Resenha: Os Paralamas do Sucesso – Sinais do Sim

Lançamento: 18/08/2017
Gênero: Rock
Gravadora: EMI
Produtores: Mário Caldato Jr. e Os Paralamas do Sucesso.

Desde 2009, quando lançou o disco “Brasil Afora”, Os Paralamas do Sucesso não lançava um novo álbum. Oito anos depois, a banda formada por Herbert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone, divulgou o seu novo projeto, intitulado “Sinais do Sim”. O conjunto formado por onze faixas foi lançado pela EMI em 02 de agosto de 2017. O álbum possui nove faixas em português, uma em inglês (escrita por Herbert Vianna) e uma regravação em espanhol. Os Paralamas do Sucesso já foi uma banda politicamente carregada, entretanto, diferente de antes, eles não estão interessados em fazer qualquer crítica social. Aqui, o trio preferiu focar no amor, motivação e esperança. No entanto, oito anos não foram suficientes para produzir uma material que superasse as expectativas. Portanto, consequentemente, os fãs e público em geral não ficaram tão satisfeitos com o novo repertório. Em menos de 40 minutos de duração, o trio apresenta uma coleção que soa repetitiva e sem inspiração. Eles tentaram retornar às suas raízes da década de 80, porém, falharam no conceito proposto. Os riffs da guitarra de Herbert estão presentes e conseguem injetar alguma força no álbum.

Da mesma forma, instrumentos como o saxofone, sintetizador, contrabaixo, bateria, teclado e trombone também conseguem chamar a atenção. É inegável que Herbert, Bi e Barone são instrumentistas habilidosos e competentes. O problema é que isto não foi suficiente para tornar “Sinais do Sim” em um álbum completamente consistente. A regravação em espanhol de “Cuando Pase el Temblor” e a romântica “Teu Olhar” reforçam o tom otimista que surge em boa parte do álbum. Provavelmente, a única canção com teor político é “Medo do Medo”, algo complementado pela poderosa bateria de Barone e o baixo de Bi Ribeiro. Escrita por Nando Reis, “Não Posso Mais” é uma das poucas canções que conseguem se destacar. Uma música dramática e angustiada, com melodias oitentistas e letras amargas que exploram uma desilusão amorosa. Embora seja sonoramente animada, a última faixa, “Sempre Assim”, não é tão otimista quanto parece. Destaque para o excelente ritmo conduzido por batidas de reggae e ska. Apesar de possui algumas faixas cativantes e coerentes, “Sinais do Sim” não é tão relevante quando poderíamos esperar. Afinal, Os Paralamas do Sucesso tiveram tempo suficiente para aperfeiçoa-lo.

Favorite Tracks: “Sinais do Sim”, “Não Posso Mais” e “Teu Olhar”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.