Resenha: Kaiser Chiefs – Education, Education, Education & War

Lançamento: 31/03/2014
Gênero: Indie Rock, Britpop
Gravadora: Universal Music
Produtor: Ben H. Allen III.

Lançado em 31 de março de 2014, “Education, Education, Education & War” é o quinto álbum de estúdio da banda inglesa Kaiser Chiefs. Produzido por Ben H. Allen III, é o primeiro álbum gravado com o novo baterista, Vijay Mistry, depois que Nick Hodgson deixou o grupo em dezembro de 2012. Desde que surgiu no cenário musical, com o álbum “Employment” (2004), Kaiser Chiefs faz muito sucesso no Reino Unido. A sua canção mais conhecida, “Ruby”, por exemplo, chegou na primeira posição da parada de singles em 2007. No decorrer dos anos, os britânicos do Kaiser Chiefs instalaram-se em uma certa zona de conforto, mas suas guitarras e composições ainda continuam afiadas. No “Education, Education, Education & War” eles não vieram de forma desafiadora, por isso o repertório só vai ficando melhor quando escutado várias vezes. A primeira faixa, “The Factory Gates”, abre o álbum com um ritmo bastante agressivo. Ela inicia com sons de gaivotas, enquanto apresenta um refrão extremamente contagioso. “The Factory Gates” define o tom para o restante do registro que, no geral, fornece letras sobre a insatisfação com o mundo moderno. O primeiro single, “Coming Home”, é uma faixa gloriosa, autêntica e suave que consegue combinar uma nostálgica sensação dos anos 80 com sons contemporâneos.

A segunda faixa, “Misery Company”, é uma canção de indie-rock obscura com ótimos solos de guitarra. Enquanto a melodia é perpetuamente empolgante, o refrão é construído em torno de maníacas risadas. “Ruffians On Parade”, por sua vez, é outra peça acelerada e padronizada que mistura uma sonoridade do final dos anos 70 com o britpop da década de 90. Logo em seguida, temos uma poderosa balada que dá uma ligeira freada no ritmo acelerado do álbum. Essa ótima canção, intitulada “Meanwhile, Up In Heaven”, contém toda a essência da banda e fornece uma melodia incrivelmente cativante. Menção honrosa para o teclado de Nick Baines, que nesta faixa transformou-se num destaque a parte. “One More Last Song” também é essencialmente Kaiser Chiefs, um indie-rock acelerado que levanta novamente o ritmo do álbum, enquanto “My Life” possui uma atmosfera de domingo de ressaca combinada com algumas boas letras. “Bows & Arrows” aparenta ser um desdobramento de “Misery Company”, amparada pela boa bateria e excelente produção do novo membro, Vijay Mistry. Os fãs com certeza vão cantar esta música nos festivais, pois possui um som muito cativante e memorável, mesmo que a letra não tenha um significado claro.

A penúltima faixa, “Cannons”, é muito bem construída, entretanto, tem a tendência de entrar em colapso por causa da longa duração. Possui alguns desordenados riffs de guitarra, influências progressivas e um pequeno poema no final como tentativa de Ricky Wilson emitir um comunicado. A última canção do registro é “Roses”, uma balada que acabou sendo uma boa escolha para encerrar o repertório. Apresenta a voz de Wilson num tom menor e incomum para o vocalista, seguida de uma melodia estritamente sentimental, saudosa e melancólica. Em suma, podemos dizer que o “Education, Education, Education & War” é uma melhoria se comparado com o seu antecessor. Não possui hits em potencial, no entanto, é um álbum com alguma direção e/ou propósito. A maioria das melodias são infecciosas e cativantes, embora não sejam fortes o suficiente para colocar o álbum num grande patamar. É um projeto surpreendentemente nervoso com letras de Ricky Wilson satirizando a sociedade britânica contemporânea e explorando a psicologia da guerra e do memorando anti-guerra. Kaiser Chiefs passou por mudanças radicais nos últimos anos, sendo a principal delas a saída do co-compositor Nick Hodgson. E, mesmo sem oferecer nada de novo, lançou um disco que provavelmente satisfará os maiores fãs da banda.

Favorite Tracks: “Coming Home”, “Meanwhile Up In Heaven” e “Bows & Arrows”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.