Resenha: Kendrick Lamar – untitled unmastered.

Lançamento: 04/03/2016
Gênero: Hip-Hop
Gravadora: Aftermath Entertainment / Interscope Records
Produtores: Astronote, Bizness Boi, Cardo, Egypt Daoud, DJ Khalil, DJ Spinz, Frank Dukes, Hit-Boy, Ali Shaheed Muhammad, Swizz Beatz, Adrian Younge, Yung Exclusive e Ritz Reynolds.

“To Pimp a Butterfly” foi um divisor de águas para Kendrick Lamar, pois colocou o rapper em outro patamar e o estabeleceu como um artista verdadeiramente inovador. Esse álbum, assim como o “Good Kid, M.A.A.D City” já estão entre os melhores álbuns de hip-hop do século XXI. Ele se tornou um nome muito familiar nos últimos anos, ganhou vários prêmios Grammy e está construindo um grande legado no hip-hop. O cara está com tanta moral que já ouve comparações diretas com lendas do rap, como The Notorious B.I.G. e Tupac Shakur. Não se contentando em descansar, após o lançamento do “To Pimp a Butterfly”, Lamar liberou recentemente um novo projeto com oito faixas. Sem um título oficial, apenas chamado de “untitled unmastered.”, o álbum é uma compilação com algumas das faixas que ficaram de fora do seu último disco. Embora possam ser b-sides ou demos, essa série de faixas inéditas possuem um alto valor de produção e uma estética bem polida. As datas incluídas em cada título das canções referem-se a data que elas foram gravadas. O repertório é rico em amostras e apresenta vocais sem créditos de artistas como Cee Lo Green, Anna Wise e SZA.

Embora seja um projeto inacabado e experimental, é incrivelmente coeso. Ele ilustra com propriedade o quanto Kendrick Lamar é um artista talentoso. Assim como em “To Pimp a Butterfly”, aqui o rapper criou combinações interessantes de hip-hop, jazz, funky e soul. Novamente, ele explora temas complexos e faz diversos comentários sociais. Seu fluxo permanece excepcional, e vai desde ao tom nasal até um barítono poderoso. A faixa de abertura, “untitled 01 l 08.19.2014”, é a melhor maneira de abrir o álbum. Ela começa devagar e com uma voz aterrorizante rindo ao fundo. Em seguida, Kendrick Lamar apresenta um fluxo incrivelmente rápido, conforme fala sobre os pecados da humanidade. “Eu era o orador oficial, eu estava com medo do julgamento / Mas confiante que eu tinha glória em todos os meus esforços passados / Fecho meus olhos rezo ao deus que eu vivo para sempre / Céus escuros, fogo e enxofre alguns de nós enviados para casa / Alguns de nós nunca fez algo de errado, mas ainda foi para o inferno”, ele recita como um profeta.

Suas descrições tangíveis e emocionais definem fortemente o tom para o restante do repertório. A bateria aqui é suave e, no geral, seu ritmo lembra algumas faixas do disco “To Pimp a Butterfly”. Consequentemente, o rapper já deixa claro que este material trata-se de uma segunda parte dele. A dinâmica imposta pela primeira faixa continua em “untitled 02 l 06.23.2014”. Uma canção introspectiva onde Lamar aborda a educação que teve na cidade de Compton. Ao mesmo tempo, ele fala sobre a sua ascensão à fama e prova que sempre vai permanecer fiel às suas raízes. Aqui, seu fluxo se mantém potente, enquanto ele brinca com a sua voz a fim de criar diferentes efeitos sonoros. Uma das melhores partes acontece no segundo verso, quando Lamar abaixo o tom e acelera o ritmo. Na composição da música temos um baixo poderoso, uma batida narcótica, saxofone e alguns elementos de jazz. Ou seja, os principais elementos encontrados no “To Pimp a Butterfly”. A terceira faixa, “untitled 03 | 05.28.2013”, parece uma singela continuação de “King Kunta”, porém, com novas influências.

Kendrick Lamar

É uma canção otimista, com elementos jazz e letras que examinam a perspectiva de diferentes minorias. Aqui, o rapper também aproveita para mencionar as lições de vida que aprendeu com outras culturas. A complexa reflexão de Kendrick Lamar combina perfeitamente com a natureza descontraída da canção. O ritmo groove e a batida são muito despojadas, assim como o fluxo de Lamar está ainda mais pegajoso. A quarta faixa é “untitled 04 | 08.14.2014”, um interlúdio de quase dois minutos que prepara o ouvinte para a próxima canção. A cantora SZA toma o centro das atenções aqui, a fim de ajudar Kendrick Lamar passar uma simples mensagem. É uma canção baixa, lenta e quase sussurrada. Liricamente, menciona a influência e corrupção do governo, assim como questiona o poder da religião: “Eles dizem que o governo engana a juventude, a juventude, a juventude, a juventude (…) / O pregador nem sempre diz a verdade, verdade, verdade”. A faixa seguinte, “untitled 05 | 09.21.2014”, possui uma maior dinâmica no instrumental. Aqui, temos a presença de uma pesada bateria, baixo, piano e saxofone.

Anna Wise é quem introduz os primeiros versos à música, através de vocais incrivelmente sensuais. Mais tarde, Jay Rock faz uma aparição e contribui com um rap bem sólido. Kendrick Lamar, por sua vez, é focado, agressivo e comenta sobre a sua jornada através da religião. A boa batida dá oportunidade para o rapper discutir com propriedade as injustiças e problemas da sociedade. Da mesma forma explosiva que começou, o instrumental permanece durante toda a sua execução. O que torna esta canção grandiosa é exatamente a boa mescla de vocais e instrumentos. “untitled 06 | 06.30.2014”, sexta faixa, é uma das minhas favoritas do álbum. Ela possui uma excelente percussão, assim como um ritmo orientado para o pop e o samba. Os tambores e as cordas orquestrais são verdadeiros destaques nesta canção. Cee Lo Green também possui uma presença marcante aqui, uma vez que ele colabora positivamente. Sua voz ficou muito bem entrelaçada com o rap de Kendrick Lamar. Liricamente, dessa vez, o rapper apresenta uma canção de amor, onde comenta sobre uma paixão por uma mulher.

Kendrick Lamar

Lançada como primeiro single, “untitled 07 | 2014 – 2016” é uma faixa poderosa produzida por Egypt Daoud, Cardo, Yung Exclusive, Frank Dukes e Swizz Beatz. O título sugere que esta canção foi criada e gravada no decorrer de dois anos, por isto Lamar se sentiu obrigado em dividi-la em três partes distintas. Na verdade, se você realmente prestar atenção ao escuta-la, vai perceber que a mesma parece uma colagem de diferentes canções. Por este motivo, a música atinge o pico de 8 minutos e 16 segundos de duração. Na primeira parte, Lamar é positivo e confiante: “Amor não vai te deixar tão alto quanto isto / Drogas não vai te deixar tão alto quanto isto / Fama não vai te deixar tão alto quanto isto / Levitar, levitar, levitar, levitar (…) / Não queremos problemas, não queremos problemas / Não queremos truques, nós não queremos truques / Queremos dólares, queremos dólares”. Em seguida, na segunda parte, apresenta um lirismo que aborda sua fama e grandeza na indústria: “Espero que seja evidente que eu inspirei mil MCs a fazer o melhor”.

Nesse momento, ele é reintroduzido por belos vocais de apoio e um pequeno cântico de uma criança, que relembra as raízes e infância do rapper: “Compton é onde eu sou / É onde eu venho, é onde eu sou”. A terceira parte, porém, termina com uma gravação dele no estúdio, sob alguns acordes de guitarra. Aqui, você pode ouvir ele rindo e cantando junto com alguns amigos. Essa transição faz o ouvinte sentir como se estivesse realmente no estúdio ao lado dele. A frase “Mas a cabeça é a resposta, cabeça é o futuro” aparece novamente no álbum, após ter sido mencionada pela primeira vez na quarta faixa. Isto faz você se perguntar o que ele realmente quer dizer com isso. “untitled 07 | 2014 – 2016” é a faixa mais longa do álbum, por isso tem muito a oferecer. Se você não se importa com o grande tempo de duração, provavelmente vai querer ouvir mais de uma vez. Ela é essencialmente bem dividida e exibe três passagens musicais diferentes. A batida é sólida e agarra a atenção com facilidade, assim como o bom fluxo de Kendrick Lamar. O rapper sempre se esforça para ser artístico em suas obras e aqui ele conseguiu mais uma vez.

Produzida por Thundercat, a faixa final, “untitled 08 | 09.06.2014”, é uma bela fusão de jazz, rap e funky. A sua composição é muito bem feita, assim como soa literalmente como uma faixa funky dos anos 1970. Musicalmente, ela é realmente incrível e fornece um baixo elétrico sintetizado, ótimos tambores e uma boa harmonização. Enquanto a excelente batida faz você querer se mexer, as letras contam uma história. Kendrick Lamar aparece para falar sobre os problemas financeiros da comunidade negra. Ele também aborda, mais uma vez, a sua fama, sucesso e de onde ele veio. O ritmo agridoce da canção exala uma vibração otimista, embora as letras mostrem uma descontentamento de Lamar perante a desigualdade social. “untitled unmastered.” apresenta alguns temas e conceitos repetitivos, mas, como um conjunto geral, é um material muito bom que adiciona mais uma gama de qualidade à discografia já espetacular de Kendrick Lamar. É um álbum que estende o que poderia ser um acabamento para o “To Pimp a Butterfly”. Apenas Lamar poderia ser capaz de fazer algumas faixas inacabadas e sem títulos tornarem poderosas dentro de um repertório.

76

Favorite Tracks: “untitled 01 l 08.19.2014”, “untitled 06 l 06.30.2014” e “untitled 07 l 2014 – 2016”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.