Resenha: All Time Low – Last Young Renegade

Lançamento: 02/06/2017
Gênero: Pop Rock
Gravadora: Fueled by Ramen
Produtores: Young Renegades, Colin Brittain, Black Harnage, RAS, Andrew Goldstein, Dan Book, Mike Green e Nick Long.

Composta por Alex Gaskarth, Jack Barakat, Zack Merrick e Rian Dawson, All Time Low foi formada em 2003. Eles lançaram o seu álbum de estréia, “The Party Scene” (2005), antes mesmo de se formarem no ensino médio. Várias gravadoras diferentes e seis discos mais tarde, All Time Low ainda está firme e forte. O seu novo álbum de estúdio, intitulado “Last Young Renegade”, se move numa direção mais pop, algo que muitas bandas fizeram recentemente. Usando sons mais elétricos e letras escuras em suas músicas, podemos dizer que é uma mudança interessante para a banda. O registro começa com a faixa-título, “Last Young Renegade”, uma canção que olha para trás a fim de falar sobre um romance de verão. Com uma introdução de guitarra, a música se move até construir um atraente refrão pop-punk. “Você era minha última dor de cabeça renegado jovem / Levou apenas uma noite / Pego no olho de um furacão, querida / Nós tivemos que dizer adeus”, Gaskarth canta no refrão.

Os versos são muito maduros e o som geral extremamente atraente. Como faixa de abertura, “Last Young Renegade” consegue deixar o ouvinte esperançoso para o restante do álbum. Em “Drugs & Candy”, uma faixa com bateria simples e construção mais lenta, a banda também oferece um refrão atraente. Ela possui um sintetizador em segundo plano, mas é principalmente focada nos vocais de Gaskarth. As letras criam uma típica música de um casal, comparando-os com drogas e doces. Na linha “Você e eu somos como drogas e doces”, o ouvinte pode claramente ouvir os tons escuros de Gaskarth. É um esforço genuíno, embora as letras clichês não demorem para aparecer. Uma mesma fórmula é utiliza na próxima faixa, “Dirty Laundry”, que tem uma estrutura muito parecida com “Drugs & Candy”. Entretanto, é uma canção muito melhor. Ela foi lançada como primeiro single alguns meses atrás, e nos deu um gostinho do novo som do All Time Low na sua nova gravadora, a Fueled by Ramen.

É uma música relaxada e atmosférica com tons clássicos da banda. É basicamente uma boa combinação do antigo e novo som que o All Time Low está experimentando. A vibração sônica mais escura que permeia sobre esta faixa é o complemento perfeito para o álbum. Um tema nostálgico aparece fortemente em “Good Times” e “Nice2KnoU”. Ambas são faixas de alta energia que capturam o espírito de grandes aventuras do passado. “Good Times” é muito sintética e fala sobre não esquecer os bons tempos. Não há um grande refrão, visto que Alex Gaskarth simplesmente repete: “Não vou esquecer os bons tempos”. Mais uma vez, a banda oferece tambores simples e a mesma estrutura das faixas anteriores. Enquanto isso, “Nice2KnoU” serve como um ponto de encerramento para algumas lembranças do seu passado. Ela também serve como um a homenagem para aqueles que os apoiaram ao longo do caminho. Sonoramente, All Time Low volta às suas raízes pop-punk com um ótimo riff de guitarra, ritmo groove e bateria eficaz.

“Nice2KnoU” é uma das poucas faixas do álbum que utiliza os sintetizadores de forma inteligente. Eles são misturados ligeiramente com as guitarras e proporcionam uma escuta adorável. Enquanto alguns músicas apresentam um tom melancólico, há algumas outras que examinam o lado mais sombrio do grupo. “Life of the Party” explora o preço da fama quando se é muito jovem. Nessa canção, All Time Low faz alusões ao álcool e festas, juntamente com letras como: “Em um mar de estranhos, não posso mais me encontrar”. Tons cheios de arrependimento e uma auto-indulgência desajeitada permeia pela música. É um olhar honesto e introspectivo sobre algumas situações que a banda já passou. Os vocais de Alex Gaskarth levantam “Life of the Party”, enquanto sons eletrônicos orquestrados e sintetizadores a dominam. Em seguida, as observações maduras de “Nightmares” se equilibram eficientemente com “Dark Side of Your Room”, faixa que fala sobre um amante despreocupado.

“Nightmares” injeta outro tom escuro ao repertório, com uma melodia de guitarra revertida percorrendo durante sua execução. O seu único ponto negativo é, mais uma vez, sua estrutura simpes que, nesse ponto do álbum, já se tornou repetitiva. “Dark Side of Your Room”, por sua vez, começa com uma estranha guitarra e uma batida de bateria mais pop. Apesar da letra boring e corriqueira, ela possui um ótimo refrão com típicos acordes pop-punk. “Ground Control”, com Tegan and Sara, realmente adiciona algo diferente aos vocais de Alex Gaskarth. As duas partes complementam bem o estilo do outro, e ajudam a reduzir a lacuna que a maioria das bandas pop-rock deixaram ao direcionar-se para estilos mais baseados em sintetizadores. “Last Young Renegade” termina bem com a faixa final “Afterglow”. Uma balada com vibrações de sintetizadores atmosféricos, onde os vocais de Gaskarth realmente brilham. Sua voz está muito agradável nesta música, já que os instrumentos mais suaves permitem ele mostrar mais de suas habilidades.

Desde os vocais de Alex Gaskarth até o ritmo da bateria de Rian Dawson, eu adorei o som que o All Time Low compartilhou conosco neste álbum. Uma vez que você começa a ouvir o “Last Young Renegade”, não há como você resistir ao som cativante da banda. Apesar dos seus problemas e falhas, como a repetição de estrutura e falta de diversidade na instrumentação, “Last Young Renegade” faz uma boa mistura de sons elétricos e mostra uma maior maturidade. É um disco de uma banda que gosta de nostalgia e de recordar de sua juventude. No passado, os álbuns do All Time Low receberam críticas por serem demasiadamente produzidos e sem coesão. Felizmente, “Last Young Renegade” é bastante uniforme em seus temas e musicalmente coeso. Portanto, no geral, é um registro extremamente decente. Eles ainda parecem estar amadurecendo o seu som, mas podemos perceber um grande salto se comparado ao seu último projeto. All Time Low provou que pode adquirir crescimento assim como os seus companheiros de gravadora Panic! A the Disco e Paramore.

Favorite Tracks: “Dirty Laundry”, “Nice2KnoU” e “Life of the Party”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.