Resenha: Criolo – Espiral de Ilusão

Lançamento: 17/05/2017
Gênero: Samba, MPB
Gravadora: Oloko Records
Produtores: Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral.

Em seu novo álbum, “Espiral de Ilusão”, Kleber Cavalcante Gomes, mais conhecido por Criolo, resolveu investir pesado no samba. Desta vez, o rapper paulistano de 42 anos teve mais cuidado com os arranjos e composições. Produzido por Daniel Ganjaman e Marcelo Cabral, o álbum parece uma singela homenagem ao gênero. Por toda parte, ouvimos tambores e cavaquinhos fazendo o trabalho e injetando a atmosfera do samba no registro. O gênero não é algo completamente novo para ele, uma vez que “Nó na Orelha” (2011) e “Convoque Seu Buda” (2014) possuem algumas faixas com fortes influências do mesmo. Ele, sem dúvida, é extremamente influenciado por estilos populares brasileiros. “Espiral de Ilusão” possui um total de dez faixas versáteis e intimistas com um certo teor político.

Em muitos momentos, Criolo traz a mente nomes conhecidos no samba, especialmente Martinho da Vila e Paulinho da Viola. Ele não se limita apenas ao hip-hop e rap, em vez disso prefere expandir sua música e misturar suas raízes com outros gêneros musicais. Felizmente, em “Espiral de Ilusão”, Criolo conseguiu um resultado positivo, mesmo tomando alguns riscos. Entre os destaques do álbum, temos a cativante “Lá Vem Você”, “Dilúvio de Solidão”, o primeiro single, “Menino Mimado”, a faixa-título, “Espiral de Ilusão”, e “Cria da Favela”. Criolo pode não ter se reinventado ou inovado com este registro, mas ele realmente expandiu seus horizontes e provou que também pode cantar. Além de ser coeso e bem escrito, “Espiral de Ilusão” o coloca no mesmo nível dos principais artistas de samba e MPB da atualidade.

Favorite Tracks: “Lá Vem Você”, “Dilúvio de Solidão” e “Menino Mimado”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.