Resenha: John Legend – Darkness and Light

Lançamento: 02/12/2016
Gênero: R&B, Soul
Gravadora: Columbia Records / GOOD Music
Produtores: Blake Mills, John Ryan, Greg Kurstin, Miguel, BloodPop, Ludwig Göransson, The Belle Brigade e Eg White.

Dez Grammy Awards, 1 Globo de Ouro, 1 Óscar, várias colaborações bem sucedidas e quatro álbuns num período de onze anos, tornaram John Legend em um grande artista. A cada novo disco lançado, o cantor de 38 anos combina sua sensibilidade de alma antiga e influências ecléticas, a fim de mostrar todo o seu talento. O seu timbre distinto e letras modernas, mantém a sua própria marca nos holofotes, enquanto o torna em uma grande estrela de R&B. Após lançar grandes sucessos, em particular “All of Me”, John Legend atingiu novas alturas. Em 02 de dezembro de 2016, o cantor de Ohio lançou o seu quinto álbum de estúdio, intitulado “Darkness and Light”. O título descreve perfeitamente a combinação de sons e letras do álbum, que vai desde baladas soul até músicas mais alegres. O repertório é composto por 12 faixas que concentram-se em destacar as habilidades vocais de Legend. Liricamente, a maioria das faixas lidam com o amor e os seus altos e baixos. O R&B, sem dúvida, integra a maior parte do “Darkness and Light”.

Apenas uma canção do álbum não adota tal gênero. No entanto, Legend também sai de sua zona de conforto, ao introduzir algumas influências rock, guitarras e percussão na faixa-título “Darkness and Light”. Da mesma forma, ele opta por um arranjo de metal e jazzy em “Overload” com Miguel, além de sintetizadores e sons eletrônicos escuros em “What You Do to Me”. Essa última é bastante diferente do seu som habitual, o que parece um pouco impressionante. A qualidade do álbum permanece consistente ao longo de sua duração. Mas se você está esperando a continuação do “Love in the Future”, poderá se surpreender. Pois as exuberantes e aveludadas canções de amor do seu último disco foram recalibradas e tornaram-se algo diferente. A autenticidade de John Legend não mudou, mas os seus métodos de entrega tornaram “Darkness and Light” mais arenoso e interessante. O disco abre com “I Know Better”, canção que contém uma introdução soulful e órgãos de igreja.

Na vibrante “Penthouse Floor” os vocais de Legend deslizam através de versos emocionais, enquanto Chance the Rapper traz uma vibração moderna de hip-hop para o jogo. Embora “Penthouse Floor” tenha uma batida dançante, a canção é sobre viver a vida mesmo quando há grande problemas em nossa volta. O primeiro single, “Love Me Now”, é uma canção soul com influências dancehall de ritmo mais rápido. Aqui, Legend consegue incorporar letras profundas e uma melodia muito cativante. “Love Me Now” mostra perfeitamente as habilidades do cantor em combinar boas melodias com um apelo radio-friendly. “Não sei quem vai beijá-la quando eu me for / Por isso vou amá-la agora, como se fosse tudo o que tenho”, John Legend canta aqui. Uma canção muito esperada pelos seus fãs foi “Right by You (For Luna)”, pois é dedicada a sua filha, Luna. Uma balada de piano pungente que descreve os medos de um pai. O seu arranjo mistura o poder das cordas de um piano e os tons profundos de um oboé.

É uma bela música que define todos os pensamentos e medos que um pai pode ter. Enquanto isso, a simples “Temporarily Painless” apresenta um dramático instrumental na introdução antes de fornecer uma batida suave e futurista. Em seguida, “Same Old Story” apresenta um lamento mid-tempo e bluesy, sobre situações não resolvidas e uma relutância em melhorar as coisas. Por fim, “Marching Into the Dark” conclui o álbum com um inesperado aceno para o funk. Com algumas mudanças de humor, “Darkness and Light” é um álbum bem elegante e agradável. Apesar do som moderno, John Legend continua a recriar o sentimento de intimidade de seus álbuns anteriores. O tema de amor habitual de sua discografia ainda é explorado profundamente neste álbum. Isso inclui o medo de perder alguém, decepções amorosas, raiva e sentimentos nostálgicos. No geral, eu realmente gostei do “Darkness and Light”. A voz de John Legend e a versátil produção fazem com que o álbum mereça ser ouvido.

Favorite Tracks: “I Know Better”, “Penthouse Floor (feat. Chance the Rapper)” e “Love Me Now”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.