Resenha: Juanes – Loco de Amor

Lançamento: 11/03/2014
Gênero: Pop Latino, Pop Rock
Gravadora: Universal Music
Produtores: Steve Lillywhite e Juanes.

O colombiano Juanes, vencedor de 20 prêmios no Grammy Latino, lançou o seu sexto disco em março de 2014. Intitulado, “Loco de Amor”, é o seu primeiro álbum de estúdio desde o ” P.A.R.C.E.” de 2010. O título desse trabalho foi revelado em 30 de janeiro de 2014 nas redes sociais, com uma curta mensagem: “Meu sentimento é refletido em três palavras: Loco de Amor”. O seu último trabalho foi um álbum Ao Vivo, “Juanes: MTV Unplugged”, sob produção do músico dominicano Juan Luis Guerra e lançado em maio de 2012. Foi um registro baseado em uma compilação de todos os seus sucessos, em versão acústica, que ganhou muito atenção da crítica e do público. Criado em Medellín, Colômbia, Juanes começou a tocar guitarra aos sete anos. Aos 15 começou a tocar em sua primeira banda, Ekhymosis, em 1988, que chegou a lançar cinco álbuns e um bom reconhecimento em seu país natal. Em 1997, depois do fim da banda, Juanes continuou em carreira solo e lançou o seu primeiro material em 2000.

Dentre o seu variado repertório, suas canções mais conhecidas são “Volverte a Ver”, “A Dios Le Pido”, “Es Por Ti”, “La Camisa Negra”, “Me Enamora” e “Para Tu Amor”, que fez muito sucesso no Brasil. O astro colombiano é o segundo artista mais premiado pelo Grammy Latino e, em dezembro de 2009, recebeu o Prêmio Nacional pela paz na Colômbia, na categoria honorário. Isso porque ele também é muito conhecido por seu trabalho humaniário, sendo prestigiado, merecidamente, em várias ocasiões. “Loco de Amor” é um dos trabalhos mais diferentes de Juanes. Gravado em Los Angeles, o disco conta com apoio do famoso produtor britânico Steve Lillywhite (que não fala espanhol) e assistido por Emmanuel “Meme” del Real, astro do rock no México.

Lillywhite já trabalhou com várias bandas, desde U2 e os Rolling Stones até The Killers e Dave Matthews Band. Aqui, Juanes optou por tocar mais guitarra acústica do que elétrica, junto de seu ex-colega de banda, Fernando Tobon que o ajudou a criar uma textura tradicional junto de um mix decididamente provocante. A banda núcleo nesse álbum é menor, embora existam inúmeras aparições, e o som é quase despojado. O baterista Abe Laboriel, o baixista Brian Ray e o percussionista Richard Bravo, foram os caras convocados para completarem a banda. A faixa “Mil Pedazos”, que abre o disco, consegue soar bem fresca quando combinada com a percussão e os vocais apaixonados do cantor.

Juanes

Possui a tradicional guitarra de Juanes, um grande refrão e um piano que lembra o Bruce Springsteen. É a melhor e uma das poucas músicas que realmente conseguem se destacar no disco. A faixa-título, traz um vocal em sintonia com um coro feminino, além de misturar o rock latino com o dancepop e a salsa colombiana. “La Luz”, lançada como primeiro single, mescla o EDM com o funk e sons africanos, e ainda apresenta alguns falsetes de Juanes. Ás vezes, a equipe de criação vai para uma produção mais alta, como em “La Verdad”, que coloca as camadas em falsetes de Juanes sobre sintetizadores, palmas e guitarras acústicas. “Una Flor”, por sua vez, é canção romântica e tocada acusticamente, onde Juanes enfatiza um lindo ritmo através dos acordes de seu violão.

Lillywhite leva o cantor a alguns lugares incomuns na segunda metade do disco, a começar por “Delirio”, sexta faixa, que possui uma boa bateria, ótima guitarra e um enorme refrão agridoce. O balanço da midtempo “Laberinto” apresenta uma das mais belas melodias do repertório. Um sintetizador é jogado junto com a guitarra de Juanes, deixando bons vestígios no ar. “Labirinto” é o tema que mais impressiona, pois o tom muda quando a letra segue o seu romance. De qualquer maneira, tudo aqui no “Loco de Amor” é sobre o amor, mesmo que seja de forma mais pessoal, como na faixa “Persiguiendo el Sol”.

Juanes

Essa consegue dar um ar mais sério para o disco, onde ele conta sua história para seguir o seu sonho, a saída de casa e o aprendizado sobre a vida à sua maneira. Musicalmente, é conduzida com uma abertura na guitarra, um baixo pulsante e uma vibe agradável e “ensolarada”. “Corazón Invisible” começa como uma balada tingida de bossa, suavemente acariciada por violões e uma ágil percussão. Mas, em seguida, torna-se uma canção pop com um gracioso violoncelo e um baixo debaixo dos vocais de Juanes. A soulful “Me Enamoré de Ti”, inicialmente, parece uma balada acústica introspectiva, porém, eventualmente em sua execução, aparecem interlúdios suaves de guitarra clássica, violino e violoncelo.

No geral, as músicas são bem alegres e te convidam para dançar, com exceção da mid-tempo “Radio Elvis”, que encerra dignamente o registro. À primeira vista, o álbum com sabor de pop parece tão alegre e doce como uma paixão adolescente. Para os fãs de longa data do colombiano, o som parece ser muito diferente do que ele costuma fazer. Mas em um mergulho mais profundo, o álbum mostra-se outra coisa. Sob ganchos radio-friendly e grandes progressões de acordes, não há muito da voz poderosa de Juanes.

Ele já vendeu milhões de discos e possui vários hits. Junto de Shakira e Carlos Vives, é um dos músicos colombianos mais conhecidos no exterior, logo não tem nada a provar. No entanto, “Loco de Amor”, como o título sugere, deixa de lado suas preocupações sociais e filosóficas, para focar excessivamente em um registro apenas com canções de amor (embora ele sempre tenha escrito muitas delas). As músicas ainda são repletas de ritmos latinos, entretanto, ficaram muito dependentes de sintetizadores e outras ferramentas de padrão moderno. Dessa forma, não entregaram nada de espetacular, apenas uma sonoridade mais eletrizante do que seus trabalhos anteriores.

57

Favorite Tracks: “Mil Pedazos”, “Delirio” e “Radio Elvis”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.