Resenha: Kris Allen – Horizons

Lançamento: 12/08/2014
Gênero: Indie Pop
Gravadora: DogBear Records
Produtor: Charlie Peacock.

Kris Allen, vencedor da oitava temporada do American Idol, lançou em 2014 o seu quarto álbum de estúdio, intitulado “Horizons”. Depois de lançar um álbum pela RCA Records, Allen saiu da gravadora em 2012 para lançar através do seu próprio selo o álbum “Horizons”. Com a produção de Charlie Peacock, o álbum estreou na posição #80 da Billboard 200 ao vender 4 mil cópias na primeira semana. O primeiro single desse trabalho foi a canção “Prove It to You”, que conta com a participação da cantora Lenachka. Allen escreveu o álbum logo depois de quebrar o seu pulso em um acidente, o que fez com que ele mudasse a sua abordagem de compor e utilizasse batidas mais melódicas. Podemos perceber que o “Horizons” está um pouco diferente dos seus trabalhos anteriores, por causa do estilo indie adotado e pelas produções mais cruas. Kris Allen ainda não obteve uma carreira musical estável e vem tentando isso desde o lançamento do seu álbum independente, o “Brand New Shoes” de 2007. Depois de vencer o American Idol, ele conseguiu uma maior visibilidade e assinou um contrato com a Jive Records.

Nessa gravadora, ele conseguiu uma boa receptividade do público com lançamento do seu disco homônimo, que ainda gerou o seu maior hit até então, a canção “Live Like We’re Dying”. O álbum seguinte, “Thank You Camellia”, lançado pela RCA Records, ficou muito abaixo do esperado e vendeu apenas 35 mil cópias em território americano. Foi à partir daí que ele saiu da gravadora para, em 2014, abrir o seu próprio selo chamado DogBear Records. Agora com maior autonomia e liberdade, Kris Allen lançou o disco “Horizons”, que chega com um ar mais independente e uma maior simplicidade musical. O álbum vale a pena, em especial, por seus momentos com apenas violão e/ou piano. Sobre “Young Love”, a faixa de abertura, Kris Allen disse à respeito: “Eu tinha essa música e a toquei ao vivo, logo Charlie Peacock quis gravá-la. Isto foi legal, porque é uma canção diferente da maioria das minhas músicas. Uma faixa que não tem uma estrutura qualquer. É realmente uma ótima introdução para o disco”.

“Young Love” é uma faixa acústica bem charmosa que possui uma melodia simples e bem alegre. Como disse o próprio Allen, foi uma boa escolha para abrir o álbum. “Prove It to You”, a segunda faixa, foi também o primeiro single e conta com a participação de Lenachka. Não é uma música tão radiofônica, porém, é uma balada suave e muito sincera. Uma verdadeira declaração de amor que não abusa de clichês românticos. Particularmente, é a minha favorita do disco, pois tanto o vocal de Kris Allen como o de Lenachka estão adoráveis. “Beautiful & Wild” é uma faixa mais forte que as duas primeiras, onde temos Kris Allen cantando com muito paixão em uma letra bem inteligente – “I just wanna be a dreamer that’s wide awake / I just wanna be a lover, even if my heart has to break”. Uma canção honesta que brilha por não ser cansativa e o tipo de música que Kris Allen sabe interpretar com maestria. “In Time”, por sua vez, está entre as suas canções mais pessoais, pois detalha sua luta depois do acidente.

Kris Allen

“Foi uma mensagem para mim mesmo, mas é uma mensagem realmente universal que, por vezes, quando as coisas vão mal, você tem que deixar o tempo passar para ficar melhor”, diz ele. Kris Allen não precisa de muita produção para mostrar sua bela voz, “In Time” é um ótimo exemplo disso. Musicalmente, essa faixa segue a mesma direção indie-pop de todo o registro. “Lost”, quinta faixa, é outra canção simples e sem muita produção que deixa o clima do álbum ainda mais para baixo. Uma balada no piano que ainda possui um refrão bem interessante (“Maybe I’m lost but at least I’m looking”). “Don’t Set Me Free”, com seu doce cenário, mostra crescentes vocais de Allen e onde ele pisa fora de suas fronteiras musicais. Assim como “Beautiful & Wild”, possui uma letra bacana, que encaixa perfeitamente a linha entre o divertido e o romântico. Enquanto isso, “Everybody Just Wants to Dance” é mais arejada e traz uma batida eletrônica. Como o próprio título diz, é uma canção para fazer você dançar.

Não compromete o som indie imposto por Allen, mas tem uma quantidade certa de elementos pop para torná-la uma das faixas mais cativantes do repertório. “Parachute” começa com uma batida no teclado onde, mais um vez, a letra consegue criar um visual forte e ao mesmo tempo excessivamente romântica e sentimental. É o tipo de balada rock padrão cantada por artistas pop masculinos, e onde temos o melhor vocal e refrão do álbum. “Ooh-oh, you’ve got me falling with a parachute / Saving me from black and blue / Ooh-oh, you’ve got me floating with a life vest / Both hands on my chest (…)”, Allen canta. “It’s Always You” é outra canção de amor, e por mais que seja muito bem interpretada por Allen, não tem nada de especial. É mais uma boa baladinha no violão, porém, sem muito destaque. Encerrando o álbum temos a faixa “Girl Across the Room”, canção escrita totalmente por Kris Allen, que prova ser um compositor muito talentoso.

É uma música agradável sobre o amor não correspondido, com a mesma simplicidade e bela melodia das outras faixas. O brilho e a maior graça de Kris Allen é a sua sinceridade e simplicidade musical. E com o “Horizons” ele não decepciona, pois apenas comprova que é um talentoso cantor e compositor. Sua personalidade calorosa só reforça positivamente, portanto, para quem gosta de música acústica e composições honestas, provavelmente, vai gostar desse material de Allen. Não é um trabalho esplêndido, até porque o intuito parece não ter sido esse, mas entre erros e acertos temos ótimas canções aqui. “Prove It to You”, “Beautiful & Wild” e “Parachute” são os melhores exemplos. Parece que Allen sente-se mais confortável sendo um músico simplicista, mesmo sendo vencedor de uma das maiores competições musicais dos Estados Unidos. Enfim, mesmo que não seja o seu melhor trabalho, com o “Horizons” Kris Allen descobriu o seu estilo único, mostrado através de novos horizontes.

61

Favorite Tracks: “Prove It to You (feat. Lenachka)”, “Beautiful & Wild” e “Parachute”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.