Resenha: Lee Brice – Lee Brice

Lançamento: 03/11/2017
Gênero: Country
Gravadora: Curb Records
Produtores: Lee Brice, Dan Frizsell, Kyle Jacobs, Cody Labelle e Jon Stone.

Depois de um hiato de três anos, onde teve tempo para respirar e conviver mais com sua família, Lee Brice retornou com um novo álbum. Intitulado “Lee Brice”, o disco possui quinze faixas produzidas por colaboradores como Jon Stone, Kyle Jacobs, Dan Frizsell e Cody Labelle. A maior parte do repertório possui uma sensação de urgência sobre o quão importante é a vida. Esse álbum é conduzido de uma maneira estimulante, onde Brice pede ao ouvinte que contemple o que realmente é importante. As letras provam que todos nós temos algo para agradecer e se orgulhar. Lançado através da Curb Records, “Lee Brice” fornece faixas country e algumas baladas rockers sobre letras sinceras e vocais robustos. Entre as principais coisas da vida, o cantor reflete sobre os relacionamentos, espiritualidade, envelhecimento, amizades, família e crescimento pessoal. Sem dúvida, este é o seu disco mais pessoal até à data. Desta vez, Brice co-escreveu onze das quinze faixas do repertório. Na principal peça do álbum, “Boy”, Brice atinge um tom muito mais sério do que de costume. Como primeiro single, esta canção fornece letras muito emocionantes e eficazes. Mesmo sendo uma das poucas faixas que não foram co-escritas por ele, “Boy” adéqua-se perfeitamente à sua vida. Uma música emotiva e sentimental sobre a forma como as crianças sempre acabam sendo como seus pais. Muito parecida com “My Old Man” do Zac Brown Band, que não possui bateria e sintetizadores programados, “Boy” é uma faixa acústica suave, discreta e cativante. Da mesma forma que as letras, o som deslizante da guitarra acústica é um ponto de destaque.

É uma música de um pai para o seu filho, algo apropriado para alguém como Lee Brice que têm três filhos. Outros destaques incluem a cativante “They Won’t Forget About Us” e a força vocal de “I Don’t Smoke”, onde Lee Brice colaborou com Warren Haynes. Uma canção com ritmo funky, slide de guitarras e, provavelmente, o melhor desempenho vocal de todo o álbum. Enquanto “You Can’t Help Who You Love” é uma bela balada, “Rumor” desliza sobre um sulco incrivelmente sedutor e soulful. Próximo do final do álbum, Brice surge sobre um piano saltitante na mágica “Dixie Highway”, canção que ele co-escreveu com a membro do Nashville Songwriters Hall of Fame, Matraca Berg. É definitivamente uma das faixas mais singulares do repertório. Outra canção digna de atenção é “The Best Part of Me”, uma vez que possui grandes melodias que sustentam um doce refrão. Lee Brice já lançou quatro álbuns de estúdio, sendo este último o mais pessoal, honesto e transparente. Mas além do seu próprio material, ele é conhecido por co-escrever singles para Garth Brooks, Adam Gregory, Eli Young Band e Tim McGraw. Uma de suas melhores composições, “More Than a Memory” (Garth Brooks), foi a primeira música a estrear no número #1 do principal chart country dos Estados Unidos, enquanto outra, “Crazy Girl” (Eli Young Band), foi a canção country número #1 do Billboard Year End Chart de 2011. Dito isto, é nítido que ele possui boas habilidades para compor. E isso não foi diferente no seu auto-intitulado álbum, um registro profundo e emocional que provavelmente encantou a maior parte dos seus fãs.

Favorite Tracks: “Boy”, “They Won’t Forget About Us” e “Rumor”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.