Resenha: dvsn – Morning After

Lançamento: 13/10/2017
Gênero: R&B Alternativo
Gravadora: OVO Sound / Warner Bros. Records
Produtores: Nineteen85, 40, Alpha, Maneesh, Noël e Robin Hannibal.

Após o lançamento do seu álbum de estreia, “Sept. 5th” (2016), o duo dvsn – pronuncia-se “division” – retornou com seu segundo álbum, “Morning After”. O produtor Nineteen85 e o vocalista Daniel Daley continuam explorando um som distinto, combinando vocais em melisma com uma produção de R&B e neo-soul. Famoso por seu trabalho com Drake, o produtor Paul Jefferies, conhecido profissionalmente como Nineteen85, foi o responsável por revelar os talentos de Daniel Daley. Conseguir se destacar dentro da OVO Sound pode ser um pouco difícil, afinal o rótulo possui nomes como Drake, Majid Jordan e PARTYNEXTDOOR. Entretanto, o seu primeiro disco foi uma agradável surpresa. Ele apresentava uma sensualidade emotiva que, muitas vezes, falta em álbuns de R&B da atualidade. “Morning After”, por sua vez, expande a paleta sonora do duo e é um exemplo brilhante da excelente combinação de sons orgânicos e sintéticos. É um projeto encantador de R&B alternativo com uma ótima progressão sonora. Linhas de baixo em expansão misturam-se facilmente com guitarras, violões, teclados e vocais de fundo, principalmente em faixas como “P.O.V.” e “Morning After”.

Em comparação com o seu disco de estreia, este álbum desvia-se da preocupação com luxúria e dor, em favor do amor e perdão. Com este registro, Daley e Jefferies emergem das sombras e trilham o seu próprio caminho dentro do grupo OVO Sound. Em “P.O.V.” eles realmente abraçam abertamente alguns elementos do R&B de raiz, ao passo que apresenta uma notável amostra de “Fortunate” de Maxwell. A faixa-título, por sua vez, traça um caminho mais alternativo, até mesmo adicionando algumas vibrações indianas na batida. Ademais, uma guitarra acústica incrivelmente sonhadora ainda é combinada com delicadas teclas de piano. A faixa de abertura, “Run Away”, contém vocais brilhantes e uma linha de baixo exigente que agarra o ouvinte imediatamente. Sua musicalidade é minimalista e temperamental, conforme Daley utiliza vocais em falsete e fornece uma entrega completamente emotiva. É uma canção mais dramática em sua instrumentação, conforme violinos são incorporados e criam um clima de suspense. Enquanto “Nuh Time / Tek Time” é poderosamente celestial, “Keep Calm” surpreende com o seu solo de piano e linha de baixo encorpada.

O primeiro single, “Think About Me”, apresenta clássicas amostras de soul dos anos 80 e 90. É, indiscutivelmente, uma das melhores faixas de todo o álbum. Embora o repertório seja ótimo, às vezes o duo mostra alguns sinais de fraqueza. Mesmo a produção sendo um destaque a parte, “Mood” e “You Do” são um pouco entediantes, principalmente quando as amostras não harmonizam bem com o falsete de Daniel Daley. Em termos de agitação, o maior destaque deve ser “Can’t Wait”, devido ao forte groove, ritmo encantador, entrega vocal descontraída e guitarra espanhola. Faixas mais maduras, como “Body Smile” e “Conversations in a Diner”, são embaladas com um prazer e dor intimista, ao mesmo tempo que são expressivas e expansivas. “Body Smile”, em particular, é o exemplo perfeito de como a composição de dvsn amadureceu com o tempo. “Morning After” é um registro mais artístico, consistente, equilibrado e delicado. Partindo das raízes tradicionais do duo, o álbum proporciona uma composição mais polida e bem sucedida. Através de batidas experimentais, cinematográficas e vocais em falsete, dvsn mostra toda a sua maturidade.

Favorite Tracks: “Nuh Time / Tek Time”, “Think About Me” e “Body Smile”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.