Resenha: Marjorie Estiano – Oito

Lançamento: 16/09/2014
Gênero: Pop, MPB
Gravadora: Tratore
Produtores: André Aquino.

Depois de sete anos afastada do cenário musical, a cantora e atriz Marjorie Estiano lançou em 16 de setembro de 2014 o álbum “Oito”. É o seu terceiro trabalho de estúdio, que trouxe 11 canções inéditas e sucede o “Flores, Amores e Blablablá” de 2007. Durante esse tempo, Marjorie Estiano dedicou-se à algumas novelas da Rede Globo, como Duas Caras (2007), A Vida da Gente (2011), Lado a Lado (2012) e Império (2014), que terminou por anteceder o lançamento do disco. “Oito” foi lançado inicialmente apenas em formato digital, enquanto CD físico chegou as lojas somente em dezembro. É um material autoral com o processo de gravação durando cerca de dois anos.

Segundo a assessoria de Marjorie, ela pretendia dar um tempo da TV para se dedicar exclusivamente à carreira musical. Entretanto, teve que retornar como a vilã de Império, o que terminou por adiar futuras apresentações. “O disco é independente, quase artesanal. O encarte, a letrinha, cada arranjo, os elementos dele… é muito cheio de afeto. Olho e vejo algo quase íntimo”, disse Marjorie a respeito do álbum. A produção do registro ficou à cargo de André Aquino, com 8 faixas autorais, uma versão de “Ta-hi” de Carmen Miranda e outras duas faixas escritas por outros compositores. Entre eles, colaborações de Tenison Del Rey, Paulo Vascon, Umberto Tavares, Maurício Oliveira e Rodrigo Tavares.

O título do álbum é “Oito” porque “surgiu a partir da ilusão do símbolo do infinito enquanto algo que é contínuo, em fluxo – algo em movimento”, explicou Marjorie em entrevista. “Imaginamos uma banda formada numa época em que não havia tanta tecnologia nem tantos recursos de edição em estúdio, quando as impressões ficavam mais vivas. Esse conceito acabou criando uma identidade sonora tão clara que unificou os diferentes estilos das composições do álbum”, disse André Aquino, em comunicado. Marjorie Estiano chegou ao reconhecimento nacional ao participar de Malhação como a vilã Natasha. Posteriormente, lançou seu primeiro auto-intitulado álbum que lhe rendeu grandes sucessos como “Você Sempre Será” e “Por Mais que Eu Tente”.

Marjorie Estiano

Atualmente, ela está com 33 anos e já possui uma carreira bem estável, principalmente na televisão. Com o lançamento do “Oito”, Estiano volta a encantar os fãs que estavam sem um novo material seu há anos. O repertório é formado por músicas pop que flertam com alguns outros ritmos, como MPB, blues, jazz e reggae. Com isso, ela demonstrou ser uma artista com grande versatilidade e que amadureceu durante todo esse tempo. Em julho de 2014, Marjorie lançou em seu canal oficial no YouTube o primeiro single de trabalho, a canção “Por Inteiro”, que também é a faixa de abertura do disco. A música obteve milhares de visualizações, ultrapassando a marca de cem mil reproduções no serviço de streaming SoundCloud. Em seguida, fez parte da trilha sonora da novela Geração Brasil da Rede Globo.

“Por Inteiro” apresenta uma sonoridade diferente do que o público está acostumado a ouvir, onde ela mesclou o seu pop habitual com a MPB e o samba. É uma das poucas músicas que não foram escritas por ela, com Tenison Del Rey, Jau e Paulo Vascon por trás da composição. Sua letra é bem profunda – “Eu quebro a minha cara / Me tranco no banheiro” – e ostenta alguns vocais de apoio como os “Laiá, laiá, laiá, laiá” que grudam na cabeça. Em “Donde Estás”, segunda faixa, Marjorie nos entrega uma letra totalmente em espanhol escrita por ela e André Aquino. Aqui, os vocais da cantora estão excelentes, esbanjando sensualidade em um ritmo latino. Na terceira faixa, “E Agora”, ela se entrega ao desejo por um amor do qual não consegue viver sem (“Me desespero a procurar / Um jeito que você possa perdoar / Hoje eu só quero que você”). Musicalmente, é bem ritmada e guiada pelos teclados e órgãos de Rodrigo Tavares.

Marjorie Estiano

Na faixa “Ele”, totalmente produzida e escrita por André Aquino, Marjorie Estiano aposta no romantismo e uma pegada mais leve com elementos de reggae e jazz. Logo em seguida, a cantora também se arrisca no inglês na canção “Driving Seat”, uma boa e contagiante faixa pop com influência do blues. Enquanto em “Luz do Sol”, a cantora divide os vocais com Gilberto Gil. Uma música reggae, onde o cantor coopera para dar um ambiente praieiro para a mesma. Marjorie se mostrou ousada ao regravar “Ta-Hi” de Joubert de Carvalho, e um dos grandes sucessos de Carmen Miranda. A cantora forneceu uma nova roupagem, graças aos seus vocais, e demonstrou segurança em sua interpretação. Essa diversidade musical do “Oito”, felizmente, não comprometeu a personalidade do álbum. Pelo contrário, mostrou uma artista multifacetada e uma Marjorie Estiano mais madura musicalmente.

“Alegria Maior Não Tem”, oitava faixa, foi uma surpresa agradável, por ela ter mesclado o seu pop com o conhecido forró brasileiro. É, provavelmente, a música mais dançante do repertório, pronta para festas e micaretas. Antes da faixa de encerramento, temos o suingue de “A Não Ser o Perdão”, em colaboração com Mart’nália nos vocais (cantora de samba e filha de Martinho da Vila) e “Na Estrada”, que, embora seja contagiante e possua uma letra bacana, não chega a ser um destaque. Lançada como segundo single, a faixa “Me Leva” encerra o disco com uma forte presença de órgão Hammond em sua composição. É uma balada muito melódica, forte e sincera em seu conteúdo lírico. O seu ápice é durante o refrão, especialmente, na linha: “Aonde você foi, me diz / Só me deixe estar / Me deixe estar”.

O “Oito” chegou e foi lançado com o intuito de mostrar a nova direção artística e musical tomada por Marjorie Estiano. A cantora demonstrou ao longo de 11 faixas sua busca pela descoberta de novos estilos musicais, bem como a sua pluralidade como cantora. O registro marca um novo recomeço em sua carreira musical, com um repertório repleto de composições próprias e um som mais alternativo. Ela transmitiu estar confortável em todo o álbum e prova que amadureceu desde que surgiu com o seu álbum de estreia. “Oito” possui arranjos sofisticados e um repertório que flerta com vários gêneros, até mesmo o brega dos anos 1960. A aposta de Marjorie Estiano em um som mais caseiro e simples, fez o disco soar ainda mais notável.

64

Favorite Tracks: “Por Inteiro”, “Ele”, “Driving Seat”, “Alegria Maior Não Tem” e “Me Leva”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.