Resenha: Shawn Mendes – Illuminate

Lançamento: 23/09/2016
Gênero: Pop, Rock, Blues
Gravadora: Island Records
Produtores: Jake Gosling, Teddy Geiger, Laleh Pourkarim, Dan Romer, Scott Harris e Daylight.

Começando sua carreira postando vídeos covers de 6 segundos no Vine, Shawn Mendes provou ter um promissor na música. Mesmo sendo tão novo, com apenas 18 anos ele já conseguiu alguns grandes feitos. No seu segundo álbum de estúdio, “Illuminate”, Shawn Mendes trabalhou com o produtor indicado ao Grammy, Jake Gosling, e a mesma equipe que o ajudou no primeiro álbum, Scott Harris e Teddy Geiger. Uma das primeiras coisas evidentes no “Illuminate” é o quanto Mendes amadureceu desde que lançou o “Handwritten”. Seu segundo álbum também fala sobre o amor, mas Mendes explora seus sentimentos de forma mais aberta e crua. Liricamente, não há dúvidas de que “Illuminate” é um registro muito mais profundo. O jovem cantor canadense canta sobre esperança, otimismo, perdas, questões sociais e desgostos amorosos no decorrer de 12 faixas. Sua performance vocal, bem como suas composições, melhoraram notavelmente nesse álbum. A emoção em sua voz é bastante evidente em quase todas as canções, enquanto ele explora o melhor do seu alcance vocal. Sonoramente, o álbum não afasta-se muito do som esculpido pelo cantor em sua estreia. Shawn Mendes ainda esconde-se atrás de uma guitarra acústica, onde certamente sente-se muito confortável. Dito isto, em alguns momentos essa previsibilidade não deixa sua criatividade fluir.

Felizmente, com este álbum ele mergulhou muito mais fundo em suas habilidades de composição e vocais. Sem dúvida, sua voz está mais tocante e emotiva. No geral, “Illuminate” oferece um repertório que varia entre baladas e faixas mais energéticas, como o primeiro single “Treat You Better”. Nesta canção, o canadense mantém o seu dom para melodias cativantes sobre uma afiada guitarra. Liricamente, “Treat You Better” é introspectiva e apresentada na mesma veia de “Life of the Party” e “Stitches”. Da mesma forma, não soa muito diferente de “I Know What You Did Last Summer” e boa parte do álbum “Handwritten”. “Eu não vou mentir para você / Eu sei que ele não é certo para você / E você pode me dizer que estou enganado / Mas eu vejo em seu rosto”, ele canta sobre um arranjo despojado. Essa breve introdução, rapidamente, mostra para o ouvinte o tema da música. É um número que toca em alguns clichês líricos e oferece um tema repetitivo. No geral, aborda um assunto muito comum em canções deste gênero. Mas, “Treat You Better” deve ter agradado os maiores fãs de Shawn Mendes, uma vez que permaneceu fiel ao material apresentado no “Handwritten”. Mais tarde, no refrão, o cantor diz que pode tratar uma garota melhor do que o cara que ela está ficando: “Eu sei que posso te tratar melhor do que ele / E qualquer garota como você merece um cavalheiro / Me diga por quê estamos perdendo tempo”.

Sonoramente, “Treat You Better” começa com um alucinante dedilhado de guitarra acústica. A progressão de acordes é reminiscente do seu material, enquanto emite uma sensação tropical e ensolarada. É uma música sutil, que soa muito agradável. Na minha opinião, é o seu single mais pegajoso já lançado. As letras são simples, mas o refrão é grudento e perfeito para o verão. A faixa de abertura, “Ruin”, dá o tom para o álbum como um todo, uma canção reminiscente de John Mayer. Possivelmente, Mendes foi inspirado pelo disco “Continuum” de Mayer, quando começou a gravar o “Illuminate”. Ao ouvir esta canção, ficou evidente que o cantor atingiu um som mais maduro e conteúdo lírico mais introspectivo. É uma música incrível em sua composição, com uma entrega vocal que reforça o poder das letras emocionais. Pode ser considerada uma verdadeira exposição da sua maturidade recém-descoberta. Shawn canta sobre um desgosto de alguém que amou e perdeu. É uma canção com um sabor rock, uma guitarra emotiva e voz além da sua idade. Embora seja um começo lento para o álbum, “Ruin” absolutamente funciona. “Mercy”, o mais novo single, destaca-se como a faixa mais rock do repertório. Ela possui incríveis riffs de guitarra e coloca Shawn Mendes novamente na mesma veia de John Mayer. O cantor mostra que sabe escrever letras emocionais e capturar a atenção do ouvinte com belas melodias.

Dessa vez, além de emotivos, seus vocais estão num tom quase agressivo. Inicialmente, antes da linha de guitarra, a música apresenta suaves acordes de piano. A construção da lenta melodia, os acordes de piano e a linha de guitarra elétrica, são acompanhados por uma percussão recorrente. O refrão é bem cativante e incorpora totalmente as emoções de um amor não correspondido. A quarta faixa, “Three Empty Words”, aborda o rompimento entre duas pessoas apaixonadas. Depois da intensidade de “Treat You Better”, esta canção traz uma produção mais crua, que permite Shawn Mendes brilhar vocalmente. Uma balada com uma vibração tropical e um lindo violão a conduzindo. Apesar do nítido contraste entre musicalidade e letras, o suave violão e a voz calmante de Shawn Mendes são adoráveis. A bela “Don’t Be a Fool” é uma canção honesta e bluesy, onde Shawn Mendes coloca todos os seus sentimentos para fora. Aparentemente, a fama teve efeito sobre sua vida pessoal, porque a letra fala sobre não poder ficar com uma garota devido ao seu estilo de vida. Sob algumas notas de blues, “Don’t Be a Fool” impressiona pela honestidade e musicalidade sonhadora. O uso pesado da guitarra, em alguns momentos, ajuda faixas com base no piano, como “Like This” e “Understand”. “Like This”, por exemplo, apresenta uma das performances vocais mais fortes do álbum.

Uma canção de amor, com sensação gospel e uma grande energia emocional. Fechar o registro com “Understand” foi, sem dúvida, um movimento genial. Apesar de não ser a canção mais original ou criativa, não podemos deixar de apreciar a mensagem por trás dela. “Understand” aborda temas como identidade, falando sobre crescer e permanecer fiel a quem você é. Aqui, encontramos letras como: “E toda vez que me pergunto / Será que estou me tornando outra pessoa? / Estou orando para não esquecer de quem eu sou / Eu realmente quero entender”. Na metade da música ainda temos um monólogo com palavras faladas que, apesar de interessante, soa um pouco clichê. Sonoramente, “Understand” é uma balada construída na guitarra com grande reforço do piano. “No Promises”, por sua vez, nos apresenta um refrescante componente rítmico entre camadas de percussão e guitarra. É uma canção com alguns elementos de R&B, eletrônica e um sulco incrivelmente pegajoso. Além disso, Shawn ainda nos dá um pequeno vislumbre do seu falsete. Certamente, uma coisa que destaca-se nesse álbum é o conteúdo lírico mais maduro. Em faixas como “Lights On”, temos letras como: “Eu quero te amar com as luzes acesas / Te manter acordada a noite toda / Querida, eu quero ver cada centímetro do seu corpo / Eu me perco na maneira como você se mexe”. “Lights On” é provavelmente a canção mais madura que ouvimos no álbum até agora.

Felizmente, o contexto sexual das letras e a entrega sensual dão um ar refinado para a música, em vez de soarem desconfortáveis. Mais tarde, na faixa “Honest”, Shawn Mendes nos apresenta novamente seu suave falsete. Uma canção mid-tempo com letras sinceras e uma entrega mais rápida. Ela possui um ar mais otimista e tom confessional, sob uma sutil percussão e linha de guitarra. Em “Patience” o cantor nos apresenta uma das melodias mais cativantes do álbum. Aqui, ele despeja toda a sua frustração, ao falar sobre uma garota indecisa. As harmonias são ligeiramente alegres e o refrão muito atrativo. “Bad Reputation” é outro exemplo da crescente maturidade do jovem cantor. Uma lenta balada sobre estar apaixonado por alguém e não se importar com o que outros pensam. Ela é embalada com o seu som de assinatura, um grande piano e melodia encantadora. No geral, “Illuminate” tem bastante potencial. Shawn Mendes mostrou que cresceu ao longo dos últimos 18 meses e traduziu isso em sua música. A maturidade do cantor é notável em todo o repertório, não só no som, mas também nos temas explorados nas letras. Seu amadurecimento, como cantor, compositor e pessoa, refletiu da melhor maneira possível. Conteúdo maduro, guitarra afiada e ótimas melodias foram complementos que fizeram o álbum exceder expectativas. Ao mostrar sua maturidade, Shawn Mendes criou um álbum realmente sólido.

70

Favorite Tracks: “Ruin”, “Mercy” e “Treat You Better”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.