Resenha: DJ Snake – Encore

Lançamento: 05/08/2016
Gênero: EDM, Trap
Gravadora: Interscope Records
Produtores: DJ Snake, Skrillex, Yellow Claw e Aalias.

William Sami Etienne Grigahcine, mais conhecido por DJ Snake, é um produtor francês que estreou na cena musical com os singles “Bird Machine” e “Turn Down for What”. Lançado em 05 de agosto de 2016 pela Interscope Records, “Encore” é o seu primeiro álbum de estúdio. Nos últimos três anos DJ Snake estabeleceu-se como um grande produtor no cenário EDM, algo marcado pelo enorme sucesso de “Turn Down for What” (com Lil Jon) e “Lean On” (com Major Lazer). O produtor francês conseguiu esculpir o seu lugar no mainstream com alguns lançamentos. Entretanto, “Encore” é a sua primeira experiência no formato de um disco completo. Com o aumento de sua popularidade, ele merecia ter a oportunidade de lançar o seu primeiro álbum de estúdio. Após um ano de especulações, o registro foi finalmente lançado. “Encore” apresenta uma repertório com 14 faixas e colaborações com Skrillex, Justin Bieber, Mr Hudson, Travi$ Scott, Swizz Beatz e Jeremih.

Com tantos nomes populares sendo apresentados, as expectativas para o álbum elevaram-se. A música de DJ Snake é muito alta e desgastante, mas também extremamente viciante. Ele utiliza muito elementos do trap e dubstep em cima de números EDM, com o mesmo estilo de assinatura do Diplo. Obviamente, é o tipo de música que te faz querer dançar, mas, por outro, não contém emoção ou alguma mensagem. Quem procura profundidade lírica estará ouvindo o disco errado, entretanto, aquele que quer algum entretenimento ou diversão, poderá se identificar. O único problema é que esse estilo de música perde o seu brilho após algumas escutas, principalmente quando o repertório possui quase 1 hora de duração. Claro, DJ Snake possui grandes inspirações ecléticas e uma ampla gama de talentos. Por este motivo, algumas faixas do “Encore” fazem uma mistura viciante de música eletrônica, dance, hip-hop e pop.

dj-snake

Ou seja, o disco abrange uma série de gêneros e sub-gêneros, apresentados ao lado de um som dance contemporâneo. O pontapé inicial do “Encore” é dado pela faixa “Intro (A86)”. Ela define o tom para o disco, com suas cativantes melodias de piano, boas vibrações e vocais distorcidos. O eletro-house “Middle”, com Bipolar Sunshine, foi lançado como single em outubro de ano passado. Essa faixa destaca-se pela produção e esforço vocal do britânico. É um número extremamente pegajoso e muito adequado para o acúmulo da faixa seguinte. Sua aguardada colaboração com Skrillex chama-se “Sahara” e aparece logo em seguida. Começando com uma lenta e melódica progressão, a pista explode em uma onda de contundentes batidas trap e animados sintetizadores. É uma canção que soa como uma fusão perfeita dos sons de assinatura de ambos artistas. Em seguida, o clima do álbum fica mais lento com a hipnotizante “Sober”.

Apresentando o cantor JRY, essa faixa combina bons licks de guitarra com marcantes vocais. Um belo número downtempo com uma produção muito espaçosa e arejada. A quinta faixa, “Pigalle”, é uma colaboração de DJ Snake com o duo holandês Moksi. É um verdadeiro banger eletrônico com potencial para agitar qualquer festival. Sua produção é bem dinâmica e possui fortes influências do sub-gênero bass-house. “Talk”, com George Maple, é uma canção de tropical-house incrivelmente melódica e suave. Antes mesmo do lançamento do álbum, ela foi a escolhida para segundo single do mesmo. Embora seja um tanto quanto barulhenta, “Ocho Cinco”, com Yellow Claw, tem todos os requisitos para causar tremores nas multidões de seus shows. A fatia de hip-hop presente no “Encore” é mostrada em “The Half”, com Jeremih, Young Thug e Swizz Beatz, e “Oh Me Oh My”, com Travis Scott, Migos e G4shi. “On Me Oh My” possui vocais fortemente sintonizados, além de inquietantes batidas e instrumentação esparsa.

“The Half” oferece o mesmo tipo de sensação, porém, é mais eletronicamente manipulada. A anteriormente conhecida “Propaganda” oferece acúmulos emocionantes, baixo pesado e drops ensurdecedores. Posteriormente, DJ Snake junta forças novamente com G4shi na próxima música chamada “4 Life”. Essa canção consiste, basicamente, na perfeita mistura dos vocais do rapper e pesados instrumentais trap. Além disso, DJ Snake injetou uma produção etérea com amostrais de corais, que criam um belo e assombroso efeito por trás dos versos de G4shi. De todas as faixas influenciadas pelo hip-hop, “4 Life” é a mais forte. Ao contrário das outras, a sua produção é contida e limpa. “Future, Pt. 2” é outra colaboração com Bipolar Sunshine, caracterizada por uma batida house up-tempo e um sintetizador otimista. É uma peça eletro-funk eclética, que permite Bipolar Sunshine assumir o controle das coisas.

dj-snake

A linha de baixo groove e a agradável melodia são um dos principais componentes de sua boa produção. O hit “Let Me Love You”, com Justin Bieber, já atingiu o #4 lugar na Billboard Hot 100 e está sendo tocada exaustivamente nas rádios. É uma música EDM e tropical house, com influências do dancehall, com a típica assinatura sonora de DJ Snake. A produção é bem simples e vagamente parecida com a de “Lean On”, por conta dos sintetizadores e melodia. É um dos melhores momentos do registro, uma vez que torna-se viciante após algumas escutas. A última faixa do registro, “Here Comes the Night”, proporciona uma engenhosa combinação da produção requintada de DJ Snake com os surpreendentes vocais de Mr Hudson. Seus vocais são extravagantes e multi-dimensionais, e correspondem perfeitamente aos sintetizadores. É um dos poucos momentos do álbum, onde o estilo de DJ Snake e do convidado agregam-se de forma significativa.

Conhecido por seu trabalho de produção no álbum “808s and Heartbreak” de Kanye West, Mr Hudson proporciona um gancho vocal excepcionalmente cru. Snake coloca pesados acordes de sintetizadores para trabalhar sobre ritmos de hip-hop. A melodia do sintetizador sente-se melancólica, porém, muito excitante. A pista brilha com sua melancolia efervescente sob a influência de um future-bass insuflável. O trabalho de produção desta canção ficou realmente incrível. Em suma, “Encore” é um disco muito eclético que abrange vários subgêneros da música eletrônica. Enquanto não é um álbum que inova ou atravessa fronteiras, a sua tracklist é composta por alguns número muito cativantes. Os seus valores de produção são fortes e emprega diferentes métodos de amostras vocais. Apesar de DJ Snake lutar para manter uma direção sonora coesa, “Encore” não deixa de ser um álbum interessante.

63

Favorite Tracks: “Middle (feat. Bipolar Sunshine)”, “Talk (feat. George Maple)”, “4 Life (feat. G4shi)”, “Let Me Love You (feat. Justin Bieber)” e “Here Comes the Night (feat. Mr Hudson)”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.