Resenha: Demi Lovato – Confident

Lançamento: 16/10/2015
Gênero: Pop
Gravadora: Hollywood Records / Island Records / Safehouse Records
Produtores: Mitch Allan, Babydaddy, Johan Carlsson, Peter Carlsson, Jason Evigan, Carl Falk, Illya Salmanzadeh, Steve Mac, Max Martin, Ali Payami, Laleh Pourkarim, Rami, Stargate e Gustaf Thörn.

Demi Lovato desencadeou uma nova imagem e atitude após lançar em 2015 a faixa “Cool for the Summer”, primeiro single do seu quinto álbum de estúdio. Com o lançamento desta música ela mostrou um lado mais sexy e sensual de si mesma e, trouxe isto para o álbum “Confident”. Um obstáculo muito comum que os artistas que já foram filiados à Disney enfrentam, é o momento de mudarem sua imagem familiar para um estilo mais maduro. Ano passado, Demi Lovato passou por essa difícil transição. Lançado em 16 de outubro de 2015, este disco foi o primeiro trabalho da cantora a ser lançado sob custódia da Safehouse Records, gravadora formada por sua parceria com o empresário Phil McIntyre e Nicki Jonas. “Eu tenho trabalhado em estreita colaboração com Nick e Phil durante anos, nós compartilhamos o mesmo ponto de vista quando se trata de fazer música”, disse Demi Lovato. “É incrivelmente emocionante fazer parte desta nova empresa, onde eu estou no controle de todos os aspectos da minha carreira”, finalizou. Comercialmente, “Confident” estreou no número #2 da Billboard 200 dos Estados Unidos, ao vender mais de 77 cópias na primeira semana.

O disco conta com 11 faixas na versão padrão, possui colaborações com Iggy Azalea e Sirah, e composições de Max Martin, Ryan Tedder, Steve Mac, Rami, Stargate, entre outros. Demi Lovato sempre teve um papel consistente: o de uma vocalista incrivelmente talentosa. Não há nenhuma dúvida sobre isso: vocalmente falando, ela abrange quatro oitavas e se sobressai quando colocada a frente de outras artistas pop. E estou certo que este álbum é o seu melhor trabalho até a presente data. Desde 2008, quando a Disney Channel ofereceu-lhe um papel no filme Camp Rock, Lovato lançou quatro álbuns e passou por momentos difíceis por conta de uma depressão e transtornos alimentares e bipolares. Em 2010, inclusive, decidiu deixar a turnê com os Jonas Brothers para ficar em um centro de tratamento. Mais tarde, naquele mesmo ano, fez um bom comeback ao lançar a bela “Skyscraper”. Os discos “Unbroken” e “DEMI” foram trabalhos recheados de faixas pop-bubblegum e EDM, entretanto, diferentemente, “Confident” pisa em outros territórios além do pop e impressiona pela sonoridade e potentes vocais. A faixa-título, “Confident”, foi lançada como segundo single oficial e dá o pontapé inicial no álbum.

Abre apropriadamente o repertório e, obviamente, representa bem o seu conceito sobre ser confiante. Foi escrita por Demi Lovato, Savan Kotecha, Max Martin e Ilya Salmanzadeh, bem como produzido pelos dois últimos. Originalmente concebida como primeiro single, essa é uma canção energética de pop e pop-rock sobre empoderamento e confiança. É uma faixa que encarna e combina perfeitamente a atual atitude destemida de Lovato com a ótima produção de Max Martin. Uma pista up-tempo que apresenta uma direção diferente, uma vibração mais provocante e uma sonoridade mais ousada. “Confident” é construída sobre poderosos sintetizadores, uma pesada batida de tambor, algumas trombetas e acessórios essenciais de percussão. “É minha hora de assumir / Eu sou a chefe agora”, ela afirma na linha de abertura. “Não vou fingir / Não quando você está caindo / Porque esse é meu jogo / E é melhor você vir jogar”. Mais tarde, ela murmura se dirigindo para o refrão: “Eu costumava me segurar / Agora estou me soltando / Eu faço minhas escolhas / Sim, eu mando nesse show”. Liricamente, Demi compartilha, com certa arrogância, mensagens sobre força interior, independência e auto-confiança.

O refrão é, basicamente, formado pela repetição da frase: “O que há de errado em ser confiante?”. Ela canta em uma espécie de quase sussurro, algo um pouco semelhante ao acúmulo criado por Ariana Grande em “Problem”. Sua performance vocal é bem feroz e brilha nos momentos mais orgânicos da música. “Confident” pode não oferecer nada de inovador, no entanto, é uma canção pop sólida e contundente o suficiente. É um número que reforça o amadurecimento musical que Demi Lovato está tentando perseguir. A segunda faixa do registro é o primeiro single “Cool for the Summer”, canção escrita por Lovato, juntamente com Max Martin, Ali Payami, Alexander Erik Kronlund e Savan Kotecha. Essa música é apropriadamente intitulada, pois assume um som bem típico da temporada de verão. Também é muito diferente do que estamos acostumados a ouvir de Demi Lovato, pois carrega uma sonoridade eletro-pop pesada em alguns aspectos. Uma música up-tempo que abre com um divertido riff de teclado e uma boa produção synthpop. A produção é realmente bem dinâmica, inclusive com uma melodia de piano aparecendo mais tarde junto de algumas guitarras e sintetizadores.

Demi Lovato

Com um comportamento um tanto quanto provocante, Demi Lovato entrega letras vagas com um pouco de mistério em sua borda. Inicialmente, seus vocais são elegantes, ofegantes e sensuais, enquanto canta: “Me diga o que quer / Do que você gosta / Está tudo bem / Eu também estou um pouquinho curiosa / Me diga se é errado / Se é certo”. Aqui, podemos notar que a letra possui uma certa semelhança com o hit “I Kissed a Girl” de Katy Perry. Os versos seguintes, sugestivamente sexuais e cantados em um tom sedutor, deixam ainda mais claro do que exatamente essa música fala: “Estou com minha mente no seu corpo / E seu corpo na minha mente / Quero provar deste fruto / Só preciso dar uma mordida”. Certamente, essa música é ousada e corajosa para Demi Lovato, talvez sua mais abertamente sexual até à data. O seu refrão é explosivo, como seria de se esperar, sendo conduzido por uma agressiva guitarra elétrica. No entanto, embora seja um refrão poderoso, muitas vezes fica exageradamente cheio e alto demais, fazendo o excesso de instrumentação quase engolir seus vocais.

Demi Lovato é uma cantora que, normalmente, eleva-se para as notas mais altas possíveis, mas aqui ela deixou isso um pouco de lado. A ponte também não ficou bem colocada, resultando na quebra do fluxo da canção, em vez de servir como um complemento. O que poderia ter sido uma faixa provocativa e sobre experimentação sexual como “I Kissed a Girl”, resultou em uma canção meio desarticulada. Um ponto positivo que observei foi o fato dela se afastar um pouco do seu típico som pop-rock, que já estava meio saturado, e provar mais do eletro-pop. E, apesar de ser algo novo para Lovato, é um movimento interessante para a sua carreira e aparentemente agradou muito os seus fãs. Na canção “Old Ways”, Demi Lovato reflete sobre seu crescimento pessoal e profissional, afirmando que “agora eu sei o que é bom para mim”. Liricamente, essa faixa demonstra um certo nível de maturidade, especialmente, por falar sobre não querer o passado de volta. Lovato fala sobre a felicidade do presente e demonstra ser forte o suficiente para não cair em velhos hábitos: “Mas se alguém me disser / Que voltarei aos meus velhos hábitos / Eu vou dizer ‘de jeito nenhum, estou saindo por esta porta'”.

Nesta faixa, a cantora deixa novas inspirações musicais surgirem. Ela aposta em influências urbanas e acaba por oferecer uma batida absolutamente cativante. A melodia também é diferente do seu habitual e é uma verdadeira lufada de ar fresco. “For You”, quarta faixa, é uma das minhas canções favoritas do álbum. O suave verso de abertura serve como uma saída para a intensidade das três primeiras canções. Porém, quando você acha que a calmaria vai durar pelo resto da música, seu poderoso refrão entra em ação. Os vocais de Lovato se destacam quando ela atinge incríveis notas altas. A partir desse momento, os ouvidos ficam todos atentos à boa performance vocal e envolvente produção. A música é sobre fazer o que for possível para alguém que você ama muito, mas não recebe nada em troca (“Por você / Eu faria qualquer coisa por você / Amarrar meu coração no teto / Atravessaria a parede com meu punho”). Essa faixa apresenta elementos de rock e soul, bem como o seu mais recente som pop. Com alguns dos vocais mais fortes em jogo, Demi canta profundamente e emocionalmente nessa balada futurista. Sintetizadores fazem o serviço tanto no enorme refrão, quanto nos versos mais contidos.

A poderosa e sentimental balada “Stone Cold” é, sem dúvida, uma das faixas mais impressionantes encontradas no “Confident”. Essa música discute a dor de ver um ex seguindo em frente e sendo feliz com outra pessoa. “Eu aguentarei a dor, me dê a verdade / Eu e meu coração, nós vamos conseguir superar / Se a felicidade é ela, eu estou feliz por você”, ela canta. “Stone Cold” incorpora fortes influências de soul, enquanto é focada em uma bela melodia de piano. Sua despojada produção é destinada a destacar ainda mais os vocais de Demi Lovato. É uma canção tão triste e dolorosa, que podemos sentir cada emoção derramada pela voz da cantora. Sua composição sólida tem uma força muito grande, tanto que chega a dar arrepios. Cada nota colocada para fora mostra com propriedade o alcance vocal excepcional de Lovato. É nessas baladas que você realmente começa a ouvir o verdadeiro brilho de sua gama vocal. Assim que você ouve “Kingdom Come” pela primeira vez, imediatamente, percebe o quanto parece uma sequela de “Dark Horse” (Katy Perry) e “Black Widow” (Iggy Azalea / Rita Ora). Entretanto, esse esforço de Demi Lovato influenciado pelo trap é, inegavelmente, cativante.

O início é construído de forma misteriosa, enquanto Lovato entra com um tom e melodia muito interessantes. No geral, a faixa é muito diferente dos trabalhos antigos da cantora. As letras são simples, mas nos fazem querer dançar, especialmente, quando a viciante batida entra em cena. Apesar de oferecer um rap bastante preguiçoso, Iggy Azalea também consegue encaixar-se bem na música. A sétima faixa do disco é a crua “Waitin’ for You”, que conta com verso adicional da rapper de Los Angeles Sirah. Não é uma canção ruim, porém, não é tão forte quanto o restante do repertório. Isso não é, necessariamente, uma queixa ou crítica, porque Sirah consegue acrescentar um toque agradável. Essa pista possui um estilo muito diferente para Demi Lovato, visto que inclina-se para o hip-hop e R&B. Seguindo por uma linha de abertura digna, a cantora surpreende ao deixar claro para seus inimigos que não vai recuar de uma luta: “Você deveria saber que não vou desistir (estarei esperando) / De punho firme / E a guarda em minha boca / Quando estiver faminta pelo novo round”. Sirah, por sua vez, é ainda mais ousada e termina sua participação com a linha: “Vadia achei que soubesse, vou pegar o seu título”.

Demi Lovato

Produzida por Stargate e co-escrita por Ryan Tedder da banda OneRepublic, a faixa “Wildfire” é considerada uma das favoritas dos fãs de Demi Lovato. E não é para menos, pois essa mid-tempo surpreende por conta de seus belos vocais. A cantora oferece uma entrega vocal suave, macia, sensual e ainda deixa seu falsete aflorar. Variando entre tons baixos, gemidos sedutores e notas mais altas, sua performance vocal brilha. “Nós podemos fazer o mundo queimar / Querido, você é tudo o que eu preciso / Venha agora, me liberte / Como uma brasa ao vento, uma brasa ao vento”, ele canta. Um conto emocional onde a artista canta sobre sentimentos iniciais que vêm com um amor imprudente. Enquanto a composição pinta uma narrativa sobre um relacionamento, é a entrega vocal que realmente chama atenção. Adequadamente, o momento mais brilhante da canção acontece no último refrão. O tema de confiança é, obviamente, o grande conceito do álbum, e “Lionheart” traz outra mensagem sobre ser corajoso e ter forças para não desistir. Posso dizer que essa música é, com certeza, uma das minhas favoritas de todo registro.

É exatamente uma daquelas baladas inspiradoras que temos vindo a esperar com mais frequência de Demi Lovato ao longo dos anos. Sua produção é minimalista, de alto padrão e permite, mais uma vez, que os vocais dela tomem as rédeas. Demi associa a letra a seus amigos e também ao seu carrocho que faleceu antes do lançamento do álbum. Muito poderosa, edificante e potente. Em “Lionheart” seu alcance vocal é muito bem mostrado e vai para novas alturas. “Yes”, décima faixa, abre de forma simples, porém, vem a se transformar em uma música totalmente diferente. Aqui, Lovato canta sobre querer alguém para amá-la e faz promessas a este homem (“Aqui está meu corpo, que estou dando para nós / Aqui estão meus braços, que irão nos erguer / Aqui está minha vida, dedicada ao amor / Eu tentei te dar tudo o que você merece”). Como namora Wilmer Valderrama há alguns anos, tudo indica que esta faixa é destinada a ele. Não é um dos destaques do disco, entretanto, possui belas harmonias, é doce, honesta e apresenta inspiração gospel.

Os versos transitórios são contidos, sensuais e possuem uma sensação nervosa, porém, o refrão surpreende ao oferecer uma rotação bastante diferente. A produção de apoio cria um ambiente único, onde Lovato pode experimentar novos sons que funcionam bem. “Father” fecha a edição padrão do álbum, uma canção que soa como um capítulo final de tudo o que ela passou com seu pai, que faleceu em 2013. Seus fãs sabem que ela não teve uma relação fácil com seu pai, mas isso não a impediu de escrever uma outra canção dedicada a ele. Aqui, ela está agradecendo-lhe e tentando entender suas lutas: “Pai, eu vou dizer obrigada / Mesmo ainda estando machucada / Oh, eu vou pedir a Deus que te abençoe”. A letra é definitivamente tocante, comovente e emocional: “Eu sei que você tinha muitos problemas / Eu sei que você nunca teve uma chance / Para ser você mesmo, para ser o seu melhor / Eu espero que o céu tenha te dado / Uma segunda chance”. Constrúída como uma balada soul, Lovato não deixa nada em segredo quando discute seu relacionamento com seu pai.

A natureza simples e confessional de sua composição permite que as palavras formem uma conexão profunda com os ouvintes. O refrão final é inigualável, por conta das notas altíssimas e do formidável apoio vocal de influência gospel. No geral, “Confident” representa fielmente Demi Lovato, enquanto sua produção é impressionante e os vocais nunca decepcionam. Ser confiante em alguns aspectos parece ser a ode que faz Demi Lovato crescer, depois de vir de um longo caminho em seus dias de Disney. Enquanto o álbum é uma declaração de transformação de Lovato, ele realmente não contém quaisquer surpresas, musicalmente falando. Ele pisa em outros territórios, como trap, hip-hop e soul music, e, felizmente, ela se recusa a deixar suas performances vocais ficarem abafados por qualquer ruído de produção. Em cada faixa ela estende sua voz nos limites e parece ter finalmente encontrado quem realmente é como artista pop. Aqui, Demi Lovato soa tão confiante como nunca e se permite expressar abertamente sem medos. Portanto, esse álbum pode ser considerado um enorme passo na direção certa, em termos de letra, estilo e musicalidade.

69

Favorite Tracks: “Old Ways”, “For You”, “Stone Cold”, “Wildfire” e “Lionheart”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.