Resenha: Michael Jackson – XSCAPE

Lançamento: 13/05/2014
Gênero: Pop, R&B, Soul
Gravadora: Epic Records
Produtores: Timbaland, Paul Anka, Babyface, John Branca, Dr. Freeze, Jerome “J-Roc” Harmon, Michael Jackson, Rodney Jerkins, Daniel Jones, King Solomon Logan, John McClain, L.A. Reid, Stargate, Cory Rooney e Giorgio Tuinfort.

“Xscape” é o segundo álbum póstumo de faixas inéditas do eterno Rei do Pop, Michael Jackson. Foi lançado dia 13 de maio de 2014 pela Epic Records, com um total de 8 faixas na versão padrão. A edição deluxe inclui todas as canções em suas formas originais, além de uma faixa bônus e dois vídeos. Para reequipar as oito faixas selecionadas, Timbaland liderou uma equipe de produtores que incluía Stargate, J-Roc, John McClain e Rodney Jerkins. “Xscape” estreou em #2 lugar na parada de álbuns da Billboard, com vendas na primeira semana de 157 mil cópias nos Estados Unidos. As músicas estão divididas entre alegria e desespero. Há duas canções de puro amor e duas faixas sobre a tentativa de encontrar um mundo onde não há dor (“A Place With No Name” e a faixa-título), e quatro canções sobre ser preso. Michael Jackson era muito perfeccionista com tudo relacionado à sua música e, provavelmente, gravou muitas outras canções.

Acredito que ainda deve haver uma grande quantidade de material inédito em seus arquivos. “Love Never Felt So Good” abre muito bem o álbum, uma canção disco-pop simples, direta e muito cativante. É a que têm o melhor vocal de Michael no “Xscape” e o resultado foi um canção despreocupada e encantadora. A versão com vocais adicionais de Justin Timberlake, também é excelente, pois consegue soar muito natural. Está presente apenas na edição deluxe e foi a escolhida para ser o primeiro single. “Chicago” mantém o bom padrão com um vocal nervoso e um refrão histérico, enquanto “Loving You”, originalmente gravada durante as sessões de “Bad”, é praticamente um rascunho por ser uma canção bem simples. A terceira faixa, “A Place with No Name”, conta a história de um cara que conhece uma mulher que o leva a uma utopia onde “ninguém sente dor”.

Michael Jackson

Nessa canção, Stargate ofereceu uma sonoridade que lembra muito Stevie Wonder e uma melodia que, praticamente, invoca “Remember the Time”. L.A. Red e Babyface produziram originalmente em 1991 a canção “Slave to the Rhythm”, que foi revista por Timbaland e, consequentemente, entrou no “Xscape”. Uma faixa de R&B, com um ritmo enlouquecedor que, inclusive, foi apresentada para o público no Billboard Music Awards através de um holograma de Michael Jackson. Entre teclados e sintetizadores, a letra de “Do You Know Where You Children Are” fala sobre a preocupação com a exploração de mulheres e meninas. A penúltima canção é uma das melhores: “Blue Gangta”. Essa nos fornece um funky puro, com um vocal lindo e emocionante, além de um conceito que nos faz lembrar de “Smooth Criminal”. Finalizando o álbum, temos a faixa-título (“Xscape”), que foi produzida originalmente por Rodney Jerkins durante as sessões de “Invincible”.

Para a maior parte do “Xscape” os produtores optaram por trabalhar com vocais acapela, um esforço para não ser excessivamente influenciado pelas faixas originais. O resultado é um álbum que coloca as habilidades vocais de Michael em evidência como sempre foi: suave e emocionante. Realmente esse álbum funcionou, com o foco permanecendo a todo momento na voz do rei do pop e mantendo o seu espírito. Não há nenhum sentimento sobrecarregado ou algo que afundasse a qualidade das músicas, assim como aconteceu com o seu álbum póstumo de 2010. Liricamente, aqui Miachel fala sobre quase tudo, desde o amor até temas mais sérios, como a escravização e famílias desfeitas. Esse álbum conseguiu homenagear com propriedade um legado tão grande como o dele. O “Xscape” nos ofereceu a oportunidade, de mais uma vez, ser levado para o auge criativo do rei do pop, e nos mostrando que, de certa forma, Michael Jackson ainda está presente no mundo da música.

70

Favorite Tracks: “Love Never Felt So Good”, “Chicago”, “A Place with No Name”, “Slave to the Rhythm” e “Blue Gangsta”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.