Resenha: Bryson Tiller – True to Self

Lançamento: 26/05/2017
Gênero: R&B, Hip-Hop, Trap
Gravadora: RCA Records
Produtores: Allen Ritter, Ayo, Beaux, Boi-1da, FrancisGotHeat, Frank Dukes, Gravez, IAMNOBODI, Illmind, Hollywood Hot Sauce, J-Louis, Keyz, Mahxie, NES, Pro Logic, Soundz, Skyz Muzik, Swiff D, Teddy Walton, T-Minus, WondaGurl e Wow Jones.

Atualmente com 24 anos, Bryson Tiller é um cantor e rapper americano nascido em Louisville, Kentucky, que iniciou a sua carreia em 2011. Tiller ganhou, inicialmente, reconhecimento após o lançamento do seu single de estreia, “Don’t”. A canção atingiu o número #13 da Billboard Hot 100 e acabou sendo remixada por vários outros artistas. Em seu primeiro álbum, “T R A P S O U L” (2015), Bryson Tiller apresentou um som R&B, hip-hop e trap muito gratificante e atraente. Entretanto, em seu novo álbum, intitulado “True to Self”, percebemos um ligeiro declínio. Lançado em 26 de maio de 2017, o disco foi produzido por Boi-1da, Frank Dukes, WondaGurl, T-Minus, entre outros. Primeiramente, é um álbum muito longo. O seu repertório possui um total de 19 faixas, entre elas esquetes e interlúdios desnecessários. A produção é boa e o canto e rap de Tiller forte como sempre foi. Musicalmente, mais uma vez, ele fez uma mistura de R&B, hip-hop e trap. As faixas mais lentas de R&B são realmente boas e possuem ótimos vocais. O desempenho vocal de Tiller é consistentemente forte, sendo a única falha o uso excessivo de efeitos em sua voz. Entretanto, depois de ouvir o álbum completo, o ouvinte acaba sentindo-se muito confuso. Dito isto, você acaba tendo um senso de ambivalência ao ouvir todo o disco.

Olhando sob o ponto de vista da produção, “True to Self” consegue fazer um bom trabalho. É um LP bem executado que até flui de forma natural, da introdução “Rain on Me (Intro)” até os ritmos latinos de “Run Me Dry”. A melodia constante de “Rain on Me (Intro)” cria uma atmosfera muito suave, e reflete sobre os arrependimentos que o cantor sentiu em seu último relacionamento. “Toda vez que não respondo / Você pensa que estou com outra pessoa”, ele canta enquanto revela que a sua ex costumava desconfiar de suas ações. Enquanto a produção é consistente, o conteúdo lírico acaba sendo um dos principais pontos fracos do álbum. As letras de “Rain on Me (Intro)” dão a impressão que o álbum possui uma tendência romântica. Porém, o registro se move rapidamente para uma série de músicas onde Tiller se gaba do seu dinheiro, fama e prazeres sexuais. Não dá para saber se as letras são autobiográficas ou se ele está cantando na perspectiva de algum personagem. O problema é que a maioria das letras e rimas são pobres, fracas e repetitivas. Como um conjunto de batidas e sons, “True to Self” serve como uma boa vitrine para a voz de Bryson Tiller. No entanto, isso não é completamente suficiente para esconder ou compensar o fraco conteúdo lírico.

“High Stakes” é uma das poucas faixas onde Tiller é capaz de refletir sobre o quão longe ele cresceu como artista. “Nevermind This Interlude”, por sua vez, é uma canção que consegue mostrar com precisão a sua versatilidade musical. Tiller canta e faz um rap ao longo da batida, e permanece vocalmente bem o tempo todo. Outro destaque óbvio é a oitava faixa, intitulada “Self-Made”. Uma canção up-tempo muito diferente da maioria das outras faixas. Além da poderosa “Self-Made”, outra canção de destaque é “Money Problems / Benz Truck”, uma vez que oferece uma energia extremamente necessária para o álbum. A maioria do registro poderia se dar bem como single, porém, como um álbum completo, “True to Self” é um tarefa árdua para se desfrutar completamente. Bryson Tiller permaneceu fiel a si mesmo, enquanto nos oferece algumas excelentes batidas. Entretanto, ele não correu riscos e não forneceu qualquer mudança se comparado com o “T R A P S O U L”. Não consegui notar qualquer amadurecimento, embora ele permaneça forte nos gêneros R&B e hip-hop. Em última análise, digo que Bryson Tiller precisa melhorar muito criativamente falando, pois ainda há muito espaço para melhorias. Ademais, ele precisa editar melhor o seu repertório, para dessa forma conseguir entregar um material mais coeso.

Favorite Tracks: “Self-Made”, “High Stakes” e “Money Problems / Benz Truck”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.