Resenha: LCD Soundsystem – American Dream

Lançamento: 01/07/2017
Gênero: Dance-Punk, New Wave, Post-Punk, Synthpop, Art Rock
Gravadora: Columbia Records
Produtor: James Murphy.

O complexo de idade foi uma dos principais motivos pelos quais o LCD Soundsystem se dissolveu em 2010. Eles lançaram um álbum de despedida naquele ano e fizeram um show lotado no Madison Square Garden em Nova York. James Murphy sentiu que era o momento de encerrar as atividades, visto que seu corpo era incapaz de lidar com as demandas da turnê. Entretanto, o amor pela música ainda estava dentro do seu coração e acabou falando com um amigo sobre isso. Esse amigo era ninguém menos que David Bowie, que acabou convencendo Murphy a continuar com o LCD Soundsystem. Bowie disse a ele que o melhor momento para criar músicas é quando sente-se desconfortável. Consequentemente, Murphy reuniu Nancy Whang, Pat Mahoney, Tyler Pope, Al Doyle, Gavin Russom, Matt Thornley e Korey Richey para criar um quarto álbum de estúdio. Fazia sete anos que o disco “This Is Happening” (2010) havia sido lançado, portanto, houve uma enorme pressão para o lançamento deste novo álbum. Ainda não estava claro qual seria a direção que a banda tomaria. “American Dream” é, do início ao fim, uma coleção exuberante, aventureira e extremamente agradável.

Contém algumas das melhores qualidades da banda, com faixas longas que misturam o post-punk com o dance-alternativo. Além disso, experimenta de forma audaciosa a nostalgia do new-wave, funk e synthpop. “American Dream” é uma versão mais escura do LCD Soundsystem, algo que não deve ser uma surpresa para aqueles que conhecem James Murphy. O álbum permanece fiel às influências do cantor, usando a idade como um tema central do repertório. Apenas uma das dez faixas do álbum não possui mais do que 5 minutos de duração. E, no total, James Murphy e companhia trabalham sobre sintetizadores, guitarras distorcidas e fortes batidas de tambor no decorrer de 68 minutos de duração. O álbum abre com “oh baby”, uma faixa mid-tempo com ricos sintetizadores, excelentes vocais e letras cheias de mágoa. Em seguida, “other voices” faz referências à interação entre James Murphy e David Bowie. “Você é apenas um bebê agora / Você deve ficar desconfortável, pense que eu poderia ser agora”, ele canta aqui. Uma faixa groove, energética e fortemente influenciada pelos anos 80. A quarta faixa, “change yr mind”, fala sobre o envelhecimento e outras coisas que preocupam a mente de Murphy.

“Eu já sou muito velho agora / Pelo menos isso parece ser verdade”, ele canta em uma das linhas. Além de graves vibrações, essa canção possui fortes guitarras, pesadas inclinações no baixo e uma ótima entrega vocal. No centro do álbum temos a faixa mais escura e melancólica: “how do you sleep?”. Ela começa com mais de 3 minutos de bateria e um conjunto de cordas. Mais tarde, emite uma combinação pesada de sintetizadores e pancadas de tambores, juntamente com linhas como: “Você me avisou sobre a cocaína / Em seguida, mergulhe em linha reta”. O segundo single, “tonite”, é um hino dance brilhante com todos os elementos distintos que amamos na LCD Soundsystem. Nossos ouvidos são abençoados por um sintetizador pulsante durante toda a música. Juntamente com o sintetizador, a canção oferece riffs graves e uma consistente batida de tambor. Sem dúvida, o ritmo funky e estilo dance-disco ficará preso na sua cabeça logo na primeira escuta. Em alguns momentos, a banda consegue evocar o auge do lendário Prince. Há uma natureza groove que permite as letras conciliarem-se muito bem com o estilo de assinatura da LCD Soundsystem.

Apesar da vibração positiva, as letras contém alguns referências ao envelhecimento: “E você está ficando mais velho / Eu prometo isso, você está ficando mais velho”, James Murphy canta. “Mas o futuro é um pesadelo / E não há nada que eu possa fazer / Não há nada que alguém possa fazer sobre isso”. O conteúdo lírico realmente passa uma sensação escura, principalmente na introdução: “Todo mundo está cantando a mesma música / Eles vão esta noite, esta noite, esta noite, hoje a noite, hoje a noite, hoje a noite / Eu nunca percebi que esses artistas pensavam tanto em morrer”. O ritmo constante de “tonite” é um ponto muito positivo, uma vez que os riffs de guitarra, sintetizador e tambores não param um minuto sequer. Próximo do final da música, ao lado das violentas cordas de sintetizador, Murphy ainda tem tempo para dizer: “Você odeia a ideia de que está desperdiçando sua juventude / Que você ficou no fundo, oh, até que você envelhecesse / Mas isso é tudo mentira / Isso é tudo mentira”. “call the police” foi a primeira faixa liberada pela banda depois de um grande hiato. É uma canção com um impulso infeccioso, onde James Murphy coloca o mundo em pleno direito e soa ainda mais apaixonado.

Nessa música, há referências sobre o antigo rótulo da banda e uma familiaridade com o seu antigo som. “call the police” é uma música poderosa e incrível que atinge um clímax ambíguo com muitas guitarras e sintetizadores. Não há como negar que James Murphy ainda consegue fazer o LCD Soundsystem ser tão bom. A banda é conhecida por seus atolamentos na percussão e baladas sinceras, e “call the police” faz o melhor para atrair esses sentimentos. É uma música dance-punk dinâmica, infundida muito mais pelo rock do que de costume. Sobre uma linha de fundo magistral, rápidas guitarras e tambores constantes, “call the police” faz uma decolagem perfeita e estridente. Ela possui uma construção lenta, mas não leva muito tempo para o ouvinte se impressionar com a percussão e introdução no baixo. O ritmo da guitarra retrocede um pouco mais tarde e, em determinados momentos, supera os vocais de Murphy. Há muita coisa aqui, mas tudo vem junto com a abordagem em camadas e progressão da música. As letras possuem um sentimento meio amargo e são dominadas por um certo cinismo (“E não perdemos tempo com amor / É apenas a morte de cima”).

A faixa-título, “american dream”, por sua vez, é uma declaração solene onde Murphy finalmente assegura-se de que o envelhecimento não é algo preocupante. “De manhã tudo está mais claro / Quando a luz solar expõe sua idade / Mas está tudo bem”, ele canta de forma espirituosa. A última faixa, “Black Screen”, é a referência mais interessante para David Bowie, uma verdadeira homenagem para este ícone da música. Uma canção com quase 12 minutos de duração e letras como: “Muito doente para viajar / Você caiu entre um amigo / E um pai”. Um agradecimento sincero e profundo ao homem que ajudou a LCD Soundsystem voltar para o centro das atenções. Ademais, há uma sensação de melancolia à medida que a música desaparece em cima do pulsante sintetizador e cartilagens de piano. David Bowie deu a James Murphy coragem e apoio para retornar com o seu projeto depois de uma longa pausa. “American Dream” é um verdadeiro presente para todos os fãs da LCD Soundsystem. Afinal, é um perfeito quarto álbum de estúdio que mostra que a banda pode permanecer relevante em pleno ano de 2017.

Favorite Tracks: “tonite”, “call the police” e “american dream”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.