Resenha: Gucci Mane – Droptopwop

Lançamento: 26/05/2017
Gênero: Hip-Hop, Trap
Gravadora: GUWOP / 1017 Records / Atlantic Records
Produtores: Gucci Mane, Metro Boomin, Cubeatz, DJ Seezy, DJ Spinz, London on da Track e Southside.

Gucci Mane está de volta, de novo. “Droptopwop” é outro projeto sólido do artista de Atlanta. Desta vez, o rapper conhecido por seu som trap, se reuniu com um dos melhores produtores de hip-hop dos últimos anos, Metro Boomin. A produção é realmente incrível, pois Boomin proporcionou cenários ideais para isso. As músicas possuem suas semelhanças, mas devido terem sido produzidas pela mesma pessoa. O lirismo não é único ou poderoso, mas consegue ser eficaz. O jogo de palavras de Gucci Mane está presente, com algumas rimas inteligentes e uma boa variação no fluxo. Os recursos utilizados, que inclui Offset, 2 Chainz e Rick Ross, são ótimos. Todos eles ajudam a romper a monotonia quando ela se instala. Gucci Mane saiu da prisão há um ano e, desde então, já lançou 2 álbuns de estúdio, 1 álbum colaborativo e 2 mixtapes. Ele é claramente um homem mudado que, aparentemente, aprendeu com os seus erros. Gucci conseguiu dar uma nova tomada e mais vida para os seus projetos. Embora o seu fluxo esteja mais pronunciado, os seus temas líricos são praticamente os mesmos do passado.

Durante anos, ele foi uma das figuras centrais do movimento trap de Atlanta, Geórgia, e já lançou inúmeros álbuns e mixtapes. Ele realmente possui uma discografia extensa. E, quando foi anunciado que Metro Boomin produziria todo “Droptopwop”, muitos ficaram ansiosos para ouvir. Quando se trata de bangers trap, Boomin nunca decepciona. Suas habilidades combinadas com o talento de Gucci para fluxos e refrões cativantes, fez “Droptopwop” ser agradável de se ouvir. Como já mencionado, a produção de Boomin é o principal aspecto dessa mixtape. Na minha opinião, praticamente todas as faixas são sólidas por causa das batidas de Boomin. Comparado ao último trabalho colaborativo de Metro Boomin com 21 Savage, “Droptopwop” aparenta ter um maior valor de repetição. A terceira faixa do repertório, “Hurt a Nigga Feelings”, apresenta sinistros sons de filmes de terror antigos, além de um baixo profundo. Gucci Mane faz um ótimo trabalho em cima da batida, com o seu fluxo alternativo, ganchos e versos. A faixa seguinte, “Helpless”, é outra canção interessante dentro do álbum.

Ela esquenta as coisas, enquanto Metro Boomin mostra sua habilidade de manter uma batida minimalista interessante o tempo todo. O rapper Offset, integrante do grupo Migos, aparece na quinta faixa do registro, intitulada “Met Gala”. Ele injeta um pouco de qualidade na música, entrando com o seu estilo de assinatura silencioso e sincronizando o seu fluxo com Gucci Mane. Offset conseguiu colocar bastante personalidade nessa canção, tanto que entre o seu primeiro verso e o gancho de Gucci, eu pensava que estava escutando alguma música do Migos. Na sequência, uma batida escura surge na faixa “Finesse the Plug Interlude”. As batidas de Metro Boomin sempre nos dão alguma tonalidade obscura e aqui não foi diferente. Elas invocam uma sensação sinistra muito evocativa, interessante e eficaz. Entre outras faixas que se destacam, temos “Both Eyes Closed”, com 2 Chainz e Young Dolph, e “Loss 4 Wrdz”, com Rick Ross. A combinação de Gucci Mane e Metro Boomin foi realmente muito boa. Ambos conseguiram fazer um projeto que é um passo acima do habitual trabalho de Gucci Mane. No geral, essa mixtape mostra que o rapper de Atlanta não planeja mudar a sua fórmula de trabalho, mas sim aperfeiçoa-la.

Favorite Tracks: “Hurt a Nigga Feelings”, “Met Gala (feat. Offset)” e “Both Eyes Closed (feat. 2 Chainz & Young Dolph)”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.