Resenha: Mike Will Made It – Ransom 2

Lançamento: 24/03/2017
Gênero: Hip-Hop, Trap
Gravadora: EarDrummers Entertainment / Interscope Records
Produtores: Mike Will Made It, Steve “The Sauce” Hybicki, The Eardrummers, 30Roc, DJ FU, Ducko Mcfli, Ez Elpee, GT, Marz, Micah Weston, Pluss Resource e S1.

Mike Will Made It, o prestigiado produtor de Atlanta, é responsável por grandes sucessos do hip-hop nos últimos anos. Faixas como “Mercy” (Kanye West), “Move That Dope” (Future), “Black Beatles” (Rae Sremmurd) e “HUMBLE” (Kendrick Lamar), dispararam rapidamente Make Will e o seu grupo EarDrummers Entertainment para o topo das paradas musicais. Seu som de assinatura, composto por baixos pesados e chimbais cintilantes, são combinações que criam sons agradáveis para as massas. Em março de 2017, Mike Will lançou o seu primeiro disco solo, intitulado “Ransom 2”. Um álbum que enfrentou alguns contratempos antes de ser lançado oficialmente. A direção criativa do mesmo tornou-se mais clara quando Mike Will revelou a sua tracklist. O repertório apresenta uma série de rappers convidados, incluindo Migos, Kendrick Lamar, Juicy J, Future, 2 Chainz, Gucci Mane, Lil Wayne e os seus protegidos Swae Lee e Slim Jxmmi. Por se tratar de Mike Will Made It, minhas expectativas para esse álbum estavam bastante altas.

Ele é uma dos melhores produtores de bateria e baixo desta década, consequentemente eu esperava um punhado de músicas viciantes no seu disco de estreia. “Ransom 2” é um ótimo álbum? Sim, mas eu esperava algo a mais. Para mim, o registro carece de maior presença de sua estrela principal. A única aparição de Mike Will Made It acontece na décima sexta faixa, durante todos os 27 segundos. Além disso, ainda há faixas inteiramente instrumentais. Ao contrário dos álbuns de outros grandes produtores, como Kaytranada e Flume, “Ransom 2” opta por se concentrar mais no status quo do hip-hop mainstream. Nenhuma faixa apresenta algo culturalmente sólido ou significativo. Por ser amigo de quase todos os rappers famosos da indústria, não foi difícil para Mike Will selecionar uma vasta lista de convidados. No total, o registro possui a presença de 22 artistas diferentes, incluindo Rihanna e Pharrell Williams. Embora Mike Will tenha produzido todo o projeto, ele obteve assistência de alguns outros produtores, como Marz.

Ao longo de “Ransom 2”, Mike Will mostra suas variadas habilidades de produção, enquanto mantém sua música de assinatura. O próprio Mike Will também é creditado como escritor em todas as faixas, bem como é apresentado, o que significa que as letras foram frutos de um esforço colaborativo. O foco deste álbum é claramente a produção e, embora haja muita variedade, alguns músicas se arrastam. É mais fácil pensar nesse registro como uma coleção de singles, ao invés de um projeto coeso. Algumas músicas realmente se destacam, como “Bars of Soap”, com Swae Lee. Sua linha de baixo é muito viciante e Swae Lee consegue levar a batida com facilidade. Apesar de ser uma batida minimalista, possui vários enfeites que a mantém interessante. “Aries (Yugo)” é uma das melhores do álbum, porque Pharrell Williams se mostra muito eficaz no refrão. Seus altos vocais se destacam facilmente da batida. Aqui, Pharrell apresenta um novo alter ego, chamado Station Wagon P, a versão de 2017 do alter ego Skateboard P.

Inicialmente, nem parece Pharrell, pois ele muda para um tom muito mais profundo e não soa como ele. Outras canções que chamam atenção é “Oh Hi Hater (Hiatus)” e “Razzle Dazzle” (com Future). Apesar do refrão de “Razzle Dazzle” ser muito repetitivo, ela se beneficia da boa batida. Enquanto Kendrick Lamar, Rae Sremmurd e Gucci Mane unem forças e apresentam sólidos desempenhos em “Perfect Pint”, Lil Yachty soa estranho e liricamente estagnado em “Hasselhoff”. A faixa de encerramento, “Nothing Is Promised”, lançada no primeiro semestre de 2016, é certamente cativante. Entretanto, a presença de Rihanna nem sempre é sinônimo de sucesso. Aqui, ela se sente um pouco fora do lugar. Embora tenha várias faixas fortes, “Ransom 2” sofre pela falta de foco. O tema geral é fraco e, provavelmente, se beneficiaria se tivesse faixas mais refinadas. A forte lista de convidados peca pelos repetitivos temas líricos e paisagens sonoras. Desvios criativos a parte, “Ransom 2” impressiona pela produção, mas não cumpriu o hype em torno dele.

Favorite Tracks: “Perfect Pint (feat. Kendrick Lamar, Gucci Mane & Rae Sremmurd)”, “Bars of Soap (feat. Swae Lee)” e “Aries (YuGo) [feat. Pharrell & Station Wagon P]”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.