Resenha: Mary J. Blige – Strength of a Woman

Lançamento: 28/04/2017
Gênero: R&B
Gravadora: Capitol Records
Produtores: BadBadNotGood, Bigg D, DJ Camper, Hit-Boy, Brandon “B.A.M.” Hodge, Kaytranada, Lamb, Neff-U, Teddy Riley e William Tyler.

Força é realmente a palavra que define o 13º álbum de estúdio de Mary J. Blige, intitulado “Strength of a Woman”. Atualmente com 46 anos, a diva do R&B e soul sempre encontrou uma maneira de se conectar com à emoção de sua música. Sua carreira iniciou na década de 90, enquanto ela acumula vendas estimadas em 50 milhões no mundo todo. Esse sucesso levou ela a ganhar 9 Grammy Awards e incríveis 32 nomeações. “Strength of a Woman”, o seu primeiro álbum desde “The London Sessions” (2014), foi produzido por DJ Camper, B.A.M., Hit-Boy, BadBadNotGood e Kaytranada, e possui colaborações de convidados como Kanye West, Quavo, DJ Khaled e Missy Elliott. Esse LP é rico em músicas de qualidade que misturam o R&B com soul, hip-hop e gospel. Ao longo dessa faixas, ela é incansavelmente honesta e fala sobre desgostos, traição e relacionamentos. Sem dúvida, o repertório reflete sobre o seu divórcio com Martin Isaacs, após um casamento de 13 anos. Além do conteúdo autobiográfico, o álbum trata os seus vocais como o ponto de definição.

Ela possui um talento natural e um poder e alcance vocal que não diminuiu com o tempo. Enquanto a produção é decididamente moderna, não empurra a cantora para nenhuma tendência de mercado. Com uma carreira salpicada por músicas que detalham os seus relacionamentos abusivos e dependência de drogas, a diva criou, mais uma vez, um disco profundamente pessoal. O resultado é outro álbum clássico de Mary J. Blige. A primeira faixa, “Love Yourself”, com Kanye West, fornece uma mensagem importante sobre auto-estima. Uma música poderosa que mergulha em vocais exuberantes e ricos arranjos. O primeiro single foi “Thick of It”, uma música tradicional de R&B e soul com instrumentação opulente e interpretada no estilo clássico de Mary J. Blige. Antes dos elementos funky de “It’s Me”, temos uma faixa para cada mulher injustiçada chamada “Set Me Free”. Logo na sequência, temos a faixa “Glow Up” que apresenta Quavo, DJ Khaled e Missy Elliott.

Uma magia de hip-hop influenciada pelo trap e com vocais adicionais de Jazmine Sullivan. “Glow Up” encaixa-se perfeitamente no tema de pós-divórcio do “Strength of a Woman”. “Você pode ser meu se você quiser (meu se você quiser) / Realmente eu seria louca também, se eu perdesse uma verdadeira mulher”, ela canta aqui. “Glow Up” é seguida maravilhosamente pelo excelente R&B de “U + Me (Love Lesson)”. Uma canção cativante com vocais cristalinos e uma mensagem aplicável a ela mesma. “Indestructible” é particularmente mordaz e fala sobre a vulnerabilidade em um relacionamento ruim. A partir daqui o álbum realmente começa a encontrar seu caminho, atingido pontos mais doces e pungentes. Posteriormente, “Survivor” encontra Blige numa paisagem sonora mínima e temperamental, dirigida por uma pesada batida, linha de baixo sintetizada e guitarras por trás. Parece um aceno óbvio para as produções do início dos anos 2000. Em seguida, “Find the Love” soa como um testemunho, mostrando aos ouvintes uma saída para a escuridão.

Simples e sutil, é uma música com elementos funky que funciona gentilmente ao tema principal do álbum. Na sequência, Kaytranada e BadBadNotGood empestram seus talentos e suaves vibrações para “Telling the Truth”, enquanto a cativante faixa-título, “Strength of a Woman”, assume uma abordagem mais poderosa usando uma interessante linha de baixo. Produzida por Hit-Boy, “Hello Father” oferece uma maravilhosa sensação gospel e rock, e encerra o repertório. “Strength of a Woman” é um disco que faz você se sentir erguido e altamente capacitado. A variedade na musicalidade, as letras e o incrível talento vocal de Blige são os seus pontos fortes. É um verdadeiro testamento da vulnerabilidade de Mary J. Blige, bem como a de seu esforço e empenho. A cantora veterana aprendeu o valor de transformar dor em motivação, força e capacitação. Embora “Strength of a Woman” tenha alguns pontos fracos, o valor da produção é de alto nível e a entrega vocal de Mary J. Blige magistral.

Favorite Tracks: “Glow Up (feat. Quavo, DJ Khaled & Missy Elliott)”, “U + Me (Love Lesson)” e “Strength of a Woman”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.