Gênero: Hip-Hop, Grime, R&B
Gravadora: Warner Music Group / ADA
Produtores: Stormzy, Fraser T. Smith, 169, E.Y Beats, Mura Masa, Sir Spyro, SOS, Sunny Kale, Swifta Beater, Wizzy Wow e XTC.

Desde que ganhou o MOBO Awards, Stormzy começou a receber vários elogios, além de ser nomeado para o BRIT Awards de 2017. Os singles “Not That Deep” e “Know Me From” o levou para o mainstream e garantiu-lhe muitos fãs. Mais tarde, ele lançou o seu primeiro álbum de estúdio, intitulado “Gang Signs & Prayer”, uma interessante coleção de dezesseis faixas. Do início ao fim, este álbum dá ao ouvinte uma visão profunda das lutas que Stormzy enfrentou ao crescer no sul de Londres. Sua música é atada com referências à gangues, crimes, drogas e mulheres. Mas, além disso, Stormzy também foca muito na religião, tanto que a capa do disco é uma versão obscura da Santa Ceia, conforme ele aparece no cento da mesa cercado por discípulos mascarados. “Gang Signs & Prayer” é um álbum tão agressivo quanto suave, definido por suas reflexões pessoais e baladas influenciadas pelo gospel. Há também uma série de convidados e produtores cuidadosamente escolhidos. Embora produzido de forma executiva por Fraser T. Smith, Stormzy também recrutou o veterano Sir Spyro para produzir duas das melhores faixas. Uma destas faixas é o primeiro single “Big for Your Boots”, uma canção comercial com uma batida agressiva que gira em torno de 140 bpm. Ela possui um refrão sinuoso, com apoio de um baixo, e flui através de um ritmo implacável. Embora seja mais conhecido por “Shut Up”, Stormzy mostra maiores sinais de amadurecimento em “Big for Your Boots”.

Uma canção imensamente pegajosa e com uma grande carga de energia. A maneira como ele tece sob às batidas é estranhamente mainstream. O refrão repetitivo de “Big for Your Boots” refere-se constantemente a alguém sendo “muito grande para suas botas”. Stormzy aproveita para depreciar tal pessoa, dizendo: “Tenho o tamanho grande em meus pés / Seu rosto não é muito grande para minhas botas”. Mais do que qualquer outro artista desta geração grime, Stormzy parece ser aquele mais interessado em fazer um trabalho artístico. Além do grime, “Gang Signs & Prayer” também foca em muitos clássicos do hip-hop americano. Stormzy já provou que pode criar bangers em potencial, por isto temos muitas faixas dessa natureza ao longo do álbum. Ele pode não ser o melhor letrista grime do momento, mas sua versatilidade significa muito. A primeira faixa, “First Things First”, começa com um som apropriado de uma tempestade, que acaba criando um cenário dramático dado o tema da letra. Aqui, Stormzy aborda um assunto muito mais difícil do que o habitual, ao falar brevemente sobre sua depressão. A lenta batida e melodias emocionais ditam o humor desta canção. No decorrer do registro encontramos algumas surpresas agradáveis, como o R&B soulful “Velvet / Jenny Francis (Interlude)”, onde uma vocalista feminina e Stormzy mostram vocais melodiosos e uma entrega suave.

Mais tarde, ele faz um tributo caloroso, vulnerável e encantador para sua mãe em “100 Bags”. Enquanto “Crazy Titch (Interlude)” é particularmente irritante, “Don’t Cry for Me” possui um refrão radiofônico cantando por Raleigh Ritchie. Há também vocais emocionais do cantor MNEK em “Blinded by Your Grace, Pt. 2”, um dos temas devocionais e gospel do álbum. Entretanto, não dá para negar que “Gang Signs & Prayer” também possui alguns pontos fracos. Embora seja aventureiro e louvável, o repertório têm algumas faixas que não conseguem mostrar a força de Stormzy. “Cigarettes & Cush”, com Kehlani, por exemplo, acaba soando forçado, e o mesmo pode ser dito do canto de “Return of the Rucksack”. Os fãs de longa data sabem que ele sempre foi mais do que apenas um artista grime, pois o seu catálogo apresenta alguns sabores de R&B, hip-hop e dancehall. Entretanto, embora seja refrescante ouvir novas coisas à medida que o álbum progride, nem tudo permanece interessante. Dito isto, mesmo com alguns tropeços ao longo do caminho, “Gang Signs & Prayer” é um disco muito bem executado. Stormzy tomou uma abordagem mais ampla com seu primeiro álbum, ao contrário de muitos outros artistas de grime. Ele pode ser considerado a nova força motriz por trás da crescente popularidade deste gênero, visto que conseguiu apelar para uma ampla audiência sem comprometer sua visão.

Favorite Tracks: “Cold”, “Big for Your Boots” e “Shut Up”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.