Resenha: Romeo Santos – Fórmula, Vol. 2

Lançamento: 25/02/2014
Gênero: Pop Latino, Bachata, R&B
Gravadora: Sony Music
Produtores: Romeo Santos e Ivan Chevere.

Anthony Santos, conhecido profissionalmente por Romeo Santos, é o ex-vocalista do grupo Aventura, que com seus sucessos foram figuras-chave na popularização do gênero Bachata. Depois de lançar vários álbuns, o Aventura se desfez e todos seguiram seus caminhos separados. Desde então, Romeo Santos embarcou em carreira solo e em três anos já lançou dois álbuns de estúdio, entre eles, o “Fórmula, Vol. 2” (2014). O álbum foi precedido pelo sucesso de seus dois primeiros singles, “Propuesta Indecente” e “Odio”, ambas entraram na Billboard Hot 100 dos Estados Unidos, atingindo os números #79 e #45, respectivamente. O álbum estreou no número #5 da Billboard 200, vendendo 85 mil cópias em sua primeira semana. Tornou-se, dessa forma, o álbum latino com o melhor debut dentro dos Estados Unidos desde o álbum “Celestial” do grupo RBD, que em 2006 vendeu 137 mil cópias na primeira semana.

O registro contém 20 faixas e conta com participações do comediante Kevin Heart, do grande guitarrista Carlos Santana, do rei da salsa Marc Anthony, do porto-riquenho Tego Calderón e dos rappers Drake e Nicki Minaj. Romeo Santos não é conhecido como o rei das baladas românticas dominicana à toa. Suas canções costumam ser bem sinceras, profundas, fortes e expressivamente chorosas. E, embora seja apenas o seu segundo trabalho solo, o disco conta com muitas colaborações de peso, o que mostra o quão longe o alcance de suas músicas já chegou. Ele confiantemente flerta com outros gêneros no álbum, incluindo R&B, hip hop, reggae, tango e dancehall. Mas em um contexto geral, ele nunca oscila muito longe do seu gênero central. A bachata, que nasceu na República Dominicana, centra-se em ritmos de guitarra com contos de romance, lealdade, desgosto, decepção e desespero. Romeo Santos, agora com 33 anos, possui um vocal distinto, de um grande galã latino, é doce, pegajoso e também oferece algumas doses de maldade em números mais envolventes.

O cantor quando está no palco sempre canta a plenos pulmões, e costuma exalar muito carisma durante suas apresentações. Atualmente, ele está reinando no cenário pop latino e tem sido o artista mais sucedido desde que deixou o extinto quarteto Aventura em 2011. A proporção que os videoclipes de suas músicas conseguiram no YouTube, por exemplo, é espantoso e espetacular. “Propuesta Inocente” e “Eres Mía” já ultrapassaram a marca de 500 e 140 milhões de visualizações em seu canal, respectivamente. Ele costuma cantar com um falsete levemente nasal, que sobe de forma dolorosa e doce, o que marca fortemente o ritmo saltitante de suas canções. Após uma introdução, ao lado do comediante Kevin Hart, Romeo Santos nos apresenta a faixa “Inocente”. Aqui, o cantor joga o ouvinte para a profundidade de sua arte, em uma canção tingida de flamenco e uma ternura sensual. A terceira faixa, “Necio”, é sublime, onde Carlos Santana brilha com cada pausa de sua guitarra. O guitarrista consegue combinar o rock ocidental e o pop latino-americano com extrema facilidade.

Romeo Santos

“Amigo” possui um bom floreio pop em uma produção adequada e uma boa letra. Geralmente, a maior parte das músicas pop de hoje são constituídas de um refrão e uma ou duas pontes, mas aqui, Santos também forneceu um arco narrativo. O cantor, suavemente, mas com firmeza, informa o seu amigo que sua esposa está traindo ele. “Cancioncitas de Amor”, terceiro single do álbum, é provavelmente a faixa mais cativante e atraente. Letras como: “Desde hoy las emisoras las detestos / Por estar sonando cancioncitas de amor” e “Los horoscopos me mienten / Y la bola de crystal / He perdido la esperanza”, praticamente fazem o ouvinte querer apaixonar-se por uma mulher que fala espanhol. “Eres Mía”, quarto single, é extremamente graciosa e escorregadia, enquanto a surpreendente “Odio”, com Drake, pode ser considerada a melhor música do álbum. Essa merece elogiois, principalmente por desviar-se, mesmo que levemente, do ritmo bachata que domina completamente o repertório.

Foi um sucesso nas rádios latinas, permanecendo 17 semanas não-consecutivas no topo da parada Hot Latin Songs da Billboard. Por outro lado, a canção “Hilito”, a salsa de “Yo También” com Marc Anthony e o dance-pop de “Obra Maestra”, não convencem. Todas essas são faixas extremamente exaustivas, usam uma sonoridade cansativa e fazem você querer tirar uma bela de uma soneca. “Fui a Jamaica”, por sua vez, é uma mudança bem-vinda, porque consegue dar outro rumo para o álbum, enquanto o primeiro single e grande hit, “Propuesta Indecente”, seduz e faz você querer dançar. “No Tiene la Culpa” é uma bachata pró-LGBT, um número doce e com uma boa mensagem, onde o cantor fala sobre o ódio e intimidação em favor de aceitar todos como exatamente são. “Animales”, com Nicki Minaj, é outro destaque do álbum, que me fez imaginar com antecedência como a rapper iria se adaptar ao estilo de Romeo Santos.

Por sorte, sua adaptação foi muito boa ao oferecer um verso bastante sexy sob uma canção pop e dancehall. Infelizmente, as faixas “7 Días”, “Si Yo Muero” e “Gone Forever”, são uma chatice sem fim, uma sequência de canções sonolentas e totalmente descartáveis. Nesse final de disco a única música que ainda consegue dar uma animada é “Trust” com Tego Calderón. A estrela do reggaeton aparece junto de Santos em uma divertida faixa, que apresenta o EDM ao ritmo bachata e acelera as coisas um pouco. No geral, o “Fórmula, Vol. 2” contém 20 longas canções onde, em quase todas, escutamos praticamente a mesma sonoridade, fazendo o disco tornar-se extremamente enjoativo de se ouvir. Romeo Santos é talentoso, trouxe colaborações que ressaltam sua reputação como estrela pop e, quando ouvimos uma ou duas músicas do registro separadas, até soa agradável. Porém, escutar o álbum inteiro várias vezes não é animador. Se ele variasse o ritmo das canções, as letras ou os instrumentais, conseguiria fazer um trabalho mais dinâmico e com um maior alcance.

50

Favorite Tracks: “Odio (feat. Drake)”, “Animales (feat. Nicki Minaj)”, “Propuesta Indecente” e “Trust (feat. Tego Calderón)”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.