Resenha: Prince & 3rdeyegirl – Plectrumelectrum

Lançamento: 30/09/2014
Gênero: Rock, Funky
Gravadora: Warner Bros.
Produtores: Prince e 3rdeyegirl.

“PLECTRUMELECTRUM” foi o outro álbum de Prince lançado em 2014 e no mesmo dia que “Art Official Age”. Esse foi lançado em conjunto com a banda de rock 3RDEYEGIRL, constituído pela guitarrista canadense Donna Grantis, baterista americana Hannah Welton e a baixista dinamarquesa Ida Kristine Nielsen. O álbum estreou em #8 na Billboard 200 vendendo cerca de 26 mil cópias em sua primeira semana nos Estados Unidos. Esse disco representa uma partida mais intrigante, mesmo que também volte ao passado do astro, fazendo uma conexão corajosas. Prince é um talento singular e toca vários instrumentos e, juntamente, com sua banda de apoio, totalmente feminina, forneceu outro forte registro. O grupo 3RDEYEGIRL é muito talentoso, todas demonstram habilidades incríveis com seus respectivos instrumentos.

E Prince nem precisa de mais uma longa introdução, afinal, o cara já vendeu milhões de discos, já ganhou 7 Grammy Awards, 1 Óscar, está introduzido no Hall da Fama do Rock & Roll e já foi classificado por diversos veículos de informação como um dos 100 Maiores Artistas de Todos os Tempos. Ou seja, “PLECTRUMELECTRUM” já tinha todos os requisitos para ser outro ótimo álbum, antes mesmo do seu lançamento. Diferente do “Art Official Age”, esse é um registro de rock e funky, é mais pesado, possui muitos efeitos sonoros e um senso de humor característico da estranheza de Prince. Há canções fantásticas aqui e ainda guitarras praticamente nos moldes do eterno Jimi Hendrix. Todas as faixas foram gravadas ao vivo e a seção rítmica da banda 3RDEYEGIRL forneceu uma base sólida, energia e muito poder. Elas são despojadas, possuem um som cru e aproveitaram bem a oportunidade que tiveram em gravar um álbum em conjunto com Prince.

A presença das garotas inspirou ainda mais o cantor, como ouvimos em alguns dos seus imponentes solos em “PLECTRUMELECTRUM”, a faixa-título instrumental. Mas o álbum começa com um número bombástico, intitulado “WOW”, que rapidamente rompe com uma guitarra dedilhada gentilmente. Essa música tem um grande ritmo e a banda 3RDEYEGIRL prova aqui o quanto é uma banda digna. A abordagem vocal de Warfield é selvagem e desenfreada, enquanto, por outro lado, o vocal de Prince está mais moderado. “PRETZELBODYLOGIC” é um número sólido totalmente influenciada por Prince, que auxilia para o álbum ter um começo promissor. É simplesmente muito divertida, a batida, o riff, o baixo, tudo ficou realmente bacana. Em seguida, a baterista Hannah assume os vocais na faixa “AINTTURNINROUND”. Ela é uma cantora decente e convincente, mas como um todo a música não é um destaque.

Prince & 3rdeyegirl

Em contrapartida, “WHITECAPS” é um dos grandes destaques do registro, uma gentil e discreta balada com uma linda instrumentação. É Hannah que assume os vocais novamente aqui e, junto de Prince, fez realmente uma bela jogada. O instrumental, com uma suave guitarra, ainda consegue captar a ideia por trás das letras. Em “FIXURLIFEUP”, Prince aconselha: “Não se preocupe com o que a multidão / Apenas se preocupe em ser bom no que você ama / Não faça isso complicado”. Essa foi lançada como single em maio de 2013, bem antes do lançamento oficial do álbum e, além de ter Prince nos vocais, tem muita, mas muita guitarra em sua composição. “BOYTROUBLE” é uma canção muito funky, mas também flexionada para o hip hop. Aqui, temos uma introdução falada e curiosamente um rap que lembra Left Eye (ex-TLC). Já em “STOPTHISTRAIN”, um número mid-tempo, temos uma leve influência do reggae e um dos conteúdos líricos mais fortes e interessantes do álbum.

“ANOTHERLOVE”, nona faixa, é uma pista estrondosa e absolutamente fantástica, com um vocal e guitarra que parecem ser movidos com a alma. Prova ser um dos destaques do álbum, talvez até porque soa mais como Prince, um recurso que está presente nas melhores faixas do disco. É um intrigante retrabalho de “Another Love” de Alice Smith, que está presente no álbum “She”. A reformulação de Prince ficou realmente completa musicalmente. A sua guitarra consegue puxar para fora toda a raiva e mágoa que transmite a sensação de uma música verdadeiramente honesta. “TICTACTOE”, por sua vez, é uma ranhura relaxante e soulful com vocais fáceis, que desmentem a agressão contido por trás das letras. É uma música que cresceu muito rápido em mim, porque soa fresca e ainda assim é muito simples. A penúltima faixa, “MARZ”, acena para um som pesado e quase punk, falando sobre crianças morrendo de fome e o atual estado do mundo. É uma música muito curta, com apenas 1:48 segundos de duração, porém, é doce e boa.

Assim como o álbum “Art Official Age”, esse registro também possui a faixa “FUNKNROLL”, a única a aparecer em ambos os álbuns, sendo aqui a versão gravada ao vivo. “PLECTRUMELECTRUM” parece que pertence ao seu próprio universo, um lugar onde não tem os melhores sons do Prince, mas sim todas as suas torções e excentricidades. Tomando como um todo é um registro muito bom, que celebra o rock e o funky, mas com as peças separadas não seria tão poderoso e tornaria menos interessante. Concluindo, eu particularmente, achei o “Art Official Age” bem superior à esse em parceria com sua banda. Mas o melhor de tudo no “PLECTRUMELECTRUM” é que o Prince aparenta estar se divertido bastante e, provavelmente, seus fãs perceberam isso. E 3RDEYEGIRL são claramente musicistas fantásticas, até porque o Prince não chamaria qualquer pessoa para trabalhar com ele. É perceptivo que elas tem uma compreensão clara de como deve funcionar todas as músicas. Portanto, como um álbum colaborativo entre Prince e elas, este álbum é realmente muito divertido e eu recomendo a qualquer um escutar.

69

Favorite Tracks: “WOW”, “WHITECAPS”, “ANOTHERLOVE” e “TICTACTOE”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.