Resenha: Kylie Minogue – Kiss Me Once

Lançamento: 14/03/2014
Gênero: Pop, Dance Pop
Gravadora: Parlophone / Warner Bros.
Produtores: Kylie Minogue, Sia Furler, Daniel Davidsen, Cutfather, Mike Del Rio, GoodWill & MGI, Greg Kurstin, Chris Loco, Mark Taylor, MNEK, The Monsters and the Strangerz, Justin Raisen, Ariel Retchshaid, Jesse Shatkin, Thomas Olsen, Peter Wade, Joshua Walker, Peter Wallevik e Pharrell Williams.

O “Kiss Me Once” é o décimo segundo álbum de estúdio da diva pop australiana Kylie Minogue, que já tem mais de 26 anos de carreira. Vendeu na primeira semana aproximadamente 30 mil cópias no Reino Unido, 8 mil na Austrália, 3 mil no Japão e 12 mil nos Estados Unidos. Os singles do álbum escolhidos até o momento foram as canções “Into the Blue” e “I Was Gonna Cancel”, que foi produzida por Pharrell Williams. “Kiss Me Once” foi gravado em Los Angeles, Nova York e Londres, e tem a participação de Enrique Iglesias em “Beautiful”, além de Sia Furler como produtora e compositora em duas canções. É um álbum moderno, mais envolvente que os seus últimos trabalhos e é fiel ao estilo que fez Kylie Minogue ficar mundialmente conhecida.

Apesar de ser composto por algumas faixas filler, o álbum é divertido com a sua boa sequência de músicas dançantes. “Into the Blue”, uma canção dance-pop que incorpora guitarras e sintetizadores, abre o registro. Uma faixa que tem a essência de Kylie Minogue, com batidas fortes e vocais suaves. A letra é otimista, fala sobre tranformação pessoal (“But I’m still here holding on so tight to everything that I left behind. I don’t care if the world is mine ‘cause this is all I know”) e, sonoramente, é muito animada. A segunda faixa, “Million Miles”, nos lembra muito “Get Outta My Way” do seu álbum antecessor, pudera já que a produção também ficou por conta do produtor dinamarquês Cutfather. Uma faixa disco-pop que possui um refrão agradável, entretanto, é extremamente gerérica e bem inferior a “Get Outta My Way”.

Para compensar, com ajuda de Pharrell Williams, Kylie Minogue fez bonito na faixa “I Was Gonna Cancel”. Uma jóia nesse álbum, com uma pegada disco bem noventista e ótimos efeitos sonoros. “Sexy Love” segue com a mesma pegada dance e, absolutamente, representa o estilo de Kylie Minogue, desde a produção até a letra. É inegavelmente uma canção muito cativante, com uma vibe despreocupada, que soa tão radiofônica quanto canções de Katy Perry. Seguindo, temos “Sexercize” flertando com o dubstep e trazendo uma letra bem insana. Co-produzida por Sia Furler, é uma música bem viciante e sexy, mesmo utilizando na sua sonoridade uma fórmula um pouco ultrapassada. “Feels So Good”, originalmente de Tom Aspaul, é bem descontraída e possui vocais muito delicados. Entretanto, não chega a impressionar com o seu eletro-house minimalista.

Kylie Minogue

O eletropop delicado de “If Only” foi co-escrito com Ariel Rechtshaid, o premiado produtor que já trabalhou com Sky Ferreira, Charli XCX, Usher e Vampire Weekend. Inicia com uma breve progressão de acordes de sintetizadores, antes de dar lugar a uma constante base de palmas e um refrão melódico e experimental. “Les Sex” é outro divertido eletropop, que possui um refrão fácil de cantar, “Les Love, les Sex, le-lo-o-oh!”, além do uso de xilofone e sintetizadores bem sensuais. A faixa-título, “Kiss Me Once”, consegue transmitir exatamente o que todo o álbum quer passar para o ouvinte (“Kiss me once and you will watch me fall, kiss me twice and I will give you my all”), é bastante radiofônica e ainda mantém o ritmo dançante decorrente de todo o disco.

O dueto com Enrique Iglesias, na faixa “Beautiful”, gerou muitas expectativas e apesar de ambos parecerem robôs na maioria dos versos, é uma balada sentimental que traz vocais bem suaves e o refrão mais cativante do álbum. Fechando o registro temos “Fine”, que ficou com o título de canção mais elogiada do “Kiss Me Once” por críticos internacionais. E de fato é ótima, perfeita para encerrar por ser arejada, vislumbrante e que ainda deixa uma boa mensagem para o ouvinte: “You’re gonna be fine / You don’t have to worry”. O “Kiss Me Once” é uma mistura hipnótica de faixas up-tempo dançantes, mid-tempos sexys e algumas baladas ocasionais. Ao longo de 11 faixas, presenciamos Minogue sendo capaz de transformar uma situação artificial em algo positivo e mágico.

No entanto, está longe de ter uma canção tão viciante quanto “Can’t Get You Out of My Head”, sua música mais conhecida, o que acabou resultando apenas em um material com momentos bons e outros bem dispensáveis. Não há dúvidas que Kylie Minogue é uma grande força no cenário pop, seja por sua brilhante carreira ou por ser uma grande estrela pop internacional. Ela possui fãs muito fiéis, junto com Madonna e Britney Spears é a mais amada pelo público homossexual, talvez por isso todos esperavam algo do nível de “Fever” ou “Light Years”. Mas em suma, o “Kiss Me Once” está longe de ser um trabalho decepcionante, pois nele Kylie se esforça para não se moldar em algo que não é, e sim ser apenas ela mesma.

64

Favorite Tracks: “Into the Blue”, “I Was Gonna Cancel”, “Kiss Me Once”, “Beautiful (feat. Enrique Iglesias)” e “Fine”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.