Resenha: Calvin Harris – Funk Wav Bounces Vol. 1

Lançamento: 30/06/2017
Gênero: Funk, Disco
Gravadora: Columbia Records
Produtor: Calvin Harris.

Um dos DJs mais bem pagos do mundo, Calvin Harris ganhou fama internacional em 2012 após lançar o disco “18 Months”. Esse álbum apresentou diversos hits, entre eles “Feel So Close”, “Let’s Go”, “Sweet Nothing” e “I Need Your Love”. Dois anos mais tarde, Harris lançou outro álbum de sucesso, intitulado “Motion” (2014). Mais uma vez, ele conseguiu vários hits mundiais como, por exemplo, “Summer”, “Under Control” e “Blame”. Muitos devem ter reparado que, recentemente, ele mudou completamente o seu som. Felizmente, foi para melhor. Em 30 de junho de 2017, Harris lançou o seu quinto álbum de estúdio, chamado “Funk Wav Bounces Vol. 1”. Este novo disco apresenta um Calvin Harris descontraído e longe do ostentoso DJ de anos atrás. Desta vez, ele trocou os pesados drops EDM por uma coleção cintilante de funk e disco. “Funk Wav Bounces Vol. 1” vê Harris virando a página em sua discografia e reinventando o seu som. Ele tenta adequar-se à música moderna pegando emprestado sons dos anos 80 e utilizando uma paleta sonora fascinante. Ele combinou sintetizadores com linhas de baixo groove a fim de pisar em diferentes territórios musicais. Harris manipulou vários gêneros com facilidade e conseguiu entregar um material surpreendentemente coeso.

Pode-se dizer que ele correu certos riscos com este álbum, pois conseguiu fundir o funk e disco oitentista com o hip-hop e trap, sem soar estranho ou desgastado. A música dance e eletrônica ainda está presente, mas numa boa combinação com o G-funk e post-disco. Embora existam algumas falhas líricas no repertório e um som funk pouco convencional, Harris permaneceu fiel a si mesmo. Ele não soou repetitivo e conseguiu fornecer uma sensação de singularidade em cada canção. Em suma, apesar do design old-school, “Funk Wav Bounces Vol. 1” possui uma natureza fresca e moderna. A excelente “Slide”, com Frank Ocean e Migos, abre o álbum com uma maravilhosa introdução no piano. A batida é grande e todos os elementos misturam-se perfeitamente. Musicalmente, faz uma mistura discreta de dance, R&B, disco e funk. Além da lenta introdução no piano, “Slide” fornece uma batida funky, vocais sensuais e um ritmo muito relaxado. Uma vez que ultrapassa a marca de 1 minuto, a batida finalmente se instala e proporciona um sulco adorável. Sem usar uma repartição previsível após o refrão, as cordas de piano e a linha de baixo formam uma combinação quase impecável.

“Cash Out”, com ScHoolboy Q, PARTYNEXTDOOR & D.R.A.M., um número funk otimista e perfeito para dançar, possui uma forte influência dos anos 80. Embora o piano no final sinta-se fora do lugar, eu adoro a melodia aguda do sintetizador e bateria groovy. “Heatstroke” traz vibrações amorosas com Young Thug, Pharrell Williams e Ariana Grande. A produção é tão cativante que você nem percebe o quão superficial algumas das letras são. Complementada por um piano elétrico, é uma das faixas mais consistentes do repertório, o que não é uma surpresa, dado o envolvimento dos convidados. O synth-funk “Rollin”, com Future e Khalid, fornece um piano edificante, boas melodias e fortes handclaps. Enquanto Khalid conduz o refrão, Future floresce com o seu charme habitual durante os versos. Embora não seja necessariamente ruim, “Prayers Up” sente-se um pouco abaixo das demais. Ao lado de Travi$ Scott e A-Trak, Calvin Harris mistura uma linha de baixo sintetizada com sons oitentistas, teclado, palmas e vocais extravagantes. Enquanto “Holiday”, Snoop Dogg, John Legend e Takeoff, é um número G-funk sem inspiração, “Skrt On Me”, com Nicki Minaj, é um número funk tropical que parece romper o fluxo do álbum.

Por outro lado, a fascinante “Feels”, com Pharrell, Katy Perry e Big Sean, é a música perfeita para escutar enquanto você relaxa na piscina ou praia. Ela começa de forma misteriosa, instável e nebulosa, antes de explodir num sulco maravilhoso. Dentro do visual estabelecido, esta canção provoca vibrações frescas e ensolaradas que farão você relaxar instantaneamente. Musicalmente, possui um som rítmico de ska e elementos de disco e funk oitentista. Seu estilo de assinatura é exuberante, delicioso e muito cativante. Uma canção alegre, com uma vibe inspirada no final dos anos 70 e início da década de 80, que unifica o ska, disco e funk com uma linha de baixo adorável. A penúltima faixa, “Faking It”, com Kehlani e Lil Yachty, possui uma atmosfera mais suave e íntima. Dito isto, sua profundidade é complementada por uma pontuação esporádica do piano. “Hard to Love”, Jessie Reyez, por sua vez, é um número despojado com riffs de guitarra, letras dolorosas e ótimos vocais. No geral, “Funk Wav Bounces Vol. 1” é um disco sólido, contagioso e muito cativante. Em suma, sua paleta sonora é consistente, nostálgica e despreocupada. Certamente, Calvin Harris conseguiu criar um álbum ideal para o verão, portanto, eu já estou ansioso para o volume 2.

Favorite Tracks: “Slide (feat. Frank Ocean & Migos)”, “Heatstroke (feat. Young Thug, Pharrell Williams & Ariana Grande)” e “Feels (feat. Pharrell Williams, Katy Perry & Big Sean)”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.