Resenha: Kehlani – SweetSexySavage

Lançamento: 27/01/2017
Gênero: R&B, Pop
Gravadora: Atlantic Records
Produtores: IAMSU!, Pop & Oak, Matt Campfield, Danny Klein, Autoro “Toro” Whitfield, Trevor Brown, Zaire Koalo, Jahaan Sweet, Rex Kudo, Sevn Thomas, Nick Seeley, Charlie Heat, Picard Brothers, The Featherstones, Novawav, Composer, P-Lo, JMIKE e Djemba Djemba.

Em 27 de janeiro de 2017, Kehlani lançou o seu primeiro álbum de estúdio, o “SweetSexySavage”. Dias depois, a cantora atingiu o terceiro lugar na principal parada de álbuns dos Estados Unidos. Esse álbum vê a cantora de 21 anos de idade, candidata a um prêmio Grammy, desafiar a maior parte da polêmica online que enfrentou em 2016. Tudo isso após uma turbulenta separação e uma tentativa de suicídio muito divulgada. Kehlani transformou um momento estressante de sua vida, em uma plataforma para falar sobre saúde mental, vida pública e relacionamentos. O título do “SweetSexySavage” contém adjetivos de diferentes tipos de mulheres, uma vez que o estilo de Kehlani é uma homenagem moderna à elas. O título, inclusive, nos remete a “CrazySexyCool” (1994), o bem-sucedido e aclamado disco do trio TLC.

“SweetSexySavage” é definitivamente um nome bem apropriado para esse registro, pois Kehlani mostra três lados de si mesma ao longo dele. Portanto, a função lírica do álbum é clara, honesta, íntima e objetiva. O som de Kehlani faz uma mistura de R&B contemporâneo com a essência clássica dos anos 90. O álbum começa com “Intro”, um poema falado por Reyna Biddy. Ela menciona ser uma super-mulher zangada e louca. Suas palavras andam lado a lado com o tema doce, sexy e selvagem de Kehlani. Esta introdução é um grito para as pessoas a valorizarem e tentarem compreendê-la, apesar de seus defeitos. Em seguida, Kehlani abre o álbum com a faixa “Keep On”. Nesta música, o namorado de Kehlani continua voltando com ela, enquanto a mesma reconhece suas falhas.

“Mas cada vez que eu venho rastejando de joelhos / Você está lá / E você continua voltando / E eu não sei por que você faz isso / Porque eu não sou boa para você”, ela canta aqui. Canções como “Distraction” e “Too Much” impressionam com suas harmonias de R&B suave, teclas confiantes e duplas batidas. “Distraction”, em particular, é uma das faixas do álbum que exploram o formado neo-soul. Em “Piece of Mind” Kehlani está interessada em ter um amigo com benefícios e reflete sobre relacionamentos do passado. Faixas como “CRZY” e “Do U Dirty”, por outro lado, mostram um lado mais brincalhão e igualmente feroz de Kehlani. “CRZY”, lançada como primeiro single do álbum, cativa pela variedade de estilos diferentes e batidas trap. Mais tarde, em “Personal” e “Not Used to It” encontramos partículas de vulnerabilidade que nos remetem a “Marvin’s Room” de Drake.

Depois de ouvir pelo menos as três primeiras músicas do álbum, você já consegue notar os lados doce, sexy e selvagem de Kehlani. Resumidamente, nesse disco ela discute todas as áreas de sua vida amorosa. Em suma, a cantora fala sobre o amor, percebe o seu valor como mulher e expõe o seu coração para os ouvintes. Esse álbum de estreia é claramente uma peça de trabalho que pretende expressar os seus sentimentos interiores. Do começo ao fim, Kehlani mostra uma grande quantidade de emoções. Além disso, cada música neste álbum possui a sua própria vibe. Também é aparente que Kehlani alcançou novas alturas como artista, após o lançamento de sua segunda mixtape, “You Should Be Here” (2015). Enfim, por trás de uma pitada indulgente de auto-tune e algumas esquetes cansativas, encontramos uma mulher doce, emocional, talentosa, sexy, independente e selvagem.

Favorite Tracks: “Keep On”, “Distraction” e “CRZY”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.