Resenha: Damien Rice – My Favourite Faded Fantasy

Lançamento: 31/10/2014
Gênero: Folk
Gravadora: Damien Rice Music
Produtores: Rick Rubin.

Após oito anos, finalmente o irlandês Damien Rice lançou o seu terceiro álbum de estúdio, intitulado “My Favourite Faded Fantasy”. Rice começou sua carreira musical no início da década de 1990, como membro do grupo Jupiter. Depois de deixar a banda, seguiu em carreira solo e lançou o seu disco de estreia em 2002. “My Favourite Faded Fantasy” foi inteiramente produzido por Rick Rubin e traz oito canções dentro de um total de 50 minutos de duração. Sete das oito canções possuem mais de cinco minutos e, metade delas, vão ainda mais além. Felizmente, Damien Rice é talentoso o suficiente para prender a atenção do ouvinte por tanto tempo. Ele não mudou muito o som durante esses anos, suas composições ainda são viscerais e o “My Favourite Faded Fantasy” fez jus a qualidade dos seus trabalhos anteriores. Rice teve um rompimento bastante angustiante com sua colaboradora musical e ex-namorada Lisa Hannigan. Isso acabou refletindo no álbum, um material canalizado por uma grande angústia e um dos mais deprimentes de 2014.

Dada a turbulência emocional em torno do disco, ele conseguiu manter o seu som cru e confessional. A sua sonoridade é, muitas vezes, obscura, melancólica, com orquestrações dramáticas, arranjos abafados e um estilo minimalista. A faixa-título, “My Favourite Faded Fantasy”, abre o repertório, uma canção de seis minutos que fala ao mesmo tempo sobre amor e arrependimentos. Seu vocal não está tão emotivo como de costume, mas os falsetes utilizados são incrivelmente belos. Gradualmente, a música constrói um grande número através de um ótimo riff de guitarra elétrica. Enquanto isso, Rice grita: “Eu nunca amei!”. No entanto, logo depois, o álbum se estabelece em um tom familiar, reflexivo, melancólico e com maior presença de piano e violão. “It Takes a Lot To Know a Man” tem mais de 9 minutos de duração e se forma através de belíssimas melodias, suaves vocais e boas letras. Apesar de sua enorme duração, é o tipo de música que ilustra os passos admiráveis ​​do seu crescimento artístico.

Damien Rice

A arrepiante “The Greatest Bastard” possui uma franqueza crua e traz um arranjo excessivamente dramático. Com pouco mais de cinco minutos, essa é a segunda faixa mais curta do repertório. “I Don’t Want To Change You” é muito linda e segue uma linha melódica brilhante, além de possuir um refrão célebre e o melhor de todo o álbum. Os componentes orquestrais refinados de “Colour Me In” são maravilhosos e mostram que as suas cordas excessivamente exageradas não são equivocadas, mas sim momentos de bonito contraste. Enquanto isso, a sexta faixa, “The Box”, é uma canção muito mais dolorosa e rebelde. Seu maior apelo encontra-se na orquestração de cordas e na atitude de Rice, que aparenta realmente estar desfrutando da música. Na linda “Trusty and True” o cantor tenta encontrar novas possibilidades e uma renovação, pois o amor ainda o decepciona.

Essa definitivamente possui todo o magnetismo encontrado em suas melhores canções e, embora tenha mais de oito minutos, passa a sensação de ser mais breve. A simplicidade inicial de “Long Long Way”, canção quase sussurrada, a torna pálida em comparação aos maiores destaques do álbum. Entretanto, a forma como ela se desenvolve, desde os vocais até a direção lírica tomada, faz ela funcionar perfeitamente bem dentro do contexto do disco. O estado de espírito dessa faixa é realmente sensacional e com Rice usando o seu falsete da melhor maneira possível. Nesse registro, Damien Rice ainda se sente íntimo, porém, um pouco mais ousado em seus sentimentos. Ao longo do álbum, o que se sente fraco à primeira escuta, cresce graças às sutilezas instrumentais. Cada faixa é agradável e memorável em sua melancolia. O seu estilo permanece inconsistente, mas o “My Favourite Faded Fantasy” é um álbum bonito, diversificado e emocionalmente gratificante, além de ser o seu mais coeso até a presente data.

71

Favorite Tracks: “It Takes a Lot to Know a Man”, “I Don’t Want to Change You” e “Long Long Way”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.