Resenha: Lucy Hale – Road Between

Lançamento: 03/06/2014
Gênero: Country, Pop
Gravadora: Disney Music Group
Produtores: Mike Daly e Mark Bright.

Lucy Hale é uma atriz e cantora americana, mais conhecida por seu papel como Aria Montgomery na série Pretty Little Liars da ABC. Em 2014, ela lançou o seu primeiro álbum de estúdio, intitulado “Road Between”. Hale nasceu em Memphis, Tennessee, e tem como primeiras influências musicais Shania Twain e Faith Hill, mas o quem acendeu seu interesse em prosseguir na música foi Britney Spears. Ela apareceu pela primeira vez na televisão no reality show American Juniors em 2003. Pouco depois, fez participações especiais em alguns séries, como Drake & Josh, The O.C, Como Eu Conheci Sua Mãe e Os Feiticeiros de Waverly Place, antes de ser escalada em dezembro de 2009 para participar de Pretty Little Lairs. Em 12 de junho de 2012 foi anunciado que ela havia assinado um contrato com a gravadora Hollywood Records, enquanto mais tarde, em 2013, começou a gravar o seu primeiro álbum.

Seu single de estreia, “You Sound Good to Me”, foi lançado em janeiro de 2014, enquanto o disco em junho do mesmo ano. “Road Between” é caracterizado por 11 faixas que testam a própria sanidade emocional de Hale, com refrões grudentos e momentos que mostram a voz dela de muitas maneiras. É um disco country, com grande apelo pop e letras que parecem realmente serem honestas e relacionáveis. Por incrível que pareça, já que eu não esperava, o álbum possui em algumas faixas uma boa quantidade de profundidade e qualidade na escrita. É em grande parte produzido por Mike Daly (que já trabalhou com Jason Mraz) e contou com escritas adicionais de Kacey Musgraves, Hillary Lindsey e participação especial do cantor Joe Nichols. A maioria dos compositores do álbum já trabalharam com artistas conhecidos do country, como Miranda Lambert, Carrie Underwood e Blake Shelton, mas as canções apresentadas já estavam destinadas a Lucy Hale.

Apesar das semelhanças com algumas obras desses artistas citados, é o conteúdo lírico e interpretação vocal de Hale que faz do “Road Between” uma estréia satisfatória. Musicalmente, é um álbum de country-pop sólido, simples em sua forma, mas refrescante da maneira que é apresentado. Os temas abordados aqui variam entre inseguranças pessoais, relacionamentos, dissoluções amorosas e momentos de auto-descoberta. Com um amplo violino e uma batida bem cativante, ela abre o disco com o pé direito, na faixa “You Sound Good to Me”. Um número up-tempo, que foi lançado como primeiro single e escrito por Ashley Gorley, Luke Laird, e Hillary Lindsey. É certamente um dos destaques do álbum, um número otimista onde vemos Lucy Hale conseguindo captar a essência do gênero country, sem sentir a necessidade de adaptar-se a um sotaque artificial. “From the Backseat”, segunda faixa, é um bom número mid-tempo, fortemente melódica, que fala sobre a simplicidade do amor jovem. Em um tom quase nostálgico, ela realmente consegue contar uma história nessa canção.

Lucy Hale

É uma peça sentimental onde Hale ainda utiliza técnicas vocais com grande precisão, ao passo que o instrumental é tão sutil que cria uma sensação perfeita para o verão. A terceira faixa, “Nervous Girls”, é uma balada emocional, redentora e a preferida da própria cantora. É sem dúvidas uma das melhores canções do disco, principalmente, devido a grandiosidade de sua melodia. Seu arranjo é mais acústico, o vocal mais cru, ao passo que permitiu Hale enfrentar suas inseguranças e persuadir os ouvintes a fazerem o mesmo. Muitos aspectos do amor e os relacionamentos são representados nesse disco, incluindo os momentos de contos de fadas de “Red Dress”. Vocalmente é uma faixa mais voltada para o country tradicional, especialmente, por causa da participação de Joe Nichols. A escolha de Nichols para o único dueto do álbum ficou interessante, porque ambos fizeram um bom trabalho juntos. O seu barítono tem um pouco de sotaque, no entanto, não parece ser forçado ou antinatural. Como um todo, esta é uma música de qualidade e um dos momentos mais puramente românticos do registro.

Na faixa “Goodbye Gone” Lucy Hale faz uma esquete de Miranda Lambert e Carrie Underwood ao falar sobre vingança pós-separação. É uma música com uma vibe mais sinistra, uma tentativa de fazer um country-rock, com vocais mais fortes e um banjo mais acentuado. Apesar do seu refrão ser um pouco repetitivo, sua melodia é bem cativante e consegue entreter. Você não pode ter um álbum de country adequado sem ter uma música que gira totalmente em torno dos perigos de um relacionamento. Nesse registro temos a doce e suave “Kiss Me” assumindo este tema. É uma canção que acena mais para o pop, com os vocais de Hale no ponto e confissões do tipo: “Você não sabe que eu quero você comigo / E não é só porque estou bêbada”. Já faixa-título, “Road Between” é sobre uma garota que está trabalhando para escrever a sua história, descobrir sobre si mesma, aprender a tomar decisões e determinar para onde o seu coração está te levando.

Lucy Hale

É uma música que realmente consegue explicar cada tema apresentado no álbum, além de fornecer uma forte mensagem de capacitação e uma bonita melodia. Na faixa seguinte, “Lie a Little Better”, a guitarra elétrica aparece com mais força e fornece um som mais voltado para o country-rock. Liricamente, é uma canção otimista sobre como uma garota luta e expressa seus sentimentos em relação a um indivíduo. Sua guitarra vertiginosa, a batida e a melodia cativante, realmente a tornou fácil de gostar. Em “That’s What I Call Crazy” temos co-escrita da Grammy-Winner Kacey Musgraves e onde Lucy Hale chega a um momento de clareza ao perceber exatamente o que faz uma pessoa ficar louca dentro de um relacionamento. É um número tanto artístico como comercialmente viável, cativante, divertido e fácil de cantar junto.

“Love Tonight” é outra canção de natureza semelhante, mas as palmas na melodia lhe dão um charme a mais e compensa eventuais deficiências do conteúdo lírico. É mais uma canção de amor, sobre uma rápida aventura, alguns momentos fugazes e más decisões. O seu ritmo é contagiante, graças a algumas boas técnicas instrumentais presentes, mesmo não sendo um destaque dentro do repertório. A última faixa, “Just Another Song” é a única que foi co-escrita pela própria Lucy Hale. Trata-se de uma balada que tem um significado importante para ela, porque lembra memórias associadas a um profundo e verdadeiro amor que terminou. Sua orquestração e melodia são belas, sendo um ótimo exemplo de uma forte e comovente balada country. Para um álbum de estreia, “Road Between” realmente consegue ser surpreendente. Como acontece com qualquer álbum de estréia, em especial para jovens artistas, é um processo de refinamento e descobrir quem realmente é.

Suas ótimas melodias, o bom lirismo, os ritmos contagiantes e a natureza de suas faixas, fazem realmente valer a pena escutá-lo. O resultado é uma coleção destinada tanto para adultos como para o público mais jovem, pois é bastante polido, mostra a crescente capacidade vocal de Hale e ainda é muito comercial. Esse material só provou que ela não é apenas uma talentosa atriz, mas também uma ótima cantora. “Road Between” pode não ter sido um lançamento inovador para o gênero country-pop, mas é bastante divertido. Eu fiquei surpreso comigo mesmo por ter gostado dele como um todo. Musicalmente, foi um grande lançamento para a carreira artística de Lucy Hale e sua equipe de escritores/produtores. E se ela puder desenvolver seu talento, vocal, escrita, obter mais experiências de vida e aprofundar-se no gênero country, então poderá fazer, futuramente, um álbum ainda melhor.

66

Favorite Tracks: “You Sound Good to Me”, “Nervous Girls”, “Kiss Me”, “Lie a Little Better” e “Just Another Song”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.