Resenha: Shania Twain – Now

Lançamento: 29/09/2017
Gênero: Country, Pop, Rock, Soft Rock, Reggae, Soul
Gravadora: Mercury Nashville
Produtores: Ron Aniello, Jake Gosling, Jacquire King, Matthew Koma e Shania Twain.

Ao longo da década de 90 e início dos anos 2000, Shania Twain era quase incomparável. O seu reinado na música country e pop foi catapultada por uma série de singles de sucesso, incluindo “You’re Still the One”, “From This Moment On”, “That Don’t Impress Me Much” e “Man! I Feel Like a Woman!”. Ela é uma das artistas femininas mais vendidas da história da música. Com mais de 40 milhões de cópias vendidas, o seu terceiro álbum de estúdio, “Come On Over” (1997), é o disco feminino mais vendido de todos os tempos. Essa grande estrela mundial retornou no dia 29 de setembro de 2017, com um novo disco intitulado “Now”. Shania Twain esteve relativamente ausente do cenário musical desde o final dos anos 2000, quando se divorciou de Mutt Lang e enfrentou uma complicação da doença de Lyme. O seu retorno à música começou com uma residência em Las Vegas entre 2012 e 2014, e continuou com uma suposta turnê de despedida em 2015. Quinze anos depois, ela finalmente retornou com um novo álbum, assumindo o papel de única compositora pela primeira vez. O seu último disco, “Up!” (2002), definitivamente representou um ponto de viragem em sua carreira. Foi o pico da paixão de Twain por pontos de exclamação nos títulos de suas músicas. Poucos artista poderiam deixar a indústria por tanto tempo e retornar em forma tão refinada.

Anteriormente, Shania Twain quebrou barreiras e tornou-se a artista country mais bem sucedida de todos os tempos. Agora, quinze anos depois, ela prova sua relevância na música moderna lançando um disco totalmente escrito por ela. Enquanto ela navega por faixas country e baladas cativantes, a produção foi ajustada por nomes como Ron Aniello, Jake Gosling, Jacquire King e Matthew Koma. O álbum abre com “Swingin’ with My Eyes Closed”, uma canção divertida e autêntica que, inesperadamente, possui elementos de reggae combinados com instrumentação country e riffs de guitarra infecciosos. Enquanto “Home Now” é conduzida por violões, banjos e foca nas raízes de Twain, “Poor Me” é uma ode momentânea direcionada para um parceiro traidor. Quando a cantora foca em sua fórmula pré-concebida no passado, apresenta o seu melhor. “Who’s Gonna Be Your Girl”, por exemplo, faz uma perfeita mistura da sensibilidade country com a sedução da música pop. Em contrapartida, “Light of My Life” possui uma combinação estranha de elementos da década de 60 com harmonias levemente sensuais. Ao passo que “I’m Alright” é uma canção liricamente amarga, “More Fun” não soa bem como a festa desenfreada indicada pelo título. Ela possui leves toques jazzy, teclas de piano e letras como: “O fim de semana aqui e tudo o que queremos fazer é ficar juntos / Ficar um pouco louca e esquecer o que acontece depois”.

Aqui, ela nos leva para um cenário country-pop e injeta um pouco de nostalgia ao álbum. Faixas como a melancólica balada “Roll Me on the River” demonstra um estilo de escrita mais sofisticado e maduro. Mergulhada em cativantes sons do sul dos Estados Unidos, esta canção apresenta poderosos tambores e algumas belas cordas. A próxima faixa, “We Got Something They Don’t”, fornece instrumentos de metal e um tema otimista sobre como transformar sua vida depois de tempos difíceis. É um tema frequentemente ouvido no decorrer do álbum, além de ser muito apropriado para uma pessoa como Shania Twain. Após o cativante primeiro single, “Life’s About to Get Good”, o repertório encerra com a evocadora balada “Soldier”. Uma canção que captura perfeitamente o poder e emoção de sua voz. É uma canção sentimental, patriótica, orquestral e enriquecida por um piano com letras como: “Alguém viu meu soldado / Parado sozinho? / Alguém viu meu soldado? / Apenas tentando chegar em casa?”. Quando um artista libera um novo álbum após tanto tempo longe da indústria, há muitas expectativas ligadas ao seu retorno. Felizmente, Shania Twain provou que o tempo não passou para ela. “Now” possui suas falhas, principalmente quando opta pela experimentação. Entretanto, é um registro elegante e atrevido sobre celebrar as alegrias da vida. Ademais, é um testemunho da sua proeza vocal e talento natural para a escrita.

Favorite Tracks: “Swingin’ with My Eyes Closed”, “Life’s About to Get Good” e “Soldier”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.