Resenha: Bone Thugs-N-Harmony – New Waves

Lançamento: 23/06/2017
Gênero: Hip-Hop, Pop-Rap, R&B, EDM
Gravadora: eOne Music
Produtores: Thomas Deelder, Steve Lobel, Damizza, Hugo Langras, Avedon, Clifford Golio, Kyle, Devin, Scott Storch, Dan Book, Diego Ave, Far East Movement, Autolaser e King Kanobby.

Lançado em 23 de junho de 2017, “New Waves” é o décimo álbum de estúdio do grupo Bone Thugs-N-Harmony. Ele apresenta uma grande variedade de convidados, incluindo Stephen Marley, Tank, Jesse Rankins, Kaci Brown, Jazze Pha, Jonathan Davis, Bun B, Uncle Murda, Yelawolf, Iyaz e Eric Bellinger. Foi relatado que o grupo retornaria com um álbum em 2017, intitulado “E. 1999 Legends”, porém, ninguém sabia exatamente quando seria lançado. Enquanto isso, Krayzie Bone e Bizzy Bone (uma dupla conhecida simplesmente como “Bone Thugs”) juntaram-se a fim de lançar o disco “New Waves”. Faz mais de vinte anos que o grupo surgiu na cena musical com o seu estilo único. Inicialmente, se não fosse por suas letras dramáticas e estilo gangsta, Bone Thugs-N-Harmony poderia ter sido classificados como um grupo de R&B. Fazendo as coisas do seu jeito, o grupo alcançou um grande sucesso na década de 90, graças aos álbuns “E. 1999 Eternal” (1995) e “The Art of War” (1997). O seu som melódico criou hits como “Tha Crossroads” e “Look into My Eyes”, e foi premiado com o Grammy em 1997. Eles são o único grupo que gravou com Eazy-E, 2Pac, The Notorious B.I.G. e Big Pun enquanto ainda estavam vivos. O lirismo do “New Waves” é bom e a entrega vocal realmente ajuda a dar-lhe uma outra dimensão. Ambos artistas, Krayzie Bone e Bizzy Bone, têm alguns ótimos versos. Da mesma forma, o canto também adiciona alguma profundidade ao projeto. Há alguns problemas, instabilidades e falhas no seu conteúdo lírico e produção, mas a diversidade do grupo e os convidados são muito versáteis, consequentemente ajudam a dar uma maior consistência ao repertório.

Este é, definitivamente, um registro interessante de se ouvir, principalmente por se tratar de um grupo com uma carreira tão ampla. “New Waves” apresenta os tons clássicos e melódicos que todos os fãs do Bone Thugs-N-Harmony adoram. O registro abre com “Coming Home”, canção que apresenta vocais de Stephen Marley. É uma música que oferece um som refrescante e as típicas melodias patenteadas do Bone Thugs-N-Harmony. “If Heaven Had a Cellphone”, com Tank, apresenta o mesmo som liso e harmonioso da faixa anterior. Além disso, Tank ajuda a dar uma sensação de R&B que ouvintes costumam esperar do grupo. “Fantasy”, por outro lado, é uma faixa de retrocesso, que simplesmente não apela para qualquer coisa longe do território do grupo. É uma música cativante, mas que não oferece qualquer efeito duradouro. O mesmo pode ser dito de “That Girl”, outra canção que infelizmente não consegue produzir algum significado. Apresentando Kaci Brown, ela mais parece uma balada pop sem qualquer profundidade. Em contrapartida, a próxima faixa, “Let It All Out”, dá esperanças para o restante do álbum. O refrão com Jazze Pha injeta novos tons à mistura, e a torna numa música mais consistente. A faixa-título, “Waves”, está muito bem colocada na tracklist. Surpreendentemente, ela apresenta todo o elenco original do Bone Thugs-N-Harmony, com rimas de Krayzie Bone, Bizzy Bone, Layzie Bone, Wish Bone e Flesh-n-Bone.

Em outra mudanças drástica de humor, “Whatever Goes Up”, com Jonathan Davis da banda Korn, apresenta um som estranhamente inspirado pelo EDM. Essa música simplesmente parece não encaixar em um álbum do grupo. Da mesma forma, “Gravity” também parece ter o objetivo de atrair o público EDM. Mesmo com o recurso altamente improvável de Yelawolf, a faixa decepciona com suas amostras techno e eletrônica. “Cocaine Love”, por sua vez, dá uma certa esperança para os ouvintes, ao entregar uma colaboração com outro veterano, o rapper Bun B. Isto vem antes de “Bad Dream”, uma canção com um arranjo jazz que simplesmente não funciona e transforma-se numa mistura desordenada e sonoramente confusa. Felizmente, o disco encerra com uma faixa interessante chamada “Ruthless”. Uma homenagem a Eazy-E, que apresenta vocais de Layzie Bone, Flesh-n-Bone e Eric Bellinger. Aqui, o grupo mostra que nunca irá se esquecer de onde veio e do homem que lhes a ajudou. Embora não seja o melhor álbum do grupo, “New Waves” mostra que Krayzie Bone e Bizzy Bone estão conscientes do seu som. Eles mesclaram algumas tendências modernas com o seu antigo som, e indicaram uma direção completamente diferente do esperado. Dito isto, “New Waves” está muito longe de ser memorável ou excepcional (principalmente por causa das tendências eletrônicas genéricas e confusas). Esperemos que, num futuro próximo, todos os membros do grupo possam se juntar para mais um álbum de estúdio.

Favorite Tracks: “Coming Home (feat. Stephen Marley)”, “Waves (feat. Layzie Bone, Wish Bone & Flesh-n-Bone)” e “Cocaine Love (feat. Bun B & Jesse Rankins)”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.