Resenha: Christina Perri – Head or Heart

Lançamento: 01/04/2014
Gênero: Pop, Pop Rock
Gravadora: Atlantic Records
Produtores: Martin Johnson, Jake Gosling, John Hill, Butch Walker e Jack Antonoff.

Christina Perri é uma cantora da Filadélfia que ganhou destaque ao apresentar a canção “Jar of Hearts” no programa de televisão ‘So You Think You Can Dance’ em 2010. Após lançar o seu álbum de estreia, “Lovestrong”, ela escreveu e gravou a canção “A Thousand Years” para o filme Amanhecer (Parte 1) da saga Crepúsculo. Perri conquistou o público principalmente por conta de suas lentas canções muito bem escritas. Posteriormente, em abril de 2014, ela lançou o segundo álbum de estúdio, intitulado “Head or Heart”. O disco estreou em #4 nos Estados Unidos ao vender aproximadamente 40 mil cópias na primeira semana. A primeira canção do repertório chama-se “Trust”, uma balada calma e precisa com um violão ao fundo. Todos os instrumentos dessa faixa são lentos e sutis, com um toque emotivo e algumas influências de new age. A voz de Perri aparenta estar mais experiente e num tom mais confiante do que de costume. Em seguida, “Burning Gold” continua alimentando o álbum com bastante emoção, uma das marcas registradas das canções de Perri. É uma das minhas músicas favoritas deste novo trabalho, pois fala sobre tomar o controle de sua vida e destino. Não é um conceito extraordinário, entretanto, nos fornece uma grande inspiração embalada por um piano e excelente percussão. A terceira faixa, “Be My Forever”, é uma canção muito divertida que apresenta vocais de Ed Sheeran. Uma música carismática que obteve um resultado brilhante por parte de ambos artistas.

O primeiro single, “Human”, é uma canção melancólica que fala sobre as imperfeições humanas de uma forma dramática e emocionante. Aqui, Perri mostra os seus incríveis vocais sob um conjunto de lentos instrumentos. Em seguida, ela continua impressionando com a sua bela voz durante a faixa “One Night”. Uma canção poderosa com uma melodia crescente e versos mais rápidos do que a faixa anterior. Deixando o álbum mais animado temos “I Don’t Wanna Break”, uma daquelas canções que soam muito familiares, dado a melodia cativante que começa calma e depois atinge o seu auge. A sétima faixa, “Sea of Lovers”, por sua vez, é certamente um dos grandes destaques do repertório. Além de ser a faixa que mais aproxima-se dos trabalhos anteriores da cantora, possui um arranjo que lembra a banda Coldplay. Enquanto o refrão é grandioso, a melodia soa nostálgica e encaixa-se perfeitamente aos vocais de Perri. A próxima faixa, “The Words”, é apresentada por um ótimo piano e fornece tons mais obscuros ao registro, enquanto “Lonely Child” possui letras emocionantes, melodias bem ritmizadas e um bom refrão. Em contrapartida, “Run” é particularmente a faixa mais fraca do repertório, uma vez que não acrescenta nada de novo ao registro. Dito isto, percebemos que a segunda parte do álbum é bem aquém em termos de qualidade se comparado com a primeira.

“Butterfly”, por exemplo, falha drasticamente ao tentar ser um hino sincero e romântico. Embora tenha um forte instrumental, “Shot Me in the Heart” peca por causa dos vocais desgastados. É possivelmente uma das canções mais pop de Christina Perri, principalmente por conta da agitada base eletrônica. O álbum encerra com “I Believe”,  uma canção lenta e reflexiva que tenta captar toda a essência do repertório. Como a própria cantora afirma no final da música – “Este não é meu fim / Este é o começo” – é definitivamente um número de encerramento honesto, mas que não chega a ser tão memorável. Os fãs da cantora e de rock-contemporâneo provavelmente irão desfrutar deste álbum, mesmo com suas ocasionais falhas. Sim, o “Head or Heart” é mais confiante e sólido do que o primeiro trabalho de Perri. Mais uma vez, a cantora conseguiu criar grandes baladas que fazem qualquer ouvinte se envolver. É um disco autêntico que nos faz refletir e separar a razão da emoção. Também é interessante pelo fato de que a sua sonoridade, mesmo apresentando um lado sombrio, frágil e melodramático, possui letras que nos dão uma força extra. Parece ter sido feito para todos os públicos, pois é simplesmente uma discussão sentimental sobre os seres humanos. Com novos escritores, produtores e colaboradores que participaram do processo criativo, podemos dizer que todo o esforço para a construção do “Head or Heart” teve um saldo positivo.

61

Favorite Tracks: “Burning Gold”, “Human” e “Sea of Lovers”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.