Resenha: Marcos & Belutti – Acredite

Lançamento: 26/05/2017
Gênero: Sertanejo Universitário
Gravadora: Sony Music Entertainment
Produtor: Fernando Zor.

Em 26 de maio de 2017, a dupla Marcos & Belutti, formada pelos amigos Leonardo Prado de Souza e Bruno Belucci Pereira, lançou o seu terceiro álbum de estúdio. “Acredite” foi produzido por Fernando Zor (da dupla Fernando & Sorocaba) e é o primeiro material divulgado pela Sony Music. Este álbum quebra a sequência de projetos acústicos lançados pela dupla, que inclui o “Acústico” (2014) e “Acústico Tão Feliz” (2015). Marcos, nome artístico de Leonardo Prado de Souza, nasceu em Santo André, São Paulo, e começou a cantar aos 15 anos de idade em bailes e bares. Ele começou a receber reconhecimento quando passou a compor para as duplas Zezé Di Camargo & Luciano e Edson & Hudson. Belutti, por sua vez, nasceu em São Paulo e começou a cantar profissionalmente aos 11 anos de idade. Aos 14 anos foi integrante do Comando, uma boyband produzida pela produtora de Gugu Liberato. A dupla foi formada no final de 2007, ao serem apresentados por Bruno (Bruno & Marrone) e Edson (Edson & Hudson). Em março de 2008, Marcos e Belutti gravaram no Vila Country o primeiro CD e DVD da carreira. Entre os maiores sucessos da dupla, temos os singles “Domingo de Manhã”, “Então Foge”, “Aquele 1%”, com Wesley Safadão, “Romântico Anônimo” e “Tão Feliz”. Em 2017, a dupla completou nove anos de carreira, uma vez que subiu ao palco pela primeira em 2008.

Composto por quatorze faixas, “Acredite” é um disco de sertanejo universitário com influências de outros gêneros como o axé, forró e reggae. Faixas como “Pula Pra Minha Vida”, “Disk Amor”, “Cumplicidade” e “Se Amando e Se Lixando” são as típicas canções animadas de sertanejo que ouvimos exaustivamente nas rádios brasileiras. O primeiro single, “Solteiro Apaixonado”, faz uma mistura de sertanejo, axé e forró em meio aos vários sons causados pelo acordeão, violão e percussão. Apoiada pelo teclado, a romântica “Eu Era” conta a história de um casal que terminou o namoro, mas acabou se arrependendo. “Aí você se lembra que a gente se completa / E vai voltar pra mim / Se for um pouco esperta / Porque esse alguém perfeito / Que você tanto espera / Eu era”, eles cantam no refrão. Embora seja liricamente parecida com o restante do repertório, a despreocupada “Glicose” e a descontraída “Pula a Cerca” surpreendem pela inusitada influência de reggae. Apresentando uma composição mais melódica, enfatizada pelo teclado, violão e guitarra acústica, temos as faixas “Mãe, Eu Tô Gostando Dela”, “Mais Um Ano Juntos”, “Te Achei”, “Se A Vida Não For Isso”, “Passarinho Fofoqueiro” e “O Palhaço”. Apesar da disposição e entusiasmo, “Acredite” não oferece nada de novo. É mais um álbum comum no saturado mercado sertanejo. As letras bregas mantém a estética do gênero e abordam os mais diversos tipos de relacionamentos, em meio a rimas pobres e refrões pegajosos.

Favorite Tracks: “Pula Pra Minha Vida”, “Eu Era” e “Se a Vida Não For Isso”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.