Resenha: Kasabian – For Crying Out Loud

Lançamento: 05/05/2017
Gênero: Rock Eletrônico, Eletrônica, Space Rock
Gravadora: Polydor Records
Produtores: HAIM, Ariel Rechtshaid, BloodPop, George Lewis Jr. e Rostam Batmanglij.

Com seus riffs cativantes e pulsos eletrônicos distintivos, Kasabian definitivamente tornou-se proeminente ao longo dos anos. É uma banda conhecida por seu groove, enquanto seus hits do passado exibiram poderosos ritmos. Formada em Leicester, Inglaterra, Kasabian parece estar indo para um direção sonora diferente no seu sexto álbum. A banda surgiu na cena rock do Reino Unido em 2004, e passou a tornar-se um dos maiores atos do país. Há algum tempo, Kasabian conseguiu fazer grandes malabarismos com suas canções de alta energia. Entretanto, com o tempo, sua música perdeu a intensidade e o toque misterioso de suas letras. A banda atingiu um obstáculo quando lançou o disco “48:13” (2014), principalmente por tentar experimentar o gênero dance. Embora a arte da capa de “For Crying Out Loud” seja dispensável, a banda parece estar voltando aos trilhos. Este novo álbum é a chance do Kasabian rejuvenescer, uma vez que possui grandes faixas e mostra o talento distinto do grupo. É um disco coerente, sólido e possui todas as características de um bom álbum da banda. 

Em outras palavras, é um disco agradável e imensamente animado. O repertório é suportado por guitarras, batidas de sintetizadores, vocais ousados e a marca registrada do Kasabian. Tom Meighan não perdeu sua atitude ao longo dos anos, e acaba se dirigindo para um começo divertido na faixa “Ill Ray (The King)”. Cheia de guitarras intensas, esta canção traça uma mudança bem-vinda após o álbum “48:13”. O principal riff de “You’re in Love with a Psycho” parece uma reprise do seu hit mais conhecido, “Fire”. Tomando um balanço mais melódico, é uma canção que realmente se dirige a um território familiar. Em sua composição possui guitarras cativantes, batidas de hip-hop e boas linhas de baixo. Escrita em dez minutos pelo guitarrista Sergio Pizzorno, ela possui comparações com macarrão e frutos do mar: “Eu sou como o sabor do macarrão em uma vara de frutos do mar”Mantendo a batida de forma constante, a música nunca afasta-se do seu tom repetitivo. Entretanto, isto inesperadamente lhe dá um groove muito agradável.

Apresentando um lado diferente da banda, “Wasted” vê Tom Meighan e Sergio Pizzorno criando um som acústico. Enquanto isso, a trombeta na abertura de “Comeback Kid” soa completamente divertida. Além do instrumento de metal, é uma faixa conduzida por excelentes melodias. Entre outras faixas, temos a fortemente sintetizada “Are You Looking for Action?” e a espetacularmente animada “Bless This Acid House”. Por fim, o álbum termina com um número acústico, intitulado “Put Your Life on It”. Uma música padrão de indie-rock com um pequeno toque country sobre ela. Ao longo do “For Crying Out Loud” temos momentos muito sólidos que destacam o potencial do Kasabian. É um álbum que marca uma fase experimental para uma banda que, na maioria das vezes, sempre manteve a mesma fórmula. Não é um disco particularmente impressionante, mas tem seus bons momentos. Aqui, parece que Kasabian está realmente se divertindo e produzindo boas vibrações para o ouvinte. Além do ótimo trabalho na guitarra, o álbum os vê mostrando excelentes habilidades na bateria e baixo.

Favorite Tracks: “You’re in Love with a Psycho”, “Comeback Kid” e “Bless This Acid House”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.