Resenha: Big K.R.I.T. – 4eva Is a Mighty Long Time

Lançamento: 27/10/2017
Gênero: Hip-Hop
Gravadora: Multi Alumni
Produtores: Big K.R.I.T., Hey DJ, WLPWR, Mannie Fresh, Organized Noize, Cory Mo, DJ Khalil, Rogét Chahayed, Supah Mario, Bryan-Michael Cox, Bēkon, Terrace Martin e Robert Glasper.

Já se passaram três anos desde que Big K.R.I.T. lançou o seu último álbum, “Cadillactica” (2014). Desde então, ele divulgou duas boas mixtapes, “It’s Better This Way” (2015) e “#12FOR12” (2016), e saiu da gravadora Def Jam Recordings. Justin Scott, batizado artisticamente de Big K.R.I.T., é um nativo de Mississippi que começou sua carreira em 2005. Em 27 de outubro de 2017, ele finalmente lançou o seu terceiro álbum de estúdio. Intitulado “4eva Is a Mighty Long Time”, é um disco duplo com um total de vinte e duas faixas que fornece uma adequada abordagem soulful. Embora Atlanta seja um dos pólos do hip-hop moderno, outras cidades do sul dos Estados Unidos acabam passando despercebidas. O cenário rap de Mississippi não seria nada sem Big K.R.I.T. no que diz respeito ao mainstream americano. Devido ao seu relativo silêncio na mídia, três anos pareceram muito tempo para o rapper. “4eva Is a Mighty Long Time” é um LP que mistura todos os talentos de Justin Scott em uma coleção surpreendentemente coesa. Ele é um rapper muito mais capaz do que nós imaginamos, afinal possui vocais robustos e um tom rústico muito suave. Além disso, ele canta, escreve, compõe e produz. Em quase 90 minutos, este álbum o mostra atingindo todas as expectativas possíveis. “4eva Is a Mighty Long Time” é um disco duplo maior que a soma das duas partes. Praticamente todas as músicas do repertório possuem algum comentário cultural afiado e conteúdo lírico reflexivo. Além do seu som ressoar de forma interessante, os convidados também contribuíram positivamente, entre eles T.I., Lloyd e Cee Lo Green.

No primeiro disco, temos canções mais pesadas e baixas, enquanto no segundo o rapper apresenta um lado mais emotivo e consciente dele mesmo. Felizmente, o repertório não possui quase nenhum momento maçante e isto é uma grande conquista, tendo em vista que o repertório possui quase 1 hora e meia de duração. A energia de “Big Bank”, com T.I., é inesperadamente contagiosa. O trap atinge a força sobre um loop, enquanto Big K.R.I.T. e T.I. explodem com seus versos. “Layup”, uma das faixas de destaque da primeira parte do álbum, é down-tempo, atmosférica e incrivelmente cativante. “Confetti” e “Subenstein (My Sub IV)”, a quarta parcela de sua série “My Sub”, são as outras duas faixas com grande potencial do disco 1. A segunda parte do “4eva Is a Mighty Long Time” apresenta algumas das melhores faixas de Justin Scott. “Mixed Messages”, por exemplo, é um verdadeiro triunfo lírico e temático. Aqui, o rapper brinca com certas contradições, enquanto apresenta um refrão espetacularmente pegajoso. “Miss Georgia Fornia”, com Joi, por sua vez, contém algumas vibrações que lembram o duo Outkast. O piano bluesy e o gancho principal são suficientes para prender sua atenção. “4eva Is a Mighty Long Time” já é um dos maiores projetos de Big K.R.I.T. e, facilmente, um dos melhores lançamentos de rap do segundo semestre de 2017. Sua produção quase não possui falhas, ao passo que a escrita é cinematográfica e com uma ótima sequenciação. K.R.I.T. sempre foi um artista talentoso, mas aqui ele expandiu ainda mais o seu som. Ademais, a sua vulnerabilidade é admirável!

Favorite Tracks: “Confetti”, “Get Away” e “Mixed Messages”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.