Resenha: Jake Owen – American Love

Lançamento: 29/07/2016
Gênero: Country
Gravadora: RCA Nashville
Produtores: Lukas Bracewell, Ross Copperman, Luke Laird, Shane McAnally e Jake Owen.

“American Love” é o título do quinto álbum de estúdio do cantor americano Jake Owen. O disco foi lançado em 29 de julho de 2016, através da gravadora RCA Nashville. Jake Owen, atualmente com 34 anos, começou sua carreira em 2006, quando lançou o seu primeiro álbum, intitulado “Startin’ with Me”. Desde então, ele já acumulou alguns singles de sucesso nas rádios country, entre eles “Don’t Think I Can’t Love You”, “Barefoot Blue Jean Night”, “Alone with You”, “The One That Got Away” e “Beachin'”. Owen passou por muitas coisas desde o lançamento do seu último álbum, há três anos. Mas não espere ouvir um disco autobiográfico em seu mais recente esforço. Na verdade, você vai encontrar exatamente o oposto disso, pois ele incorpora tudo o que os seus fãs já conhecem. “Este álbum tem sido muito esclarecedor, porque eu me encontrei através das canções. Eu consegui voltar ao básico no “American Love”, ele disse a respeito.

O álbum realmente soa autêntico, conforme ele disse que é o tipo de música pelo qual quer se lembrado. Ross Copperman e Shane McAnally desempenharam papeís importantes na criação das faixas. Cheio de diversidade, “American Love” mostra os vários lados da personalidade de Jake Owen. É a trilha sonora adequada para aqueles que vivem suas próprias vidas americanas. Um álbum carregado de positividade que aborda temas como amor e renascimento, através de suas próprias perspectivas. Encontramos um Jake Owen revivido, após dias de escuridão causados por seu divórcio. Dado os problemas que ele passou em sua vida pessoal ao longo dos últimos anos, você o teria perdoado se “American Love” fosse cheio de baladas. Mas, em contrapartida, o conjunto de 11 faixas é preenchido por otimismo, batidas up-tempo e divertidas canções. Está enquadrado em torno de romances hipnóticos, excursões joviais e um desejo de ser feliz.

Apesar disso, não posso deixar de mencionar que o álbum também possui suas falhas. A principal delas é a postura clichê e a previsibilidade em diversos momentos. O registro começa com a faixa-título, “American Love”, que imediatamente coloca você no clima de bem-estar, através de uma seção de metais e instrumentação insuflável. Este disco pode fluir facilmente, mas possui alguns truques modernos. “After Midnight”, por exemplo, pulsa com seus sintetizadores analógios, enquanto “Good Company” desliza sobre uma batida disco mal ajustada. Na letra de “Good Company” o cantor aproveita a pegada descontraída, para falar sobre festas e lazer com bons amigos. Algumas vezes, os melhores momentos do álbum é revestido através de números mais suaves. A lenta rotatividade de “Where I Am” beneficia-se da leveza vocal de Jake Owen. É uma faixa da qual ele confessa sua adoração por uma mulher e diz que sempre vai estar ao lado dela.

Jake Owen

Outro destaque do álbum é “Everybody Dies Young”, música que sugere viver a vida ao máximo. As letras resumem a vontade de Owen em ser feliz: “Não importa quanto tempo estamos aqui / Ele nunca vai ser longo o suficiente”, ele canta. “Você só tem uma vida, então você tem que vivê-la / Você só tem um coração, então é melhor dá-lo”. O álbum fornece o amor jovem através de canções como “VW Van”. Ela possui uma guitarra e seção de metais jogados em uma atmosfera bem praiana. Seu espírito é bem-vindo e uma verdadeira ode ao simpático carro da Volkswagen. “LAX” é um bom exemplo de canção pensativa, com narrativa envolvente e um apelo comercial. É um número polido, com uma boa entrega vocal e letras que imploram por um antigo amor. É country no seu melhor, com forte presença de uma guitarra pedal steel e o barítono do cantor. “If He Ain’t Gonna Love You”, escrita por Luke Laird, Shane McAnally e Chris Stapleton, mostra o lado bluesy de Jake Owen.

Nessa música, encontramos o cantor falando com uma mulher solitária que conheceu no bar. É uma canção um pouco mais rock do que estamos acostumados a ouvir de Owen. Os marcantes riffs de guitarra elétrica e as harmonias vocais de Stapleton, foram acompanhamentos ideais. No repertório também temos espaço para uma grande balada, intitulada “When You Love Someone”. É facilmente a música mais pessoal e emocional do repertório. Aqui, Jake Owen canta acompanhado por harmonias vocais femininas e uma simples melodia de piano. Ela soa escassa, mas é uma verdadeira autobiografia do seu casamento. Sua performance vocal está no ponto e carregada de sentimentalismo. Mais tarde, o cantor muda sua entrega vocal e apresenta algumas inflexões de R&B na faixa “You Ain’t Going Nowhere”. A pista apresenta uma boa guitarra, incluindo um breve solo na ponte. Essa canção antecede o primeiro single e última faixa do álbum: “American Country Love Song”.

É um número mid-tempo nostálgico, onde Jake Owen mostra como ser jovem e apaixonado nos Estados Unidos. Usando palavras faladas nos versos, ele nos leva para uma viagem ao lado de um casal. Dentro da narração ele instiga o ouvinte com lembranças de momentos bem relacionáveis. Com uma instrumentação, que inclui um violão de aço e uma guitarra elétrica, ele tenta promover a positividade e o amor. “American Love” é um registro que está cheio de romantismo e otimismo, com um pouco de introspecção tentando encontrar algum equilíbrio. Pela primeira vez, Jake Own colocou a mão na produção de alguma de suas músicas. Felizmente, ele se saiu bem, uma vez que co-produziu números sólidos, tais como “VW Van” e “When You Love Someone”. No geral, “American Love” é conduzido por uma abordagem leve e ateado por composições diversificadas. É um álbum que, apesar de qualquer falha, é satisfatório.

63

Favorite Tracks: “American Love”, “Where I Am”, “Everybody Dies Young”, “LAX” e “If He Ain’t Gonna Love You”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.