Resenha: Charli XCX – Number 1 Angel

Lançamento: 10/03/2017
Gênero: Avant-pop, Eletrônica
Gravadora: Asylum Records
Produtores: A.G. Cook, Sophie, Danny L Harle, Life Sim, Easy FX e John Hill.

“Number 1 Angel” é uma mixtape de Charli XCX, que vem à frente do seu futuro terceiro álbum de estúdio. Com 10 faixas e escassos 37 minutos de duração, é uma rápida brincadeira através de uma variedade de gêneros, incluindo R&B, hip-hop e eletropop. Na superfície, essa mixtape coloca a qualidade em cima da quantidade. Há uma certa sensação agressiva em seu som, inspirado por batidas lisas e um conteúdo lírico escuro. É uma coleção progressiva e experimental de faixas que não foram classificadas para fazer parte de um álbum, embora esta mixtape seja tão cativante e comercial como seu último disco. Mas afinal, qual é a diferença entre uma mixtape e um álbum? No hip-hop, a mixtape é geralmente um material independente criado e lançado pelo artista. Entretanto, hoje em dia é quase um sinônimo de um álbum comum. Charli XCX lançou “Number 1 Angel” sob a gravadora Asylum Records, a mesma pela qual divulgou seus dois álbuns anteriores, “True Romance” (2013) e “SUCKER” (2014).

O repertório dessa mixtape destaca o espírito aventureiro de XCX. A britânica já trabalhou com alguns artistas de renome, incluindo Icona Pop e Iggy Azalea. Sua música “Boom Clap” foi destaque na trilha sonora de “A Culpa é das Estrelas”, e garantiu um top 10 na Billboard Hot 100 dos Estados Unidos. A cantora de 24 anos nasceu em Cambridge, Inglaterra, e atribui as Spice Girls como uma de suas influências mais fortes. Apesar de ser relativamente curta, “Number 1 Angel” oferece aos ouvintes um som energético, vibrante e com um apelo nervoso. Enquanto o empoderamento feminino tornou-se cada vez mais popular entre as artistas de hoje, a música de Charli XCX oferece um maior individualismo. Do começo ao fim, cada música na mixtape é peculiarmente cativante e coloca qualquer um para balançar a cabeça em cada batida. Ao escutar “Number 1 Angel” você terá a chance de seguir por uma jornada musical envolvente, em faixas como “Blame It on U”, “Roll with Me”, “Emotional” e “Babygirl”.

A desvantagem mais perceptível nesta mixtape é que algumas das músicas mais lentas, fazem o repertório se arrastar ligeiramente. Fora isto, “Number 1 Angel” é realmente um bom e curto intervalo de Charli XCX, antes de lançar o seu terceiro álbum de estúdio. Em suma, esse projeto marca uma consolidação de seus registros anteriores, com olhares em um novo futuro. Convidados como Uffie, Abra e CupcakKe apenas adicionam uma autenticidade ao álbum. A capa provocante mostra uma cantora audaciosa e glamourosa, antes do repertório abrir com “Dreamer”. Essa faixa define um tom temperamental com seus sintetizadores profundos, batidas trap e alguns versos de rap. “3AM (Pull Up)”, com a dinamarquesa MØ, é provavelmente a música mais mainstream que você encontrará por aqui, graças ao seu gancho viciante. “Blame It on U”, “White Roses”, “Drugs” e “Lipgloss” criam um som estruturado e refletem a imagem mais sexualidade de Charli XCX.

Elas possuem um som pop em fusão com hip-hop, juntamente com o clássico toque da cantora. O som mais sombrio desse registro nos remetem ao seu disco de estreia, mas é embalado com ganchos pop que temos vindo a esperar de XCX. “Babygirl”, por exemplo, oferece um brilho oitentista e linhas de baixo cativantes, enquanto “ILY2” tem uma vibe rock reminiscente do “SUCKER”. “Roll with Me” está cheia de sintetizadores vibrantes, uma vibe techno e uma abordagem mais eletrônica. “Number 1 Angel” é uma mixtape que realmente impressiona, com todas as colaborações femininas, fortes refrões, entregas experimentais e letras honestas. Podemos considerar essa mixtape como o seu terceiro álbum disfarçado. Charli XCX é uma artista com uma riqueza de variadas influências musicais e uma grande vontade de experimentar novas coisas. Se esta mixtape é apenas um rápido lançamento que antecede o evento principal, podemos ficar muito animados com o que está por vir.

Favorite Tracks: “Roll with Me”, “Emotional” e “Babygirl (feat. Uffie)”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.

  • Brenno

    ÓTIMA crítica !! Eu curto muito essa Mixtape.. “Roll With Me” é fantástica, (“Dreamer” é outra favorita) se tivesse “na boca” de certas cantoras já mais consolidadas , acredito que seria um hit ou um “quase” hit haha .

    • Leo

      Obrigado Brenno! 😀
      Também acho, provavelmente seria um hit.