Resenha: Alison Krauss – Windy City

Lançamento: 17/02/2017
Gênero: Country
Gravadora: Capitol Records
Produtor: Buddy Cannon.

Ao se pensar nos maiores artistas da história da música country, Alison Krauss é um dos primeiros nomes que vem a mente. Ela tem 45 anos, mas já grava e canta desde a adolescência. Ela possui incríveis 27 Grammy Awards, incluindo um “Álbum do Ano” pela colaboração com Robert Plant em “Raising Sand” (2007). Krauss está empatada com Quincy Jones como segundo artista mais premiado da história do Grammy (atrás apenas do maestro Georg Solti). Portanto, ela já ganhou a premiação mais do que qualquer outra artista feminina da história. Com esse histórico, quando ela lança um novo álbum sempre recebe alguma atenção. Depois de 18 anos, ela finalmente lançou um novo álbum solo. Intitulado “Windy City”, é um disco composto de covers sem nenhum crédito de escrita em seu nome. É um registro cuidadosamente trabalhado, que reúne 10 clássicas canções country, selecionadas juntamente com o veterano produtor Buddy Cannon. “Windy City” abraça obscuridades familiares e menos conhecidas, que abrangem diferentes períodos e gêneros. A maioria das canções aqui foram gravadas originalmente nos anos 60 e 80, por artistas como Brenda Lee, The Osborne Brothers, Willie Nelson e Glen Campbell. Muitas das faixas são reconhecíveis para aqueles que são fãs de bluegrass e música folk.

Álbuns covers são sempre algo arriscado, porque a familiaridade do material pode abafar a originalidade do material e o processo criativo. Certamente, não há nada de original sobre o conceito do “Windy City”. A ausência de uma narrativa óbvia poderia ter beneficiado o repertório, assim como uma escolha mais seletiva das faixas. De qualquer forma, a parceria com Buddy Cannon obteve resultados muito bons. “Windy City” abre com uma versão de “Losing You”, hit de 1963 de Brenda Lee. É uma música que prova que a voz de Alison Krauss está em boa forma. Em seguida, quando ela canta “It’s Goodbye and So Long to You”, originalmente gravada pelos The Osborne Brothers, mostra muito mais vigor e arrogância do que o esperado. Um número bluegrass que apresenta Krauss no violino, seção de trompas e vocais de fundo de Dan Tyminski e Hank Williams Jr. Na faixa-título, “Windy City”, um piano e pedal steel fornecem uma boa base estilística. É outra faixa gravada originalmente pelo duo americano The Osborne Brothers. Para escolhas menos convencionais, como “I Never Cared for You” e “River in the Rain”, Alison Kraus apresenta arranjos mais simples. Em “I Never Cared for You” o arranjo mantém a sensação da versão original, mas vai facilmente em tonalidades jazzísticas.

Não é uma das canções mais conhecidas de Willie Nelson, embora tenha sido seu último grande sucesso nas paradas country dos Estados Unidos. “River in the Rain”, por sua vez, foi escrito por Roger Miller para um musical da Broadway. A versão de Miller foi criada em torno de guitarras e uma banda, mas aqui ela foi transformada em uma balada de piano. A versão de Krauss ficou exuberante e crescente, ornamentada por uma leve e discreta orquestra. Uma das canções escolhidas por Krauss foi “Dream of Me”, uma mid-tempo que ela viu sendo tocada ao vivo pela dupla Jim & Jesse no íncio dos anos 80. Aqui, essa canção está um pouco mais lenta, mas os fãs de country vão reconhecer ela a partir do catálogo de Vern Gosdin. Curiosamente, Krauss não sabia que Buddy Cannon, seu produtor, era um dos escritores dessa canção. Alguns números do álbum são imediatamente reconhecíveis, como a canção de Glen Campbell, “Gentle On My Mind”. Porém, a versão de Krauss se inclina mais para o folk original de John Hartford. “All Alone Am I”, o clássico de 1962 de Brenda Lee, foi originalmente escrito pelo compositor grego Manos Hadjidakis e dado letras em inglês por Arthur Altman. O arranjo de Alison Krauss tem um ritmo lento, sonhador e mais inundado por cordas.

Apresentando uma boa batida e vocais de fundo de Jamey Johnson e Dan Tyminski, a penúltima escolha, “Poison Love”, é provavelmente a mais obscura do álbum. Mas, qualquer álbum de Krauss não seria completo sem grandes baladas. Consequentemente, “You Don’t Know Me” recebe um belo e especial tratamento. É uma escolha óbvia, apresentado sobre arranjos e floreios musicais importados de outros gêneros. Essa música é um clássico certificado dos anos 50, gravado originalmente por Eddy Arnold e, posteriormente, um grande sucesso na voz de Ray Charles. Para esse clássico, Krauss conseguiu fornecer uma das melhores performances vocais de sua carreira. Para os fãs de country clássico e Alison Krauss, “Windy City” é uma verdadeira alegria para se ouvir do início ao fim. A violinista e o produtor Buddy Cannon merecem aplausos pela escolha do repertório. Também é um álbum para aqueles que não estão tão informados sobre a história do country, pois traz à luz alguns artistas de qualidade que vale a pena conhecer. “Windy City” anuncia orgulhosamente o retorno de uma das maiores artistas interpretativas da história da música country. Consequentemente, eu não ficaria surpreso se Alison Kraus ganhar o seu 28º Grammy com este álbum.

Favorite Tracks: “Losing You”, “River in the Rain” e “All Alone Am I”.

São Paulo, formado em Recursos Humanos, apaixonado por músicas, séries e animes. Fã dos Beatles, amante do futebol e palmeirense fanático.