Resenha: Omarion – Sex Playlist

Lançamento: 02/12/2014
Gênero: R&B
Gravadora: Maybach Music
Produtores: DJ Mustard, Da Internz, Eric Hudson, Monz Logan, Rock City, Tank, L&F, Jevon Hill, Pop & Oak, Swiff D. e D&D.

Para quem não conhece, Omarion é um cantor americano de R&B reconhecido tanto em carreira solo quanto como vocalista do grupo B2K. Em conjunto com Lil’ Fizz, J-Boog e Raz-B, Omarion alcançou o topo da Billboard Hot 100 em 2002 com o hit Bump, Bump, Bump. Enquanto como solista chegou a fazer sucesso com o disco “O”, que rendeu uma indicação ao Grammy Award e gerou o hit “Ice Box” com Timbaland. Omarion também chegou a se aventurar no cinema, com aparição no filme “Entre Nesta Dança” e como dublador em “The Proud Family”. Atualmente, é contratado da etiqueta Maybach Music Group de Rick Rock, que tem com gestão da Roc Nation de Jay-Z. Foi através desse selo que o cantor lançou o seu quarto álbum de estúdio, intitulado “Sex Playlist”, em 02 de dezembro de 2014. O disco estreou em #49 nos Estados Unidos, vendendo 16 mil cópias em sua primeira semana de lançamento.

Segundo dados da Billboard Magazine, “Sex Playlist” já vendeu cerca de 43 mil cópias em território norte-americano. O registro é totalmente R&B, fiel ao seu estilo, lento e uma grande melhoria se comparado com o seu antecessor. Omarion conseguiu trazer um projeto maduro e refinado, em um total de 13 faixas e com participações especiais de Chris Brown, Jhené Aiko e Jeremih. Liricamente, o álbum lida com temas como casamento e amor, mas sem ficar longe de seu lado jovial e senso de diversão. Terminando por ser um retorno bem sólido do cantor no cenário musical. “Sex Playlist é mais sobre a conexão do que propriamente o sexo”, explicou. “Eu sinto que esse é o momento. É realmente sobre o amor. Eu comecei muito jovem e quando eu me desenvolvi, entendi a importância de ouvir”, disse ele em uma entrevista à respeito do seu amadurecimento musical. Quase todas as músicas são realmente sobre amor e/ou sexo, onde podemos perceber o quanto estava apaixonado quando trabalhou nesse álbum.

Ele também aproveitou o disco para lembrar os espectadores como é ser um cantor, pai, filho e um homem que vai através de coisas como qualquer outra pessoa. Podemos ver que esse é seu mais ambicioso trabalho até à data, com cada música mostrando e definindo de alguma forma o humor adequado para diversas situações vividas pelo astro. A faixa-título, “Sex Playlist”, abre o registro e deixa claro que Omarion quer fazer amor. Ele sugere incansáveis premilinares em sua letra, enquanto harmonias exuberantes, estralar de dedos e um solo de sax absolutamente incrível prende a sua atenção. Essa primeira música serviu como uma introdução do que está por vir, definindo perfeitamente o tom do restante do registro. É uma canção profundamente sensual sobre, não apenas o ato sexual, mas também sobre o ato de amar. Em seguida, já temos um dos destaques do repertório, “Post to Be”, que apresenta vocais de Chris Brown e Jhené Aiko, que a co-escreveram ao lado de Omarion.

Omarion

Lançada como segundo single, é uma pista extreamente contemporânea e infecciosa. Produzida por DJ Mustard, a música é um “banger” de R&B e hip-hop, com batidas simples e cativantes ganchos. Além de fazer referências a dinheiro e clubes, ainda contém sample do reggae “Murder She Wrote” (1994) de Chaka Demus & Pliers. “Show Me” é outro ajuste perfeito para o álbum, dispondo da participação do cantor Jeremih. Uma canção lenta, sexy e minimalista, que ainda fornece uma química e carisma incrível por parte de ambos. Aqui, Omarion cai de volta para o estado de espírito estabelecido pela faixa de abertura. É uma música construída lentamente, sobre encontrar a garota certa, com uma série de referências sobre a mulher desejada. É resumidamente uma música que descreve como se tornar instantaneamente apaixonado por alguém. O sexo nessa música não é extremamente vulgar ou exagerado, enfim, nada tão abertamente sexual aponto de estragar a intenção da letra.

A faixa seguinte, “Inside”, particularmente está entre minhas favoritas de todo o álbum. É uma música acerca de Omarion admitir que a mulher tem o poder dentro da intimidade. Uma canção que não usa metáforas em sua letra, sendo facilmente entendida logo no seu início (“You’ve got the power long as you want it / Long as you got me inside”). “Inside” é, talvez, uma das faixas mais sedutoras do álbum, especialmente, devido ao seu ritmo e letra que fizeram uma combinação muito agradável. Já “Steam”, faixa cinco, serviu como uma boa faixa de transição, que ajuda o repertório fluir de uma música lenta para uma up-tempo. “The Only One”, por sua vez, é outra faixa R&B que celebra a luxuria e paixão de poder ver muitas mulheres e escolher uma para levar pra casa. É uma música relaxante e com uma boa vibração old-school que consegue entreter. Com elementos de “Fine China” de Chris Brown, a canção apropriadamente intitulada “Bo$$”, apresenta versos do rapper Rick Ross, que não entregou nada de diferente do que tenha lançado recentemente.

Omarion

A produção up-tempo não vai em direção ao fluxo e tema do álbum, mas serviu como um bom complemento. Em “Work” ouvimos Omarion explorando novas posições com sua amante, que faltou no trabalho para passar um tempo com seu homem (“Girl, you got my permission to take off from work / Tomorrow I’ll commission you”). As batidas de “Work” são muito boas, no entanto, eu achei o seu final um pouco cômico ao soar como um orgasmo, na medida que Omarion fica repetindo os versos: “All I wanna get you in the shower in the water / I’m gonna stay dry with 10000 / All on your body / You’re so ambitious baby”. A faixa “Deeper” possui um bom fluxo, especialmente na primeira metade, lembrando em alguns pontos o seu álbum de estreia. “All up on your shore”, a letra às vezes apresenta versos sem sentido, mas no geral, percebe-se que lida com a preparação de um casal para um nível mais profundo no relacionamento.

“Don’t Leave” é uma música de coração partido que você sempre espera encontrar nos álbuns de R&B. É uma boa canção, bem melancólica, com um tema relacionável e onde Omarion apresenta suas habilidades de rap, mesmo que brevemente. “You Like It”, por sua vez, foi o primeiro single e é, sem dúvida, uma das melhores faixas do álbum. Essa possui amostras do clássico “I Like It” de 1982, do grupo de R&B DeBarge. Aqui, Omarion mostra seu bom alcance vocal ao atingir notas altas com maestria, bem como entregando um falsete arrepiante. Sua letra é centrada em torno de um homem e uma mulher, onde ambos estão infelizes na relação e tendo casos com outras pessoas. A penúltima faixa é “Love & Other Drugs”, um jargão vagarosamente romântico onde o cantor pergunta, “qual é a diferença entre o amor e outras drogas” e depois responde, “porque no fim tudo desaba”.

Ele consegue ser profundo em sua colocação, permitindo ser vulnerável e à mercê do amor de uma mulher da qual está apaixonado. Perfeitamente situada como faixa de encerramento, temos a canção “Already”. Com elementos de inspiração espanhola, bem como jazz, essa música demonstra apreço por seu amor quando ele pinta seu falsete, enquanto declara sua vontade de ter um tempo com sua namorada. Nesta álbum há um crescimento visível na arte e entrega de sua música, pois Omarion consegue mostrar a verdadeira gama do seu estilo vocal. Por causa de tantos atrasos e outros contra-tempos, parecida que o cantor iria lançar um material sem brilho, mas pelo contrário, “Sex Playlist” é um grande álbum de R&B. Definitivamente, o melhor de sua discografia desde o seu trabalho de estreia. Em meio a uma indústria superlotada com músicos em um rumo incerto, Omarion retornou e entregou um registro coeso, com um conteúdo que exala amor, sexo e vulnerabilidade.

66

Favorite Tracks: “Sex Playlist”, “Post To Be (feat. Chris Brown & Jhene Aiko)”, “Inside”, “Don’t Leave” e “You Like It”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.