Resenha: Idina Menzel – Idina.

Lançamento: 23/09/2016
Gênero: Pop
Gravadora: Warner Bros.
Produtores: Greg Wells, Eric Rosse e Matt Morris.

A vencedora do Tony Award, Idina Menzel, retornou em 2016 com seu quinto álbum de estúdio. Lançado em 23 de setembro de 2016, o seu novo LP, intitulado “Idina.”, traz uma coleção de 12 faixas. Depois de lançar um álbum natalino e um conjunto sinfônico ao vivo, Idina Menzel finalmente regressa com um LP mais adequado. Em 2014 ela ganhou holofotes como a voz da rainha da neve Elsa, no filme Frozen, e cantando o hit “Let It Go”. Desde que essa canção repercutiu na trilha sonora de Frozen, a poderosa voz de Menzel foi ouvida em toda parte. Ela possui uma voz de grande alcance que desliza com facilidade por cada nota. Mas, apesar da bela voz, o seu mais novo disco soa como uma coleção de canções da Disney, cobertas por letras mais universalmente aceitáveis.

Ela tentou criar um som mais expansivo, diferente do disco natalino “Holiday Wishes”, entretanto, o LP soa como uma soundtrack de algum filme. A primeira faixa, “Small World”, é embalada por sua voz poderosa, no entanto, revestido por um fraco instrumental. Este problema é consertado na faixa seguinte, “Like Lightning”, mas a vibe da Disney permanece em evidência. Idina tentou injetar um pouco de modernidade no repertório, particularmente em faixas eletrônicas como “Queen of Swords” e “Cake”. Essa última, em particular, é uma das músicas mais estranhas do disco, pois sua letra deixa espaço para diversas interpretações. No momento em que as faixas “I See You” e “Everybody Knows” surgem, você já começa a sentir-se cansado do álbum.

idina-menzel

“Last Time” é uma das poucas canções do disco que consegue empolgar o ouvinte. O suave piano é utilizado de forma dinâmica ao lado de uma sombria performance vocal. É uma canção construída lentamente por vários elementos, com a voz de Menzel tornando-se apaixonante a cada momento. A poderosa “I Do” também fornece alguns bons momentos. Ela segue pelo mesmo caminho da faixa anterior, ao utilizar o apoio de um piano e uma batida de tambor sobre os vocais confiantes de Menzel. As harmonias sobem lindamente ao entrelaçar umas com as outras, enquanto as cordas de guitarra adicionam um toque extra. Liricamente, “I Do” é uma resposta de Idina para o seu divórcio com o ator Taye Diggs.

A cantora tenta dar o seu melhor durante o single “Perfect Story”, faixa liberada antes do lançamento do álbum. Essa canção sente-se como seu single mais pessoal e autêntico. O refrão é muito bem executado, enquanto os “ohs” no final provam ser o toque ideal. Sem surpresas, Idina Menzel oferece vocais e tons incríveis. O trabalho de produção é simples, porém, agradavelmente polido. Como um todo, “Idina.” pode ser o álbum mais pessoal de Menzel até à data. Em grande parte co-escrito por ela, o registro consegue oferecer alguma vitalidade de sua persona. Mas, apesar das boas performances vocais, há apenas algumas faixas realmente boas aqui. Infelizmente, a cantora não se sobressaiu com esse novo álbum e, consequentemente, deixou muito a desejar.

56

Favorite Tracks: “Last Time”, “I Do”, “Extraordinary”, “Perfect Story” e “Nothin’ in This World”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.