Resenha: Dolly Parton – Pure & Simple

Lançamento: 19/08/2016
Gênero: Country
Gravadora: Dolly Records / RCA Nashville
Produtor: Dolly Parton.

Com mais de 40 álbuns de estúdio em seu currículo, Dolly Parton é uma das artistas mais célebres da música country. Dito isto, seu 43º registro, “Pure & Simple“, foi lançado em 19 de agosto de 2016. Esse disco definitivamente adere ao seu título, enquanto discute o amor, perda e nostalgia. Dolly Parton percorreu um longo caminho, antes de encontrar o sucesso como artista solo. Ela começou a escrever canções muito jovem, quando ainda morava em Tennessee. Uma de suas canções mais conhecidas é “I Will Always Love You”, hit internacional de Whitney Houston. Em sua prateleira encontram-se 8 Grammy Awards, 7 Academy of Country Music Awards e 10 Country Music Association Awards. Ela é uma das poucas artistas a receber pelo menos uma indicação nos 4 maiores prêmios da indústria do entretenimento: Óscar, Grammy, Tony Awards e Emmy Awards.

“Pure & Simple” conta com dez faixas de amor escritas unicamente por Dolly Parton. As despojadas canções utilizam uma instrumentação mínima, como guitarras acústicas, bandolim, pedal steel, piano e leve percussões. Uma mistura de regravações e canções inéditas, proporcionam uma abordagem minimalista. Apropriadamente, a cantora retorna às suas raízes com um tratamento mais discreto. O registro tende a lembrar um estilo convencional e possui melodias intemporais. O vocal intocada de Parton oferece bastante honestidade, assim como no auge de sua carreira. A faixa-título, “Pure and Simple”, abre com um pano de fundo simples. Uma balada de amor mid-tempo onde Parton exalta as virtudes dos relacionamentos.

Dolly Parton

Sua releitura de antigos duetos com Porter Wagoner, como “Say Forever You’ll Be Mine” e “Tomorrow Is Forever”, são demonstrações de suas capacidades líricas. “Say Forever You’ll Be Mine” é apresentada sob uma guitarra, violinos e melodias carregada de emoções e sentimentos. “Tomorrow Is Forever” é um lindo lamento que promove o melhor do country old-school. O álbum é muitas vezes delicado como em “Never Not Love You”, “Kiss It (And Make It All Better)” e “Forever Love”. Nas três faixas a cantora consegue tocar em diferentes aspectos de um relacionamento. “Can’t Be That Wrong” é uma balada sombria que lembra as canções de amor de Dolly durante a década de 70. “Outside Your Door”, por sua vez, apresenta sua voz no ponto mais forte, com uma vasta gama e harmonias requintadas.

A coisa mais próxima de sua música pop é a nostálgica “I’m Sixteen”. Nessa canção, encontramos Dolly revivendo sua juventude despreocupada. É uma música rítmica pontuada por uma suave guitarra elétrica, que tenta capturar, caprichosamente, imagens juvenil. “Isso mostra que você nunca está velho / A menos que você escolha ser”, ela canta aqui. Mais tarde, ela mostra o seu senso de humor na brincalhona “Head Over High Heels”. Essa canção destaca a abordagem lírica mais confiante e atrevida da cantora. No geral, “Pure & Simple” não é o seu melhor álbum, mas contém algumas grandes canções e belíssimos arranjos. Para ela, não havia momento melhor para honrar o amor em todas as suas formas. Ela o explorou de forma bem adequada durante as dez faixas. A cantora de 70 anos, prova que a idade é, afinal, apenas um número.

62

Favorite Tracks: “Say Forever You’ll Be Mine”, “Kiss It (And Make It All Better)”, “Can’t Be That Wrong”, “Outside Your Door” e “Tomorrow Is Forever”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.